Por que eu deveria aprender programação funcional?

Fala, gente! Hoje a ideia é explicar o motivo pelo qual todo desenvolvedor deveria aprender sobre programação funcional.

Pois bem, se você já está no mercado ou ainda está procurando o seu primeiro emprego como desenvolvedor, tenho certeza que isso vai te ajudar a entender a importância de ter o conhecimento sobre Programação Funcional o quanto antes.

Antes de falar sobre Programação Funcional, vou resumir minha história como desenvolvedor, e que eu acredito que deve ser muito parecida com a sua.

Pois bem, eu comecei a programar em 1998, quando entrei para um Curso Técnico em Informática aqui no interior da Bahia e, lá, conheci sobre algoritmos e fiz os primeiros softwares com linguagem C, Pascal e Clipper. Na sequência, aprendi Delphi, ainda no mesmo curso, mas até então não sabia o que era Programação Orientada a Objetos e usava o Delphi com os mesmos princípios e conceitos que aprendi quando estudei Pascal e C. Naquela época, não tínhamos a facilidade da Internet para pesquisar e aprender, pois praticamente todas as pesquisas eram feitas em livros, e muitos deles só quando eram lançados em português. Foi por isso que só vim aprender Programação Orientada a Objetos, "de verdade", alguns anos depois, quando dei os primeiros passos com Java e aí consegui fazer o “link do entendimento" com as classes do Delphi e tirar proveito do que realmente se tratava a linguagem/ferramenta.

Daí em diante, conheci diversas linguagens, IDE’s, frameworks, etc. E após entender de verdade acerca da Programação Orientada a Objetos e suas dezenas de padrões, comecei a me questionar se a programação deveria ser assim, “cheia de padrões”… Não que isso seja ruim, mas eu tentei imaginar algo que de fato fosse mais simples. Bom, entre uma pesquisada e outra, vi pessoas comentando sobre a tão famosa Programação Funcional e então resolvi investir um tempo para entender do que se tratava.

Ao começar os estudos, vi que a tal Programação Funcional não era algo novo, mas que só agora começava a de fato engrenar. E foi melhor ainda quando descobri que havia uma linguagem chamada Elixir, “prima” do Ruby, que era funcional. Daí embarquei de vez, pois, como todos sabem, minhas raízes em Ruby são bem fortes e isso facilitaria bastante o meu aprendizado.

O melhor disso tudo foi que comecei a redescobrir muita coisa devido ao “pensamento funcional” da linguagem (tenho escrito sobre isso aqui mesmo no Medium — https://medium.com/v%C3%ADdeos-de-ti/tagged/elixir), e melhor ainda, percebi que programar de forma funcional traz de volta a simplicidade que eu tanto esperava.

Nesse ponto, percebi que, de fato, entender um novo paradigma faz toda diferença na vida do desenvolvedor, pois conhecer uma nova linguagem que usa o mesmo paradigma só vai te fazer aprender uma nova sintaxe e não uma nova forma de pensar, e é exatamente isso que o paradigma funcional te traz.

Enfim, após entender os princípios da Programação Funcional, comecei a perceber que a grande maioria das pessoas começa a estudá-la de forma bem equivocada devido à grande pulverização de informações hoje encontradas na Internet, e pior, muitas vezes aplicadas a uma linguagem não funcional, o que não é errado, mas, na minha visão, dificulta um pouco mais o aprendizado.

Vendo tudo isso, resolvi criar um curso justamente para te ajudar a desmistificar toda essa aura que ronda a Programação Funcional, guiando, assim, quem quiser entender de verdade do que ela se trata. Então criei coragem e comecei a gravar um curso com esse intuito.

Bom, alguns já conhecem minha metodologia de ensino pelos mais de 10 cursos e mais de 15 mil alunos que hoje me acompanham. E, com esse curso, não foi diferente, pois foi feito de forma especial, com toda a experiência que tenho acumulado com as milhares de horas de aulas que já ministrei. Tudo cuidadosamente pensado para melhor entendimento e aprendizado do aluno.

Enfim, acho que aqui cabe uma pergunta… Você gostaria aprender Programação Funcional? Bom, se você chegou a ler até aqui, acredito que sim, não é mesmo?

Pois bem, se você está disposto a aprender e eu te disser que o valor desse curso custa menos que uma oferta BigMac por mês, o que você me diria?

Bom, se você achou barato, acredito que já entendeu que conhecimento de forma clara e organizada é algo escasso e que investir o valor de um lanche por mês não é praticamente nada para o benefício que esse curso vai te trazer.

Mas, antes de falar para quem achou caro, queria trazer alguns dados que uma vez me foi passado quando afirmei, em uma conversa, que R$ 100,00 por hora era um ótimo salário para um programador/desenvolvedor.

Vamos lá. Quanto é uma consulta com um médico aí na sua cidade? R$ 80,00? R$ 100,00? Bom, aqui na minha cidade, gira em torno de R$ 230,00 uma consulta que, em média, dura 15 minutos. Isso mesmo, não é um valor barato, mas vejo diariamente pessoas formando filas para pagar o quanto for preciso para ser consultado. Isso ocorre, na minha visão, por dois motivos, o primeiro é que o profissional é qualificado e todos têm a plena certeza que ele vai ajudar a resolver seus problemas, e o segundo motivo é que o valor, que neste caso é R$ 230,00 por 15 minutos, não é nada se comparado ao benefício que ele vai trazer. Entende? Percebe agora que R$ 100/h é um valor relativamente baixo para um desenvolvedor, quando comparado a outras profissões. É óbvio que isso varia de local, cidade, expertise do profissional, etc… mas acho que você entendeu o cerne da questão. Sendo assim, acho que ser “caro”, neste caso, cai por terra, não é mesmo? Afinal, o que é um lanche comparado ao conhecimento que pode mudar sua forma de pensar?

Bom, acho que é isso. Se você se interessou pelo curso, abaixo tem um link com um cupom de 10% desconto, podendo, ainda, ser parcelado em até 6x sem juros, o que daria um lanche por mês, ok?

Um forte abraço e te espero lá! ;-)