Balança, mas não cai

América sofre para vencer o penúltimo colocado do grupo 3 e encaminha sua classificação para o mata-mata da Série D

Marcos Vinicius Ramos
Aug 15 · 3 min read
(Foto: Gabriel Leite/UDE)

América e Caucaia protagonizaram um jogo de 6 gols marcados, mas não se engane, o placar passou longe de ser uma goleada por parte do clube potiguar, que sofreu para conquistar os três os pontos na Arena das Dunas.

Em um empate amargo até 30 minutos do segundo tempo, Renatinho Potiguar e seus comandados estavam perto de deixar de conquistar três pontos importantes na Série D. Até àquele momento, o placar marcava 2 a 2 e o Caucaia, que tinha tudo para ser uma presa fácil, conseguiu segurar um América digno de uma sexta-feira 13 depois do intervalo.

Assistir o América após a volta dos vestiários foi difícil, ainda mais com a alteração duvidosa do técnico americano, quando trocou Elvinho por Wiliam Daltro, a substituição de tirar um meia atacante e colocar um volante atestava que o América temia um resultado pior dentro de casa contra uma equipe que não exigia toda esta proteção defensiva por parte do clube potiguar.

Toda esta preocupação aconteceu após o América estar vencendo por 2 a 0, com gols de Alvinho e Esquerdinha, e tomar o empate do time cearense, que balançou a rede de Samuel Pires com Vanderlan e Wilker, que marcou no último lance do primeiro tempo e fez o comandante alvirrubro sentir o duro golpe antes da ida aos vestiários e distribuir confiança para a equipe visitante.

Lembra dos 30 minutos do segundo tempo do América digno de uma sexta-feira 13? Todo esse retrospecto negativo na partida ficou em segundo plano com a entrada de Patrick Allan, que logo deu seu cartão de visita ao entrar em campo com um belíssimo gol de falta.

A vantagem no placar tranquilizou os comandados de Renatinho Potiguar que colocaram a cabeça no lugar e até ampliaram com Alvinho, escolhido o craque da partida pela a equipe da Rádio Universitária, e fecharam o marcador em 4 a 2, na abertura da 11ª rodada da Série D.

O duelo serve de lição para o América que até fez um bom começo de jogo, quando abriu 2 a 0, mas pecou em não ter ambição de ampliar o placar contra a defesa mais vazada do campeonato e por muito pouco não passou um vexame em seus domínios.

Porém, já dizia aquele velho ditado popular, há males que vem para o bem, e o lado bom disso é que o América chega para o Clássico Rei com a atenção redobrada na tentativa de não repetir os mesmos erros, porque eles podem custar caro diante do ABC, que lidera o grupo 3.

(Foto: Gabriel Leite/UDE)

Universidade do Esporte

Universidade do Esporte

Universidade do Esporte

Universidade do Esporte