Quem disse que você é sênior?

Não custa perguntar

Um rei qualquer

Se existe uma palavra que define bem o processo de aprendizado, para mim é QUESTIONAR. Princípio básico em qualquer área do conhecimento humano e que infelizmente, foi "sufocado" por diversos motivos, desde questões religiosas, até mesmo culturais/étnicas que provocou e ainda provoca um retardo no desenvolvimento da humanidade. Basta voltar um pouco e olhar para Idade das Trevas. Momento conturbado da história humana.

Felizmente, a área de T.I. costuma ser um ambiente bem propício a questionamentos, pensamento crítico e na maior parte das vezes — na minha experiência — isso é bem vindo e encorajado.

"Tabu"

O Tabu é um conceito utilizado na filosofia, antropologia e sociologia e que está relacionado com a proibição, censura, perigo e impureza de determinadas atividades sociais.

Recentemente discutindo (no bom sentido, claro) com amigos sobre algumas situações cotidianas, surgiu a questão "O que é ser um Sênior?". Um questionamento que pode incomodar muita gente — quase um Tabu.

Achei a pergunta super pertinente e me fez refletir sobre qual o papel dessa "figura" dentro do time.

O cafezinho

A minha primeira experiência como desenvolvedor, foi numa empresa relativamente grande, com mais de 100o funcionários. Trabalhei lá por quase 6 anos (3 na T.I.) até perceber que já era hora de "voar" e correr atrás de novos desafios, oportunidades de conhecimento.

Numa situação, um servidor de banco de dados (MySQL) apresentou um problema ficando fora por horas (desesperador). Eu ainda era programador júnior e fiquei ao lado de um membro do time que era "Sênior" (aspas) e estava tentando resolver o problema. Observando a gravidade da situação, tentei ser proativo pesquisando possíveis soluções para ajudar o time. Encontrei alguns links e perguntei ao "Sênior": "Olha, você não acha que pode ser isso?…".

— Pronto! Fechou o tempo!

Não sei ao certo, mas acredito que aquela pergunta, feriu o ego daquele sujeito. Provavelmente ele se perguntou: "quem é esse júnior para me ensinar algo?". Ele respondeu: "Você ajuda buscando um café para mim… fora isso, não". — Vraauu!! Tomei AQUELA "rasgada"! haha

Cara, imagine a minha frustração de tentar ajudar e acabar sendo "humilhado" por um membro que ~EM TESE~ teria o papel de me orientar?


Caso 2: Já em outra empresa como Programador Pleno, estava propondo uma solução sobre uma tecnologia ao qual eu já havia trabalhado e implementado para um sênior do time, de imediato, antes mesmo de OUVIR, discordou e não me deixou sequer terminar a explicação. Era um assunto que eu tinha um certo domínio e estava seguro, portanto fui adiante.

Depois de quase uma hora tentando "provar" minha tese, abri o Google e só aí ele entendeu que eu estava no caminho certo. Assim que ele percebeu seu erro, não teve problema em concordar comigo e mostrou mais uma vez que não era "sênior" à toa.


Caso 3:

O Egocêntrico.

Ser egocêntrico consiste em uma exagerada exaltação da própria personalidade, até a considerar como centro da atenção e de atividades gerais. Na pessoa egocêntrica se encontram a imaginação e o pensamento tão permanentemente ocupados com o próprio eu e os seus interesses que é incapaz de se colocar no lugar de outro indivíduo e de contemplar, do ponto de vista de outro eu, a matriz ou aspecto que têm as coisas e acontecimentos.

Em outra situação, um membro do time começou a se "lamentar" dizendo que não concordava com sua posição atual na equipe, que era "sênior", que tinha anos de experiência, que isso era injusto e por isso ele estava procurando novas oportunidades.

Acho que procurar "algo melhor" (ou supostamente melhor) é perfeitamente compreensível, isso pode ser muito bom pra sua carreira, mas é preciso tomar cuidado para que não seja um "tiro no pé".

Por muitas vezes corremos o risco de tomar essa decisão de forma "inconsciente", no "calor da emoção" e sem perceber que não estamos numa posição favorável e que pode haver sim UM MOTIVO de eu ainda não estar numa posição melhor. Fazer exercícios de Autocrítica vai de encontro com nosso EGO, e aí que mora o problema. No fundo, acredito que todo mundo tem um pouco de Narcisismo, mas quando isso é exagerado, acaba sendo prejudicial e muitas vezes não percebemos.

Errar é humano!

Não estou aqui para julgar ninguém especificamente, nem "expor" qualquer pessoa, portanto não adianta perguntar quem são os personagens, não direi. haha — nem aos mais íntimos!!

Diante de situações como essas, eu renovo minha pergunta: "Quem disse que você é sênior?". Foi você mesmo ou o time?

Elenquei algumas qualidades que acredito serem indispensáveis numa pessoa para que de fato seja chamada de "sênior".

- Compartilhar conhecimento

Não seja aquela pessoa que guarda o conhecimento, compartilhe isso e oriente os mais inexperientes a andarem com suas próprias pernas, isso vai evitar que você fique sobrecarregado. Dizer que está sempre ocupado, vai fazer as pessoas procurarem outros como referência. Isso é ruim pra sua imagem.

- Assumir responsabilidades

Não adianta! O time sabe quando aquele indivíduo foge ou encara os problemas de frente. Por mais que as pessoas tentem criar um personagem/máscara, o tempo se encarrega de deixar claro se você é ou não é a pessoa certa pro trabalho.

- Inspirar pessoas

Bom, definitivamente mandar alguém buscar seu café não inspira ninguém, só demonstra a sua fraqueza em lidar com pessoas, portanto tenha no mínimo bom senso. Se naquele momento você está ocupado ao ponto de não poder ajudá-lo, é só dizer. Você inspira pessoas quando vira referência para elas.

- Inteligência emocional

Ninguém é igual a ninguém, isso é óbvio. Portanto conflitos vão acontecer e você precisa ter uma inteligência emocional para lidar com situações muitas vezes estressantes. Ser o "esquentadinho" não ajuda o time.

- Mediar discussões

Essa é talvez o mais importante! Seu cargo não serve para cercear a opinião de ninguém, sua posição na equipe pode ter sim UM PESO maior e acredito que isso vai depender da sua experiência naquele assunto específico, mas é importante que todos tenham voz ativa. Ser confrontado também faz parte, então vamos democratizar a discussão sempre! Não leve pro lado pessoal.

- Não dar carteirada e sim argumentos

Não funciona! Seu cargo ou tempo de empresa não te dá o direito de se "sobrepor" a ninguém (mesmo que você seja o líder/chefe), portanto aquela história de "quando eu cheguei, só tinha mato" não serve absolutamente para nada. Argumentos ainda é a melhor maneira de ilustrar sua idéia.

- Não seja territorial

Acho que é basicamente a mesma idéia da "carteirada". Mas é aquela pessoa que não permite ninguém "mexer" naquele sistema, ou ter um determinado acesso. Só ele!… Julga que ninguém mais é capaz e por isso a empresa "depende" dele (ele acredita nisso). "O insubstituível". Isso não existe.

- Maturidade

Autoexplicativo, concordam? Maturidade é requisito básico. Muitas vezes a gente se depara com situações que contrariam nossa vontade, isso faz com que a gente fique frustrado e por vezes esquecemos de "entender o lado" do negócio, o quê é mais importante pro "business". Como se comportamos diante de uma adversidade define sua maturidade.

- Você não é sênior em tudo

Ninguém sabe tudo, fato! Qualquer membro do time — independente do cargo — pode contribuir com a melhor idéia para aquele problema. Isso não vai diminuir sua importância.

- Você faz falta

Fato! Um bom profissional faz falta. Apesar de ninguém ser insubstituível, existem pessoas que faz sim uma grande diferença no time.

- O time sabe

Se você for sênior, com certeza estará claro para maior parte do time. Se isso não acontece, provavelmente você não é (independente do registro na carteira).

- Resolve o problema

Em resumo, o "sênior" faz a "roda girar" e não deixa a "peteca cair", se surgiu um problema, ele vai resolver e direcionar o time para que o objetivo seja alcançado — custe o quê custar. Vai parar de tempos em tempos para olhar o horizonte e recalcular o caminho — Agradeço ao Vicente por levantar esse ponto.


Sei que existem outras, mas acredito que estas são algumas das principais características que definem um sênior (IMHO).

Recursos Humanos sobre tecnologia

Talvez falar sobre isso seja "clichê", mas o maior recurso que uma empresa tem, é o funcionário.

Algumas percebem isso, outras não. Aí cabe a você "sentir" se aquela empresa fornece um ambiente favorável para o seu desenvolvimento e se compensa investir seu tempo de vida ali.

Mesmo que você tenha todas ou a maior parte das qualidades citadas acima, ainda vai depender de como sua empresa vê seus funcionários. Muitas vezes só vão valorizar seu trabalho quando você receber uma nova proposta de emprego. Infelizmente acontece.

Ferramentas de avaliação ajudam a identificar quando existem membros subestimados e superestimados.

Pra acabar

Não sou eu que vai dizer se você é ou não "sênior". Apenas fiz o convite para que você faça uma autoavaliação. Isso com certeza vai te fazer refletir e melhorar sua conduta.

Sobre mim

Antes que alguém diga, eu abdiquei do cargo de sênior por duas vezes;

A primeira por quê eu já estava a quase 6 anos na empresa e precisava muito de uma nova oportunidade (citei anteriormente).

A segunda por quê eu queria trabalhar num time global (várias partes do mundo) e entrei como "pleno". Atualmente na mesma posição.

Aí cabe a mesma pergunta. Eu era sênior?

Só o time pode responder.

Agradecimentos

Fontes:

https://www.todamateria.com.br/o-que-e-tabu/
https://www.significados.com.br/egocentrico/

Like what you read? Give Bruno Agutoli a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.