A importância dos socialistas de iPhone

photo by Mary Bettini Blank

Sim, é verdade que o iPhone é o símbolo máximo do capitalismo, a vaidade fútil de algo que custa o dobro apenas pelo luxo de ter o logotipo de uma maçã. Um produto que não combina em absoluto com os ideais socialistas, mas será o socialista de iPhone um problema?

O mal da esquerda, como de todas as ideologias, é ser lembrada por seus maus exemplos. Fidel foi tão socialista quanto o apoio da URSS era importante para ele se manter no poder, e a própria URSS era tão socialista, quanto eram grandes os privilégios de seus líderes. Dessa ótica, um adolescente com um iPhone e uma camiseta de Che Guevara, pode não ser coerente com o ideal socialista, mas condiz com a coleção de Rolex do líder caribenho.

Esquerdistas fecham os olhos para as contradições de Che e Fidel, colocando-os em um pedestal de ideal humanista, assim como os exemplos russo ou mesmo chinês, apesar de todos eles reprimirem liberdades individuais e praticarem políticas expansionistas, seja com invasões deliberadas a nações vizinhas, seja pelo poder econômico sobre a África, Ásia e até a América Latina, comprando aliados e fortalecendo ditaduras.

A Revolução Russa tem um valor histórico e ideológico indiscutível e, assim como a Revolução Francesa, trouxe muitas mortes e poucos avanços imediatos. A consciência de classes foi exportada para o mundo, o sindicalismo ganhou força, e os ricos tremeram pela primeira vez diante do poder das massas. Porém, levou tempo até que a França atingisse altos índices de desenvolvimento generalizado (em parte, às custas de suas diversas colônias), enquanto que a Rússia, parece ter desprezado todos os ideais de sua própria revolução, restando desses tempos, apenas o autoritarismo.

Isso não significa que faltem bons exemplos para a esquerda, pelo contrário, os avanços sociais dos países ricos se devem a políticas de bem-estar social, implementadas com o fim da Segunda Guerra. Apesar de ainda possuírem graves desigualdades, hoje são democracias fortes, com oferta universal de educação e saúde. Não fosse por políticas de esquerda, o agressivo capitalismo embrionário poderia ainda ser uma realidade, como acontece na China e outras nações de industrialização tardia.

Não há exagero em supor que o socialismo influenciou beneficamente a nossa sociedade contemporânea. O erro, como sempre, está nos extremos. Seja de direita ou de esquerda, o extremismo só favorece àqueles diretamente envolvidos com as lideranças, sejam os ricos conservadores, sejam os revolucionários que tomam o poder em benefício próprio. O equilíbrio entre esquerda e direita é a chave para conquistar uma sociedade mais justa.

Sim, é verdade que o estudante de iPhone e camiseta de Che não se considera de esquerda moderada, mas um socialista, ou até mesmo um comunista. No mínimo, isso é um problema de interpretação de texto, e no máximo, um problema crônico das privilegiadas lideranças socialistas.

Ainda assim, o socialista de iPhone pode ser o que a sociedade precisa agora. Alguém das elites, que está disposto a enfrentar os abusos do capitalismo, mesmo que não se identifique com eles e que não esteja disposto a abrir mão de seus luxos. A sua postura é uma contradição, mas também é um importante primeiro passo.

Que seja um hipócrita convicto, até que se torne um hipócrita comprometido.