Dia 39: Cinema

Eu fui ao cinema agora pouco. Assisti Esquadrão Suicida.

O filme? É ruim, divertido em partes, mas ruim como um todo. A experiencia? Eu acho que nunca tive uma experiência ruim ao ir num cinema. Gosto da tensão antes de começar os filmes, gosto de observar as pessoas aficcionadas pela tela.

Isso sempre foi algo que me deu prazer. E ir ao cinema era uma atividade muito presente na minha vida até meados do meio do ano passado, mas a frequência com que vou ver filmes na telona vem diminuindo a cada mês. Talvez isso se dê ao fato de que o trabalho está realmente consumindo não apenas meu tempo, mas como também minha disposição para fazer outras coisas.

Eu gosto de trabalhar, como já falei aqui. Mas preciso admitir que todos nós precisamos de um break. Confirmei esse pensamento no mais recente episódio do podcast Millennial (o qual mencionarei em outro post com mais carinho devido a sua imensa importância nos últimos 24 meses).

Todos nós precisamos de um hobby, de um livro ou de uma distração leve que te tire da rotina, quebre seu ritmo. Às vezes, como já aconteceu comigo, pode parecer que seu ritmo não tem que ser quebrado, que você precisa manter viva aquela sensação de que poderia trabalhar por 72 horas seguidas. Mas isso te consome. E quando você menos perceber, é tarde demais.

Por esse motivo e outros não mencionados, amanhã irei ao cinema pelo menos umas três vezes. Afinal, trabalho não é tudo.


Até amanhã.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.