10 filmes europeus incríveis disponíveis na Netflix

Como uma opção para o seu final de semana, separei 10 filmes europeus que acho incríveis, e que (até a data dessa postagem) estão disponíveis no Netflix.

movietripa

Saindo um pouco do eixo de Hollywood, ainda é complicado encontrar filmes europeus sem fazer um mínimo de esforço. Os filmes “Hollywoodianos” são mais fáceis de encontrar e de comentar com amigos, e certamente eles estão bem mais a disposição do que qualquer filme Europeu. Isso deveria mudar, não é mesmo?

Alguns cinemas em São Paulo (como o Cine Belas Artes e o Reserva Cultural) tentam prestigiar filmes do mundo todo, e essa parece ser uma característica bem singular do que hoje podemos categorizar como “cinemas de rua”. Canais da TV fechada como MAX e MAIS GLOBOSAT difundem séries e filmes europeus, incluindo asiáticos e também latino-americanos. Mas assim mesmo o Cinema Europeu ainda não chega a ser tão popular quanto os de Hollywood.

Ainda bem que o streaming existe e o popularíssimo Netflix pode nos ajudar na pequena tarefa de “separar” esses títulos. Também acho interessante se pudessem existir filtros de filmes e séries por país dentro da plataforma. Seria “pedagógico”, pois é interessante conhecer outras culturas através de filmes, sabendo a origem de cada um antes mesmo de assistí-lo.

Como uma opção para o seu final de semana, separei 10 filmes europeus que acho incríveis, e que (até a data dessa postagem) estão disponíveis no Netflix. Não coloquei em ordem de importância e me desculpem se esqueci de algum, ok? Mas não tem como colocar todos — acreditem, existem muitos filmes europeus no Netflix. É uma boa oportunidade para fazer essa pesquisa. Enjoy!

1 — O GRUPO BAADER-MEINHOF (Der Baader Meinhof Komplex; Alemanha. 2008)

snapshot20100314182516

Baseado no best-seller de mesmo nome, o filme conta a história dos primeiros anos do grupo de extrema-esquerda Fração do Exército Vermelho (RAF), também conhecido como Baader-Meinhof. Através de atentados, roubos e assassinatos, o grupo criou nos anos 70 uma guerrilha urbana contra o governo da então Alemanha Ocidental. Historicamente rico, para mim é a melhor representação cinematográfica para os grupos revolucionários de extrema esquerda, que ficaram muito conhecidos no período da Guerra Fria.

2 — AZUL É A COR MAIS QUENTE (La Vie d’Adèle; França. 2013)

screen-shot-2013-08-16-at-3-29-45-pm

Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma estudante do colegial, que começa a se relacionar com o jovem Thomas, mas não se sente completa ao lado dele. Ela então descobre em Emma (Léa Seydoux, a de cabelos azuis), sua primeira paixão por outra mulher. O Filme é baseado em uma HQ homônima e tem temática LGBT. Foi muito aclamado pela crítica em 2013 e também chamou atenção pelas cenas de nudez e sexo explícito.

3 — A ONDA (Die Welle; Alemanha. 2008)

onda_04-1

“A Onda” é inspirado também em um livro homônimo de 1981 do autor americano Todd Strasser e no experimento social da Terceira Onda, que foi um fato real acontecido nos Estados Unidos. O filme obteve sucesso nas bilheterias alemãs e depois de dez semanas, 2,5 milhões de pessoas haviam assistido. Também foi extremamente aclamado no mundo todo, polarizando muitas discussões, principalmente em meios acadêmicos.

4. EL CUERPO (El Cuerpo; Espanha. 2012)

elcuerpo

O corpo de uma mulher (Belén Rueda) desaparece misteriosamente do necrotério sem deixar qualquer vestígio. O Inspetor Jaime Peña (José Coronado) investiga o estranho acontecimento com a ajuda de Alex Ulloa (Hugo Silva), o viúvo da mulher desaparecida.

“El Cuerpo” é um grande filme de investigação policial, com um roteiro impecável e nada clichê. Muitas vezes o filme lembra em qualidade os filmes de investigação escandinavos.

5 — FOUR LIONS ( Four Lions; Inglaterra. 2010)

FourLions3

Esse é meu segundo filme predileto da lista (depois deDer Baader Meinhof Komplex). Tive uma surpresa grande em assistí-lo. É um filme de comédia (mais precisamente de humor negro) que fala da cultura terrorista dos “homens bomba”, que desde cedo são ensinados a se sacrificar por conta de ideais religiosos. É uma completa piada, interessante e criativa sátira ao fundamentalismo religioso. A temática é bastante atual, apesar do filme ser de 2010.

6 — OS FALSÁRIOS (Die Fälscher; Austria, Alemanha. 2007)

os-falsarios

História real da maior operação de falsificação de todos os tempos, promovida pelos nazistas em 1936. Apesar de muitos acharem que o assunto do nazismo é clichê e muito explorado, esse filme é importante, pois retrata como os judeus com especialidades recebiam tratamento “diferenciado”, diante de tantos horrores causados pelo nazismo.

7 — IDA (Ida; Polônia, Dinamarca. 2013)

ida_13

Anna é uma órfã criada por freiras. Ela vai visitar Wanda, o único parente vivo. Na visita, a tia diz a Anna que ela é judia, então as duas iniciam uma viagem, não só para encontrar a sua trágica história de família, mas para saber quem elas realmente são e aonde pertencem.

Filme extremamente poético e com fotografia em PB, expressando um tom de melancolia sem igual. É certamente o filme mais elegante dessa lista. Com o roteiro muito bem escrito, a narrativa tenta fazer uma abordagem diferente para os impactos do horror e da experiência nazista. É um filme bem reflexivo, bonito e frio.

8 — A VIDA É BELA (La vita è bella; Itália. 2005)

La-vita-è-bella-07-1200x675

Na Itália, durante a Segunda Guerra Mundial, Guido, um judeu, é mandado para um campo de concentração, juntamente com seu filho, o pequeno Giosuè. Guido é um homem simples, inteligente, espirituoso e possui um grande humor. Por ser um pai amoroso, consegue fazer com que seu filho acredite que ambos estão participando de um jogo, sem que o menino perceba o horror no qual estão inseridos.

Apesar de muitos criticarem o estilo de humor de Benigni, eu o considero um mestre do gênero “comédia dramática”. Ele nitidamente é influenciado por Charles Chaplin, o que torna um autor extremamente inteligente. É um filme que te faz rir e chorar, essencial. “A Vida é Bela” teve 7 indicações e ganhou três prêmios no Oscar; melhor filme estrangeiro, melhor trilha sonora e melhor ator.

9 — TUDO SOBRE MINHA MÃE (Todo Sobre Mi Madre; Espanha. 1999)

Cecilia-Roth-madre_115499583_3397963_1706x960

O filme conta a história de Esteban, que é um jovem de 17 anos que está escrevendo uma história chamada “Tudo Sobre Minha Mãe”. No dia do seu aniversário, a mãe ia lhe contar tudo sobre seu pai, desconhecido para o menino. Mas algo impede que isso aconteça, dando um rumo completamente diferente a história. É um filme que mostra as relações humanas com muita genuinidade e trata o tema da transexualidade com muita delicadeza, apesar de não ser o centro da trama. Em 2000 ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro

Certamente não iria faltar um filme do Almodóvar nessa lista. A delicadeza em como o diretor retrata as mulheres e a forma como que suas tramas são construídas são extremamente diferenciadas. Por isso é considerado um dos melhores diretores do mundo.

10 — TREM NOTURNO PARA LISBOA (Night Train to Lisbon; Portugal, Suíça. 2013)

UNDATED - Photo of NTTL_00403_1 Melanie Laurent (L) and Jeremy Irons (R) star in Night Train to Lisbon Directed by Billie August. Photo courtesy of Pacific Northwest Pictures. HANDOUT PHOTOS

Raimund Gregorius, um professor suíço, abandona sua vida de palestras e ensinamentos após apaixonar-se pela língua portuguesa e por um livro de Amadeu do Prado, autor desconhecido. O professor acaba viajando para Portugal, numa jornada marcada por intensidade e autoconhecimento.

É um filme sensível e poético, que retrata com maestria a beleza presente na cidade de Lisboa. Também tem atores de peso, como Jeremy Irons e Charlotte Rampling. É uma bela opção, se você procura um filme mais filosófico.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.