O que é a UniPermacultura?

E porque ela veio parar aqui no Medium?

A UniPermacultura teve início a dois anos atrás, mas ainda não tinha esse nome, começou com o nome “Estação Marcos Ninguém de Permacultura” em meados de março de 2015.

Marcos Ninguém é o nome profissional, amplamente conhecido no movimento de permacultura e ecovilas nacional e internacionalmente, de um dos idealizadores desse projeto: Neimar Marcos da Silva, junto com seu irmão, Clairton da Silva, conhecido como “Jappa”.

O lugar escolhido para desenvolver esse trabalho foi a cidade natal desses irmãos, Alpestre-RS. Além desse vínculo que já possuíam com a região, outros fatores motivaram essa escolha:

1. Parte da população rural foi atingida por uma barragem para uma usina hidrelétrica no Rio Uruguai, sendo forçados a abandonar suas terras por um valor módico de indenização e outros se viram “abandonados e esquecidos” pelo poder público;
2. A fertilidade da terra, sua belíssima paisagem, as fontes de água, um prédio público abandonado (a escola que hoje funciona como sede da UniPermacultura, através de um comodato estabelecido com o poder público);

Na permacultura é comum a busca em transformar problemas em soluções. Formularam uma hipótese: se existem pessoas atingidas socialmente em um lugar, que apesar de ser rico e fértil, está sofrendo com o êxodo rural, logo essas pessoas devem estar precisando de motivação para continuar em suas terras.

A hipótese precisava ser testada, para ter certeza de que havia espaço para inserir um projeto de repovoamento, promoção de educação prática e geração de renda com cultivos agroecológicos.

Então foram conversar com a comunidade e apresentar o projeto que pretendiam desenvolver nela, conversaram também com o poder público e apresentaram o projeto na Secretaria de Educação e na Prefeitura:

Documentário feito com os moradores de Dom José, Alpestre — RS

A proposta foi recebida como uma luz no fim do túnel para vários dos atores envolvidos e então teve início em março de 2015. Nesses dois anos de existência foram mais de 1.000 pessoas que vieram de todas as partes do Brasil e do mundo para participar dos cursos oferecidos, para voluntariar em diversas frentes de trabalho e para conhecer um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido.

Como proposta de repovoamento, idealizaram um projeto inovador com uma metodologia única para o desenvolvimento de uma ecovila, a Ecovila Dom José:

Projeto em 3D da Ecovila Dom José

Para a educação prática a UniPermacultura iniciou com cursos rápidos como o PDC — “Permaculture Design Certificate” que duram cerca de 8 dias, em janeiro de 2016 teve o “Primeiro Mutirão de Bioconstrução” e logo mais em março tiveram início os cursos maiores, diplomados. Todos esses cursos eram na modalidade presencial, realizados em Dom José, área rural de Alpestre-RS.

A UniPermacultura recebia muitas mensagens de pessoas interessadas em participar desses cursos sem a necessidade de vir morar na região, pediam por cursos online. No início deste ano de 2017, desenvolveram seus cursos na modalidade online e migraram seus alunos presenciais, que permaneceram interessados, para a plataforma EAD.

Diplomados Online

Uma preocupação muito forte com a saúde dos agricultores da comunidade devido à exposição aos agrotóxicos e agroquímicos utilizados nas suas produções, principalmente no tabaco, foi o start para desenvolverem projetos de extensão rural junto a parceiros como o Sindicato Rural, a Emater, a Casa Familiar Rural e a Secretaria da Agricultura de Alpestre e buscar uma transição para cultivos agroecológicos.

Primeiro foi feito um projeto piloto com o cultivo do tabaco agroecológico em pequena escala com alguns produtores que destinaram parte de sua terra para experimentar o plantio sem os insumos que achavam tão necessários. Logo após o êxito na colheita e na percepção do preço diferenciado, além da economia gerada notaram também que a saúde melhorou.

Hoje a UniPermacultura apoia a Tabacos Dom José, uma empresa criada para representar os produtos gerados de forma agroecológica pelos pequenos agricultores de Dom José. Uma das iniciativas para apoiar a produção agroecológica, não só do tabaco mas também de outras culturas foi a criação do Selo de Origem Agroecológico Alpestre Agroeco.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Jéssica Magalhães’s story.