O determinado:

Carlos joga os objetos no chão, retira sua camisa do armário e senta-se no chão.

Carlos: Claro que não papai, todas as coisas estão determinadas…

Tiago: Em qual perspectiva?

Carlos: Ora essa! Na perspectiva… perspectiva? Que perspectiva?

Tiago: Já pensou que toda coisa dita deveria ser pensada ao menos três vezes…

Carlos: Ora pai. Pensar é coisa de gente confusa… frescura… frescura tua pai… pra quê pensar? Pra cair no mar e depois reclamar que não dá pra voltar?

Tiago: O que você entende por voltar?

Carlos: Voltar? Ah! Não vem com essa não… Você ouviu a frase e já quer me deixar confuso… Como eu disse, tudo é determinado… Tudo caminha pro abismo e não tem volta… tudo cai…

Tiago: E de onde você tirou isso? Quem te disse?

Carlos: Interessa quem disse? Num é verdade? Isso me basta…

Tiago: E o que é a verdade?

Carlos: Hoje você está querendo me pôr na cruz… Já veio me encurralar com perguntas… Vai querer mais o que?

Tiago: O que é a verdade?

Carlos: Verdade?

Tiago: Sim! Isso mesmo… O que é a verdade?

Carlos: Não sei… Mas é que hoje eu ouvi dizer, assim, sabe… Pau que nasce torto nunca se endireita… Você nasceu assim… Puxou ao pai, puxou a mãe… Você quer o que, que eu acredite numa mudança impossível?

Tiago: Essas pessoas acham que são o que? Deuses?

Carlos: Ah! Pai, todos falam isso…

Tiago: Um dia todos achavam que a terra era parada e plana… Por isso ela nunca parou de girar….

Carlos: E eu sou como a terra?

Tiago: Todos, eu e você, todos nós somos como a terra…

Carlos: Como assim?

Tiago: Como a terra, nossa verdade permanece oculta a olhos vistos… Todos nós temos um segredo… ou melhor… somos um segredo… mas um dia tudo foi soterrado…,

Carlos: Quer dizer que sou terra de enterro…

Tiago: Mais ou menos isso… No começo nossa verdade parece transparente, mas aos poucos é enterrada por todas essas coisas que nos dizem… No começo nosso eu brilha, depois ele se apaga para sempre, até que algo nos desenterre… Na maioria das pessoas o reaparecer só ocorre depois da morte… Mas você pode fazer isso agora, se resolver não desistir…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.