Por Jeremiah Morelli

Tudo que eu quero

Tudo que eu quero
Eu vou cuidar
Eu lhe prometo não vacilar

Cuidarei
com grande esmero
Quase um Shakespeare
com o seu Otelo

Eu não vou
desperdiçar
A grande chance
que se dá

Eu vou até engarrafar
Essa minha grande fama

Vou me esbaldar
Toda nessa tinta branda

Tinta de caneta,
Enquanto escorre bem ali,
naquela ampulheta:

A tal areia
do meu timing

É o timing
Do que vem perfeito

É a boa hora,
Bem desse jeito

E não pense que vai ser
tão bem permitido

Cometer qualquer defeito
Nesse desafio

Eu quero,
eu vou.
E Nele posso.
Não sendo assim,
Eu tenho um troço.

E onde houver abrigo,
Eu lhe prometo:
atentarei
para ali pousar
Com algum sentido.



Para quem quiser me acompanhar/falar comigo por outros meios:

Facebook — perfil profissional: Santos Paiva

Página Autoral no Facebook: Poucas Palavras Agridoces

Instagram — perfil profissional: @escritospaiva

E-mail: medium.kspaiva@gmail.com

E também tem a minha Newsletter aqui, caso queira inscrever seu e-mail para receber textos exclusivos e notícias minhas semanalmente direto na sua caixa de entrada!