Preconseito contra quem escreve errado

Voçê tem que eu sei

Mestre (nao cei quem é o autô)

Quando eu estudava Jonalismo, tive uma pofessora de portugues que disse que agente não podia usar nosso conhesimento como arma de opreção. Varios anos mais tarde, quando fui estudar Sossiologia, tive aula de potuguês denovo, no meu primeiro e único semestre (por que acabei largando o curço), e foi tempo sufisiente pra ouvir a mesma coisa da profeçora nova; ela diçe algo como: "Ai de quem eu pegar uzando o que aprendeu aqui pra se aproveitar dos outros".

Pelo menos no meu sírculo social, eçe é um dos tipos de preconsseito mais presentes e, ao mesmo tempo, um dos mas ignorados. Incrusive, agente não só ignora o poblema como ainda ri dele, tirano sarro de quem não sabe escrever direitinho. Eu sei que você já fes isso, eu também. Todo mundo um dia resebeu alguma imagem que mostra uma converça de zapzap cheia de coiza escrita errada e não se agentou de dar rizada. A uns dias atrás mesmo um amigo me conto sobre um rapais que viro meme na comunidade do Corinthians no Orkut por que, indiguinado com a falcidade dos pogramas de TV, reclamou assim: "e pada aodiesia poriso".

Oje parei pra refletir sobre isso e xeguei a concluzão de que tá na ora de parar. Se eu não rio de quem é pobre, não rio de quem tá em cituação de rua, de homosecsual que é xamado de vinhado, do negro que é barrado na porta do banco ou da mulher que tem que encara cantada na rua todo dia, porque vo ri de quem não manja da escritura?

Presta atensão no que canta Fernando Anitelli neça música do Teatro Mágico:

Eu tavo neçe show
Quando alguém te disser: tá errado ou errada;
Que não vai S na cebola, que não vai S em feliz;
Que o X pode ter som de Z e o CH pode ter som de X;
Acredito que errado é aquele que fala correto e não vive o que diz.

Eu tava olhano o site do IBGE agora e discobri que, entre as pessoa de ceis a 14 anos, a tacha de escolaridade era de 98,5% em 2014, o que é muito bom. Nesa faicha etária, o anafalbetismo atinjia apenas 1,8%. Só que a coisa começa a fica esquizita quando vossê olha o grafico das peçoas de 15 anos pra sima, por que 8,3% delas eram anarfabetas naquele ano. É jente de mais, nao tá serto.

No ano paçado, o Instituto Paulo Montenegro divulgo um relatorio do Inaf (Indicador de Alfabetismo Funcional) revelando que só 8% da populasao brasilera tem profissiência no proprio idioma. Eçe grupo aí é o unico que conssegue entender plenamente o que ove e le, não é bizarro? Só oito pocento de 200 milhão! O mesmo estudo dis que a maior parte dos brazileiros tá no níveu "elementar", e eles esplicam o que é iso de um geito que nem eu entendo:

Realizam a leitura de uma ou mais unidades de informação em textos diversos de extensão média realizando pequenas inferências e resolvem problemas envolvendo operações básicas com exigência de algum grau de planejamento e controle.

Voçê já paro pra pensá que nosa internet não é composta esclusivamente por eses 8%? No ano paçado, o IBGE informou que em 2014 finalmente o pais passou a ter mais da metade dos domicílhos conequetados (pdf). Naquele ano, 54,9% das residensias tavam na intenet, ou seja: 36,8 milhão de casas. Foi em 2014, incrusive, que aconteseu um fenomeno: a quantidade de gente indo a web pelo celular passou a do peçoal que fasia isso pelo PC; a proporcao dos intenautas móveis sautou de 53,6% para 80,4% entre 2013 e 2014, enquanto a dos surfadores de computador caiu de 88,4% para 76,6%.

Neça semana, o IDC pubricou uma pesquiza mostrano que o mercado de coputadores vendeu, em 2015, quaze a mema quantidadi de PCs que tinha vendido em 2008, e lugares como o Brasil tem parte da culpa pelos rezultado ruin. Como esplicou o pessoal do site Quartz, muitos paízes emerjentes tão iguinorando a revolusão dos coputadores e lepitopes e partino diretamete pra dos esmartefones. Açim, um monte de jente pasou a navega na rede fevorosamente, toda aquela galera que nao fas parte dos 8% dos profisientes tão aqui, consumindo e produsindo conteudo, ajudandu a imcorpar a nossa prezença omline.

E o que agente tem que faser é respeitar e insentivar esse momento, e não faser troça com quem tá povoano isso aqui com umildade. Temos que para de se preconseituoso com quem escreve errado, primcipalmente na intenet, que é um anbiente livre pra todo mundo. Nessas de ficar enxendo a paciencia de quem nao sege a "norma culta", agente pode até esta desinsentivando um grande artista; em 1973, o Serviço de Censura de Diversões Públicas caneto a canção “Tiro ao Álvaro”, de Adoniran Barbosa e Oswaldo Moles, sobre a justificativa que “a falta de gosto impede a liberação da letra”. Uma imajem do documento mostra que o cençor sirculou as palavra errada da musica — justamente as que dao poezia a ela.