Fundos de investimento Private Equity e Venture Capital: um deles pode ser ideal para sua empresa

Chegou a hora de pensar em injetar capital na empresa. Como controller, você já apresentou ao CFO uma lista das informações referentes ao Capital Próprio e Capital de Terceiros, bem como uma análise de prós e contras de cada opção. Foi decidido que sua empresa precisa de investidor e você sabe que, antes de mais nada, precisa provar alguns dados financeiros e apresentar indicadores de desempenho.

Procurando por fundos de investimento você se deparou com duas opções que chamaram sua atenção: Private Equity e Venture Capital. Ambas têm o objetivo de fornecer aporte de capital para alavancar ainda mais os negócios, mas cada uma serve para um caso específico.

Para conhecer mais sobre cada modelo e entender se eles podem ser uma boa opção para sua empresa, confira o artigo que preparamos.

Primeiro, vamos falar sobre Fundos de Investimento

A analogia mais comum que se faz quando o assunto são os fundos de investimento é com a figura de um condomínio. Então, vamos lá:

Em um condomínio temos vários apartamentos, cada um pertencente a um condômino. Portanto, cada condômino é dono de um apartamento (que seria uma cota) e paga a alguém (síndico ou empresa administradora) para realizar a administração e coordenar as tarefas do condomínio.

O fundo de investimento reúne dinheiro de várias pessoas, conhecidas por cotistas, cujo objetivo é o de contratar um gestor para cuidar do dinheiro investido. A finalidade dessa atividade é a mesma que a de qualquer empresa: obter ganhos financeiros.

Portanto, um fundo de investimento é uma fonte de capital pertencente a inúmeros investidores utilizados para comprar valores coletivamente. Assim como em um condomínio, cada investidor detém a propriedade (o seu apartamento) e o controle de suas próprias ações.

Um fundo de investimento oferece uma seleção mais ampla de oportunidades de investimento, maior expertise de gerenciamento e menores taxas de investimento do que os investidores podem obter por conta própria. Exemplos de fundos de investimento incluem:

  • Fundos mútuos;
  • Fundos negociados em bolsa;
  • Fundos do mercado monetário;
  • Fundos de hedge;
  • Fundos de Private Equity;
  • Fundos de Venture Capital (Capital de Risco)
  • Fundos de Seed Capital.

Lembrando que seja qual for o tipo de fundo de investimento escolhido, profissionais da área de planejamento e controladoria são os mais aptos a avaliarem a viabilidade do projeto. Para isso, contam com indicadores como Payback, Taxa Interna de Retorno, Valor Presente Líquido, entre outros. A fim de fornecer uma ajuda maior nesse sentido, elaboramos um ebook com os indicadores mais utilizados pelo mercado para análise de projetos de investimentos. Acesse-o clicando na imagem a seguir:

Alguns dos melhores fundos de investimento foram citados mais acima. Para esse artigo em especial abordaremos os Fundos de Private Equity e Venture Capital.

O que é Private Equity?

Private Equity é um fundo de investimento no qual investidores (pessoas ou empresas com alto patrimônio líquido) buscam investir diretamente em outras empresas, ao invés de optarem pela compra de ações. Importante ressaltar que o Private Equity é um aporte a empresas já bem desenvolvidas e em processo de consolidação de mercado. Isso porque o objetivo do Private Equity é preparar as companhias a abrir capital, fundir-se ou serem adquiridas por outras empresas.

No artigo sobre Oferta Pública Inicial (IPO) esclarecemos melhor sobre o que é IPO e por que abrir capital. De um modo geral, o principal motivo de uma empresa abrir seu capital é a captação de recursos financeiros para continuar a crescer e/ou reduzir dívidas.

Falando especificamente sobre fundos de investimento de Private Equity, no Brasil temos exemplos de grandes nomes de empresas que receberam esse aporte. Natura e ALL (América Latina Logística), ambas já consolidadas e bem desenvolvidas, são dois casos.

Já que fundos de Private Equity são destinados a empresas com uma certa expressividade no mercado, como ficam as companhias em fase inicial? Bom para esse caso, essas empresas podem optar pelo Seed Capital (Capital Semente, em português), que trata de investimentos feitos ainda na fase inicial do negócio, para ajudar o empresário a dar os primeiros passos.

Em ambos os casos, ou seja, tanto ao falar de Private Equity quanto Capital Seed, o investimento é de alto risco. O profissional ou a empresa que deseje investir em companhias já consolidadas ou naquelas ainda em fase inicial devem saber como fazer a avaliação. Para isso, profissionais de finanças utilizam os princípios do Valuation (mais adiante falaremos sobre isso).

Bom, entendemos que Private Equity são os investimentos em empresas já desenvolvidas, mas que necessitam de um aporte de capital para expandir, lançar um novo projeto/produto/serviço ou desenvolver um determinado negócio. Falamos também sobre Seed Capital, que trata de empresas em fase inicial. Temos ainda um outro fundo de investimento, com uma característica diferente, que precisamos abordar: o Venture Capital.

O que é Venture Capital?

Conhecido também como Capital Venture, Capital de Risco, Capital Empreendedor, Capital de Investimento ou Capital de Ventura, o Venture Capital trata de investidores para Pequenas e Médias Empresas, as PMEs. Fundos de Venture Capital são, portanto, focados em empresas de pequeno e médio porte que possuem potencial de crescimento.

O foco do Venture Capital são as empresas inovadoras que iniciarão suas primeiras expansões para que o negócio siga um novo patamar de mercado e alcance seu máximo potencial. Perceba que assim como fundos de Private Equity, o Venture Capital é opção para empresas que têm um bom faturamento. No entanto, ao contrário do Private Equity, o Capital de Risco é um fundo para empresas que ainda estão em fase de desenvolvimento.

Por se tratar de um Capital de Risco, você concorda comigo que o investidor precisa sentir a segurança que sua empresa está tudo em ordem e tem potencial para crescer? Por isso, é essencial que antes de pensar em buscar um investidor, é necessário fazer uma auditoria interna. Preparamos um checklist com 65 itens que ajudarão seu negócio a aplicar o processo de Due Diligence. Esta auditoria tem o objetivo de apresentar uma visão geral da empresa referente a informações fiscais, trabalhistas, tributárias, sócio-ambientais entre outros.

Nesse material, assinalando os campos “Já Possuo”, “Preciso Obter” ou “Não se aplica”, ficará fácil saber quais os itens a sua empresa precisa dar mais atenção.

Para baixar gratuitamente, basta clicar na imagem:

Bom, e para organizações que estão crescendo rapidamente e já são rentáveis, investimentos em Venture Capital são realizados por meio dos direitos de participação ou da aquisição de ações. Sendo assim, além da entrada de recursos financeiros, uma operação de Capital de Risco significa que o empreendedor terá que compartilhar a gestão com o investido.

Investimentos em Venture Capital podem ser realizados por:

  • Companhias de Participações
  • Gestores
  • Fundos de Investimentos estruturados para essa finalidade
  • Investidores individuais

De modo geral, investidores reúnem-se em fundos (empresas com figura jurídica própria) e são chamados de cotistas. As cotas são compradas quando o fundo começa a funcionar e serão resgatadas quando o investimento feito em um determinado negócio for retirado.

Principais diferenças entre Private Equity e Venture Capital

É comum haver confusão entre Private Equity e Venture Capital, mas para que você não tenha nenhuma dúvida, observe que:

  • Private Equity são os investimentos feitos em empresas grandes, bem desenvolvidas. Venture Capital refere-se ao financiamento de PMEs pelos investidores que buscam empresas com um alto potencial de crescimento.
  • Private Equity investe em empresas maduras que geram receita e fluxo de caixa significativos. Empresas de Venture Capital investem mais cedo na vida de uma organização.
  • O mercado alvo do Private Equity são empresas de quaisquer setores, desde que já estabelecidas, portanto, grandes empresas. Já o alvo do Venture Capital são empresas de alto crescimento em segmentos inovadores, como tecnologia por exemplo. Portanto, são PMEs.
  • Em fundo de Private Equity os investidores são passivos em relação à administração, a menos que o objetivo da aquisição seja melhorar o desempenho da empresa. Já no Venture Capital os investidores assumem participação na tomada de decisão.
  • O perfil de risco no Venture Capital é comparativamente superior ao do Private Equity.
  • As empresas de Private Equity fazem investimentos em poucas companhias enquanto empresas de Venture Capital fazem seus investimentos em um grande número de organizações.
  • No Private Equity os fundos são utilizados na reestruturação financeira ou operacional da empresa. Por outro lado, os fundos de Venture Capital são utilizados na racionalização das operações comerciais, por meio do desenvolvimento e lançamento de novos produtos ou serviços no mercado.

Resumindo, toda vez que você for pensar em Fundos de Private Equity e Venture Capital, pense em uma semente plantada e em uma árvore. A semente plantada começou a crescer e, para que cresça ainda mais, é preciso que seja nutrida. Já a árvore é uma semente que cresceu e já rende frutos. Sua função é cuidar dela para que o número de frutos aumente. A árvore representa o Private Equity enquanto que a semente germinada é o Venture Capital. Ficou mais fácil?

Ainda é importante lembrarmos dos investidores-anjos. Mais acima falamos do Seed Capital, certo? Investidores-anjos estão um passo atrás do Capital Semente. Comparando os dois, temos que:

  • Investidores-anjos são pessoas físicas que investem em empresas nascentes com alto potencial de crescimento. O investidor-anjo acompanha a empresa e aumenta as chances de sucesso do negócio, já que o interesse dele é o mesmo que o da empresa: obtenção de lucros.
  • Seed Capital é um aporte que vem de pessoa jurídica por meio de um fundo de investimento. Empresas ainda estão em fase embrionária, mas já possuem clientes e produtos definidos, dependendo de investimentos para expandirem e estabelecerem-se no mercado.

O que fazer antes de procurar por fundos de Private Equity e Venture Capital?

Esteja sua empresa ainda no estágio inicial de crescimento, ou já bem consolidada, o fato é que alguns itens devem ser levados em consideração antes de buscar por injeção de capital. O primeiro de todos (e o mais importante) é ter informações sobre o potencial de crescimento da empresa e sua lucratividade.

Para isso, é essencial manter dados organizados e sistematizados sobre:

Para que tudo isso aconteça, lembramos que é fundamental ter uma Gestão Orçamentária madura, focada no planejamento e monitoramento sistemático dos resultados financeiros. Para saber em qual estágio da Gestão Orçamentária sua empresa se encontra e como montar um plano de ações para levá-la a se tornar uma “best-in-class”, desenvolvemos um ebook todinho sobre o assunto. Você pode acessá-lo clicando no botão a seguir:

Saber o quanto vale sua empresa é também essencial. Para isso indicamos o método Valuation, que é o processo de estimar o valor de uma empresa de forma sistematizada, usando um modelo quantitativo. Para saber mais informações, recomendamos este artigo. E caso você precise de algo mais mão na massa, preparamos uma planilha modelo para ajudá-lo a calcular o valor da sua empresa.

Tenha em mente que esse valor não é real, mas apenas fornecerá um parâmetro que é importante você ter na hora de negociar com os investidores. Para realizar o download, basta clicar no botão abaixo:

Além disso, existe algo que Diretoria (CFO e CEO) e Controller precisam refletir: sua empresa está preparada para abrir o capital? Para conseguir responder essa questão é necessário fazer uma análise profunda do negócio, bem como avaliar documentos e dados contábeis e financeiros. O objetivo disso é eliminar ou mitigar riscos e evitar que sua empresa dê um passo no momento errado. Contar com profissionais de controladoria é fundamental para que o processo ocorra de maneira leve tanto para sua empresa quanto para os investidores. No caso de busca por investidores é ainda necessário ter a ajuda de um advogado.

Concluindo

Private Equity e Venture Capital são fundos de investimentos que servem a empresas em momentos diferentes do ciclo de vida. O primeiro diz respeitos aos investimentos feitos em empresas não listadas publicamente em qualquer bolsa de valores e que estão já bem estabelecidas no mercado.

Por outro lado, Venture Capital é o investimento feito no estágio inicial, ou seja, fase de inicialização do negócio. Sendo assim, refere-se ao financiamento de PMEs feito por investidores que buscam empresas com alto potencial de crescimento.

Aproveitamos para deixar aqui duas sugestões de artigo:

Esperamos que este post tenha sido útil a você. Deixe um comentário contando o que achou do post e compartilhe conosco qualquer outro conhecimento que possa contribuir com o tema. Fique à vontade também para compartilhar este artigo com seus colegas.


Originally published at Treasy | Planejamento e Controladoria.