Quando sua vida vira um drama mexicano…

“A vida é uma montanha russa”. Quem nunca ouviu esse clichê e não se sentiu representado que atire a primeira pedra. Sim, é verdade, a vida tem seus altos e baixos. No entanto, ninguém te avisa o quão baixo as coisas podem chegar… 
Foi assim: um celular roubado, outro emprestado, um e-mail, uma descoberta. Meu pai tem outra família. Mulher, filha recém-nascida, tios, tias, avó, avô. O pacote completo. Corta. 
Dois anos depois (e muita terapia) enfrentamos o problema e contamos para a nossa família sobre a família 2. Ou seria a família 1? 
Choro da mãe. Choro da irmã. Dedo na cara. Acusações. Culpa. Lágrimas seguradas a força, quase que manualmente. Fortaleza. 
Fortaleza? Nem um pouco. Mas para evitar destruir a imagem do seu porto seguro, já que o outro (o namorado de 5 anos e meio) tinha ido embora pra lá há poucos meses, fingi que estava tudo bem. 
Não estava. Não está. Talvez nunca volte a ser como antes. Afinal, como aceitar que sua figura materna, seu espelho, possa ser conivente com esta situação? Aceita, menina! Você é boa em aceitar, igual sua mãe.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Catherine Bon Vivant’s story.