Um Segundo por Dia: Ano 20

É muito complicado fazer o texto final do 1SD do ano sem ser ou muito genérico ou se deixar levar pelos últimos eventos que antecederam sua escrita. Mas prometo ser o mais fiel possível.

2015 ficará registrado na minha mente como um ano especial, tão especial que quando faço uma rápida retrospectiva as coisas boas brilham tanto que ofuscam as ruins. Ah! Foi nesse ano também que cheguei ao 1000º segundo, mas falo sobre isso em outro texto.

Nesse ano conheci pessoas fantásticas e o mais engraçado é que a maioria delas não caíram de paraquedas na minha vida, elas já estavam por aqui. Só me mostrei disposto a conhecê-las e elas abertas a isso também. O que me faz pensar:

Quantas experiências perdemos por simplesmente não deixar ninguém entrar?

Quando falo do 1SD para outras pessoas percebo um comentário padrão: “Nossa, se eu fizesse isso seria muito chato, não faço tantas coisas legais para registrar todos os dias”. Geralmente levanto dois pontos que se complementam: 1) Você é meio que “forçado” a deixar sua vida um pouco mais interessante para evitar a monotonia; 2) Você percebe que em alguns momentos não fazer nada é algo bom.

Passamos tanto tempo criando uma persona, mostrando para o mundo como nós somos felizes e temos uma vida super empolgante. Tudo bem se seu dia foi mais ou menos, o problema está em deixar que isso se torne rotineiro.

Então, se você pensa em fazer algo parecido algum dia, tenha em mente esses dois pontos que levantei quase agora e acrescento mais um: 3) Faça isso para você.

Vivi, vi e senti coisas lindas. Coisas Simples que me fizeram tão bem. Momentos especiais que mudaram minha ótica e me fizeram crescer enquanto humano. Muitos deles você não perceberá, são vários símbolos que para alguém de fora parecerão sem sentido, mas… posso ser sincero? Fazer sentido para outra pessoa que não seja eu não é a minha prioridade.

Fico feliz em ter conseguido capturar a essência de todos esses momentos de 2015, os bons e ruins e, vendo a obra final, percebo que valeu a pena. Acabo o ano com a sensação de que o vivi e espero que o próximo seja tão bom quanto ou ainda melhor.

Agora o clássico agradecimento aos meus amigos e família que fizeram desse ano o que ele foi. Me sinto alguém extremamente sortudo por ter vocês por perto.

Logo no início do ano minha boa e velha Samsung Q10 que registrou o ano 18 e 19 resolveu se aposentar e deu seu lugar para a Polaroid Cube que registrou a maioria dos dias de 2015. Já no finalzinho do ano (especialmente em outubro) resolvi dar uma chance para o Redmi 2, mas acabei me arrependendo daí voltei para a Cube.

Timeline: http://1sd.jeffcarvalho.com.br