Um gole ou mais — Boas cervejas, comidas e lugares especiais sempre pedem por uma vez mais.

Se você leu nosso artigo da semana passada sobre o lançamento do CD da banda Invasores do Sertão em Ribeirão Preto, já sabe que fomos ao evento movidos por uma principal razão: a cerveja artesanal caseira, Guaxinim e Amigos, estava presente.

Não leu? Sem problemas! Vamos resumir para você:

A cerveja artesanal Guaxinim e Amigos é produzida de forma caseira e independente pela cervejeira, Cota Mariana Fontanari, de Araras. Todos os rótulos são feitos com muito cuidado, atenção e carinho. O malte utilizado nas receitas é de qualidade, adquirido diretamente da Malteria Blumenau. O lúpulo também segue com o mesmo alto padrão, vindo dos EUA e Alemanha.

No evento haviam 6 estilos de cerveja Guaxinim e Amigos: uma APA, uma Pumpkin Ale, uma cerveja de centeio, uma Black IPA, uma Witbier e uma Pale Ale com pêssego.

Para beber psicodelicamente

Assim que chegamos na A Fábrica de extintores (que por sinal, não conhecíamos! O lugar é sensacional e recomendadíssimo para curtir um show descontraído com os amigos), fomos desesperadamente procurar a Cota — gente finíssima — para finalmente experimentar a cerveja Guaxinim e Amigos. O primeiro sabor foi uma fantástica WitBier com cascas de limão siciliano, semente de coentro, camomila e maracujá. Achei super refrescante, de espuma persistente (parabéns, Cota!) e com perceptíveis notas de limão e maracujá que não faziam mais do que agradar. Era pouca, quase nada amarga.

Guaxinim e Amigos: Pale Ale de Pêssego

Assim que finalizamos a WitBier, partimos para o próximo rótulo: a Pumpkin Ale. Assumo que jamais havia experimentado uma cerveja do tipo anteriormente, logo, não possuo parâmetros para avaliá-la de forma justa. O que posso dizer é que achei demais. A Pumpkin Ale é encorpada, com espuma ainda mais persistente e duradoura. O sabor prima pelo doce, quase nada de amargor e de final suave. Sua cor estava entre o laranja e bronze.

Uma vez sensibilizado pela descoberta do sabor da Pumpkin Ale (preciso de mais), era hora de degustar a Black IPA. Antes de descrever o que senti ao experimentá-la, deixo vocês com as seguintes imagens:

Enquanto enchia meu copo, a Cota declarou que este era seu estilo preferido. Talvez por isso tive a impressão de que o rótulo se destacou dentre os demais: achei a Black IPA o melhor sabor da Guaxinim e Amigos. Mais uma vez: Parabéns, Cota!

A Black IPA demonstrou a espuma mais cremosa e duradoura das cervejas experimentadas (e olha que todas elas demonstraram uma respeitável espuma!). De cor escura, senti nitidamente as notas de café e malte tostado. O corpo é médio e de textura aveludada. O sabor é bem equilibrado, o que é excepcionalmente bom.

Guaxinim e Amigos: WitBier

Por fim, experimentamos a Pale Ale de Pêssego: espuma generosa, encorpada e final com gostoso amargor. De drinkability incrível, tomaria aos litros.

Infelizmente não conseguimos experimentar todos o sabores, mas fica para a próxima!

Faremos questão de relatar a experiência aqui no Um gole ou mais.

Cota Mariana Fontanari e Alic Duchini

Só podemos parabenizar a Cota pela incrível cerveja e desejar muito sucesso, que consequentemente virá! Se algum dia você, leitor, tiver a chance de experimentar uma Guaxinim e Amigos, faça!

Será uma experiência incrível, pode confiar.


O post Cerveja Artesanal Caseira: Guaxinim e Amigos apareceu primeiro em Um gole ou mais.

Publicado originalmente no website Um Gole ou Mais!

Like what you read? Give Guilherme Lacerda da Costa a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.