Uai UX
Published in

Uai UX

Product Case: Reinventando sua forma de reciclar!

Estudo afim de desenvolver um produto que contribua com os municípios brasileiros na redução de resíduos sólidos através de um sistema de bonificações.

Recentemente tive a oportunidade de trabalhar em um case sobre um desafio completamente fora da rotina em que estou habituado e o resultado me agradou bastante!

Hoje, analisando os arquivos finais, enxergo inúmeras melhorias, mas ainda assim vou compartilhar com vocês como foi meu processo e qual foi a solução que encontrei para o problema citado abaixo:

"Segundo as estimativas das Nações Unidas, a produção de lixo no mundo deve aumentar para 2,2 bilhões de toneladas até o ano de 2025. Visando a melhoria desse cenário, um protocolo mundial foi criado obrigando todos os países a reduzirem os seus resíduos drasticamente."

Antes de começar, caso queira ir direto ao desenvolvimento, vá até o tópico 2 para ignorar a introdução que contextualiza o assunto sobre resíduos sólidos e suas particularidades.

1. Entendendo melhor o problema

O descarte inadequado de resíduos tem sido um dos maiores problemas mundiais e, com isso, diversas políticas estão sendo desenvolvidas para tentar resolver esse problema da melhor maneira possível.

Através de diferentes estudos, nota-se a variedade de tipos de resíduos e possibilidades de tratamento, descarte e coleta. Ainda assim, tem sido um processo muito centralizado no governo e, apesar de ser um caso de meio ambiente e saúde pública, todos nós precisamos agir para salvar o planeta.

Sendo assim, diante da imensidão de situações possíveis dentro dessa problemática, uma das alternativas viáveis que encontrei é a logística reversa que consiste em retornar o produto para o fornecedor a fim de reaproveitar o material para novas produções.

Dessa forma, é possível descentralizar as ações necessárias para redução de resíduos, compartilhando a importância deste assunto com diversos atores diferentes na sociedade.

Para fins de entendimento, o ciclo de vida de um produto é definido pela PNRS–Política Nacional de Resíduos Sólidos com uma série de etapas que envolvem seu desenvolvimento sendo: desde a obtenção de matérias-primas e insumos para a fabricação, o processo de produção, o consumo e até mesmo o descarte. E para que o ciclo seja adequado, o produto precisa ter um final ambientalmente apropriado.

Ainda assim, conscientizar a população sobre o descarte consciente tem sido uma luta de muitos anos e realizar a logística reversa de forma orgânica pode ser pouco atrativo e convincente. Com isso, surge a necessidade de pensar em uma solução que estimule e motive a sociedade a dar atenção quando o assunto for descarte consciente.

Sobre a Logística Reversa

“A logística reversa e a conscientização sobre o ciclo de vida do produto afetam positivamente todos os segmentos envolvidos. No âmbito municipal, a aplicação de ambos os conceitos reduz o descarte incorreto do lixo e fomentam a execução da PNRS.

No âmbito empresarial, ambos estabelecem novas oportunidades de negócio, melhoram a imagem da empresa perante a sociedade e geram mais postos de trabalhos e negócios para a organização.

Além disso, é possível dizer que as empresas que adotam esses métodos sobressaem com grande vantagem competitiva sob as demais, uma vez que diminuem os custos de produção e prosperam o serviço ao consumidor ao observar os impactos ambientais causados pela prática.”

Rede Juntos

2. Propondo uma solução: Relive!

Após definir que a solução iria se basear na logística reversa para amenizar o descarte incorreto de resíduos, defini a visão e objetivo de forma clara para manter o conceito em mente facilitando a enxergar a direção do desenvolvimento.

Como surgiu o nome?

Relive em sua tradução literal significa reviver. Com isso, na tentativa de fugir do básico: reutilizar, reciclar, renovar e afins, escolhi Relive para transmitir todos esses significados de uma forma diferente, com um aspecto sonoro confortável e fácil de memorizar.

Conceito da marca

Utilizei o prefixo “re” para criar o símbolo com o intuito de reforçar a marca e o nome em sua essência.

O que a Relive é?

Uma plataforma intuitiva que estimula o descarte consciente de resíduos através de um sistema de pontuação que pode ser convertido em diversos benefícios. Além disso, integra estabelecimentos, usuários comuns e catadores em um mesmo lugar, facilitando o fluxo de logística reversa e trazendo a reciclagem para mais perto da nossa realidade, dando a possibilidade de ter um futuro melhor para nosso planeta.

O que a Relive não é?

Uma empresa especializada em reciclagem, e sim a solução que vai conectar todos os interessados em uma mesma plataforma. Em seu estágio inicial não vai ser possível realizar coletas automatizadas com identificação dos resíduos através de inteligência artificial.

Principais usuários

  • Pessoas que tem o costume de realizar o descarte consciente de resíduos.
  • Pessoas que não tem em sua rotina o hábito de realizar o descarte consciente e precisam de um estímulo para começar.
  • Estabelecimentos ou fornecedores que podem aproveitar resíduos através da logística reversa para produção de novos produtos com materiais reciclados.
  • Catadores ou empresas especializadas em coleta e separação de resíduos dos mais diversos tipos para reutilização.

Quais são os benefícios?

  • Retorno de % do valor do produto devolvido para reutilização.
  • Acúmulo de pontos que podem ser utilizados em transporte público e, através de integrações, em aplicativos de transporte como Uber, 99 e afins.
  • Troca de pontos em descontos nos estabelecimentos credenciados ou em aplicativos de delivery como iFood, Rappi, Uber Eats e demais.
  • % do valor conquistado e bônus para catadores que intermediarem as trocas.
  • Possibilidade de desconto para estabelecimentos credenciados na produção de produtos originados de devoluções.
Imagem com parceiros hipotéticos utilizada para demonstrar os benefícios do produto durante o pitch — disponível no fim do artigo.

O que viabiliza o surgimento da Relive?

Entre as justificativas mais usadas por servidores municipais para o não cumprimento da lei está a falta de recursos para resolver o problema do descarte de lixo. Para isso, o Governo Federal instituiu que assim que os municípios afetados apresentassem o Plano Municipal de Resíduos (PMRS), teriam acesso a recursos da União para iniciar as obras necessárias em suas cidades.

Com isso, por meio das diretrizes desenvolvidas na PNRS — Política Nacional de Resíduos Sólidos, segundo o Ministério do Meio Ambiente, com a apresentação de um Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, será possível arrecadar recursos para os municípios executarem quaisquer ações positivas que resultem na redução de resíduos.

Assim, a Relive se enquadra nos critérios estabelecidos, podendo verificar as possibilidades de custeio dos benefícios concedidos através de seu programa de pontuação.

Com o surgimento, quais seriam os objetivos de médio/curto prazo?

Ser referência em logística reversa na cidade de São Paulo, diminuindo consideravelmente os resíduos descartados de maneira inadequada.

E longo prazo?

Estar presente em todos os municípios brasileiros até 2021, quando a PNRS estará vigente para todo Brasil, reduzindo drasticamente a quantidade dos resíduos que são descartados de maneira inadequada, transformando nosso país em referência ambiental.

3. Estratégia definida? Hora de rabiscar "telinha"!

Depois de ter certeza sobre a solução que eu tinha em mente, chegou o momento de colocar algumas das ideias no papel para ver como consolidar toda pesquisa em uma solução viável.

Ao iniciar os desenhos eu tinha algumas ideias sobre o que fazer, mas, ainda assim, antes de chegar ao resultado mostrado abaixo, realizei um Crazy 8s sozinho para explorar o máximo de alternativas possíveis.

ps.: Não vou compartilhar o resultado do Crazy 8s aqui, porque quem já fez sabe o quanto fica bizarro e impossível de entender.

Rabiscos de wireframes em baixa fidelidade para validação das primeiras telas do Relive.

Assim, após melhorar os resultados da dinâmica, consegui visualizar claramente como poderia levar para o produto para o próximo nível de criação através destes fluxos simples que já validavam a ideia principal.

4. Transformando o papel em alta fidelidade

Interfaces do protótipo navegavel desenvolvido no Adobe XD

Para um case de estudo, afim de validar a ideia com a maior agilidade possível, defini que as telas acima já eram o suficiente para partir para a próxima etapa.

Em seguida, com mais detalhes, você entenderá porque escolhi o fluxo acima.

5. Conhecendo a jornada do usuário

Nas entrevistas que realizei, todas elas informais e qualitativas, pude identificar o padrão presente no fluxo de como as coisas deveriam fluir, pelo menos em um primeiro momento.

Assim, foi possível desenhar um dos caminhos que poderiam ser percorridos com a Relive. Confira abaixo uma ilustração que explica o funcionamento da solução em apenas 3 passos:

Essa imagem foi retirada do pitch — disponível logo abaixo.

6. O que deveria ser feito agora?

Visto que ao chegar até aqui eu já havia atingido o propósito do estudo, optei por partir para a próxima etapa afim de desenvolver um pitch para demonstrar a solução final.

No entanto, em um cenário real, este seria o momento para começar a validar o resultado que cheguei com os verdadeiros usuários, mas não só através da conversa, porém com dinâmicas mais conclusivas.

Tendo em mãos o protótipo navegável, seria possível estruturar um roteiro de tarefas e partir para um teste de usabilidade afim de iterar melhorias básicas antes de iniciar o desenvolvimento.

Ainda assim, em um cenário específico com deadlines curtas onde não fosse possível aplicar os testes, ao menos uma rodada de análise heurística seria necessária.

Então, após concluir as validações acima, explicaria todo fluxo de uso com as interações mapeadas além de disponibilizar o handoff do projeto alinhado as regras do modelo de negócio para o restante da equipe que não esteve presente no processo.

7. Criando um pitch de venda

Agora que praticamente tudo estava "finalizado", chegou a hora de transformar a solução em um pequeno e impactante keynote afim de demonstrar todo valor agregado até aqui.

Apesar do vídeo abaixo não ter áudio e ser apenas uma demonstração das animações que guiam a apresentação, ele é acompanhado de um storytelling escrito em cima dos dados da pesquisa que realizei.

E caso tenha curiosidade de entender melhor como funciona, ou até mesmo ouvir está apresentação, podemos conversar! Fique a vontade para entrar em contato ;)

Veja como ficou:

Vídeo automático da apresentação em Keynote utilizada para demonstrar o produto.

Além de reforçar que até então se trata de um projeto fictício desenvolvido para aperfeiçoar meu processo de design, quero agradecer imensamente a atenção e carinho de quem finalizou a leitura!

Portanto, sintam-se livres para opinar, ficarei muito feliz com as críticas que contribuirem com o case.

Antes de partir, um agradecimento especial a todos que tiraram um pouquinho do seu tempo para ajudar em entrevistas, opiniões, referências e conversas profundas sobre o assunto. 💕

Até a próxima e um forte abraço!
– Stéfano Girardelli.

Referências

Benchmarking

--

--

--

Compartilhando conhecimento sobre UI, UX e Pão de Queijo!

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Stéfano Girardelli

Stéfano Girardelli

Visual Designer @ Wildlife Studios | https://StefanoBG.com

More from Medium

EndeavourOS new design proposal

Designing cross-platform experiences

Automating the process of creating digital design using AI

Automating the process of creating digital design using AI

Improve the user onboarding experience of Spinny