Porque não excluir um babaca do seu Facebook

photo by Nick Fewings

Não basta acordar todos os dias e encontrar uma dezena de mensagens de “Bom dia” e mais uma centena de vídeos não solicitados no WhatsApp, ao abrir o Facebook precisamos lidar com discursos enfurecidos clamando pela segurança das armas de fogo (ego engrandecido por um revólver), o fim das feminazis (igualdade de gênero), a cristofobia (taxação das igrejas) e a liberdade de expressão (homofobia).

As redes sociais têm o poder de reunir todos os babacas do mundo em um só lugar, onde eles descobrem que são muitos, se organizam, reproduzem, e até elegem um presidente. Entoando discursos apocalípticos, patrióticos e de ódio a praticamente qualquer coisa que se mova, os babacas conquistam espaço e dominam o cenário, seja político ou simplesmente do seu feed.

A definição de babaca é “tolo, simplório”, mas é também uma ofensa genérica, que pode ser usada de muitas formas. Para mim, babaca é todo tipo de intolerante, enquanto que para você, eu posso ser um exemplo perfeito desse cara. O importante é que para esse breve comentário, todos os babacas servem.

Irritados com a capacidade impressionante que o mundo tem de gerar babacas, cada dia mais pessoas querem se livrar deles. Defendem que a posição política de uma pessoa define seu caráter, e que babacas devem ser excluídos de suas contas por mera incompatibilidade. É como a conclusão implícita do livro “Como Conversar Com Um Fascista” de Marcia Tiburi, que no final das contas deveria se chamar (SPOILER) “Não Perca Tempo Tentando Conversar Com Um Fascista”.

Sim, é difícil conversar com um babaca, mas o problema é que afastá-lo não o torna menos babaca, apenas se livra dele, de uma forma quase tão babaca quanto.

Pense no babaca. Mais do que isso, pense em porque ele se tornou um babaca. No caso do meu tipo de babaca (o intolerante) ele muito provavelmente está cercado de gente que ditou dogmas, o ensinou que todas as opiniões diferentes da sua são erradas, e que culpar os outros pelos seus próprios problemas é uma boa ideia. O babaca sempre tem ao seu lado apoiadores babacas, incentivando-o com suas próprias babaquices.

Muitas vezes, a única coisa que os impede de se tornarem babacas ainda piores, é a mínima parcela de influência positiva que eles recebem de suas redes de amigos. Talvez isso seja o suficiente para que eles não se tornem mais perigosos do que as suas palavras normalmente são.

Por isso, adote um babaca. Seja conciliador e sucinto (babacas não gostam de textão), e se possível, seja um bom amigo e se aproxime do babaca ao invés de afastá-lo. No mínimo, o mantenha em sua rede de amigos, recebendo seus posts compartilhados, que de alguma forma podem influenciá-lo. Quem sabe você descobre que ele nem é tão babaca assim e pode até concordar com você em alguma coisa.

Diversidade não é apenas o que agrada, é também ter muitos babacas por perto.