Acessibilidade web: sua importância e impacto social

Definir acessibilidade não é tão simples, principalmente por esse assunto ainda ser pouco discutido em quase todas as áreas. Mas, uma boa forma de construir conhecimento sobre o assunto é pensar que a acessibilidade é a possibilidade de todas as pessoas, independentemente de suas capacidades físico-motoras, perceptivas, culturais e sociais, usufruir dos benefícios de uma vida em sociedade. Isso significa que a acessibilidade permite que todas as pessoas possam participar de todas atividades, até as que incluem o uso de produtos, serviços e informação, com o mínimo possível de barreiras.

As barreiras de acessibilidade estão presentes em todos os contextos, sejam em ambientes físicos, onde os problemas em sua maioria, estão ligados aos problemas arquitetônicos, muitas vezes impedindo e impactando a autonomia e a segurança dos usuários. Existem também as barreiras de acessibilidade tecnológicas. Um exemplo desse problema é a falta de disponibilidade de conteúdos para todos, independentemente de se possuir ou não alguma deficiência. Essa preocupação em projetar algo para todos é abordada pelo conceito de Design Universal, que visa projetar um produto ou um ambiente para ser usável por todas as pessoas, respeitando a diversidade humana e promovendo a inclusão de todas as pessoas em todas as atividades da vida.

Como muitas atividades da sociedade contemporânea estão ligadas ao acesso à web, é de se esperar que os conceitos de Design Universal e de acessibilidade sejam aplicados a esse ambiente. Uma caracteristica importante é que a web é um importante meio de comunicação que promove a movimentação de informações rapidamente sem que as pessoas precisem se deslocar fisicamente. Considerando esses fatores, a falta de acessibilidade na web é, sem dúvida, uma importante barreira de acessibilidade. Alguns autores que pesquisam sobre a acessibilidade a algum tempo, afirmam que especificamente para a web, a acessibilidade significa que as pessoas com deficiência possam percebê-la, compreendê-la, navegar por ela, interagir com ela e até mesmo contribuir com ela. Do ponto de vista técnico, a acessibilidade na web corresponde a tornar possível, a qualquer usuário, o entendimento e a interação com um website ou sistema web, apesar de deficiências, diversidade de línguas ou restrições tecnológicas.

Para contextualizar o tamanho do problema e o impacto da acessibilidade, vale considerar, segundo o Censo 2010, que no Brasil 23,9% (45,6 milhões de pessoas) da população possuía pelo menos uma das deficiências investigadas na pesquisa: visual, auditiva, motora e mental ou intelectual. Nesse aspecto social, criar páginas e sistemas web acessíveis pode contribuir para romper barreiras de acesso a informação, facilitando a inclusão de uma parcela significativa da população.

É importante considerar que os benefícios de criar sistemas e páginas acessíveis não são reconhecidos apenas pelos deficientes, mas também por usuários com limites de acesso e pessoas com deficiências temporárias. Isso ocorre, pois as especificações de acessibilidade tornam o website tecnicamente melhor desenvolvido, o que contribui para que o conteúdo seja melhor utilizado por todos.Tendo em vista os benefícios sociais e técnicos da adoção de aspectos de acessibilidade, deve-se questionar os motivos pelos quais, com frequência, esses aspectos não estão presentes nos websites. O fato é que a acessibilidade não é um assunto bem difundido entre os desenvolvedores. Este problema pode estar relacionado à baixa abordagem do assunto durante o ensino ou à falta de sensibilidade para com as necessidades dos deficientes.

Há muitas formas para o desenvolvedor garantir que seu website seja acessível. Uma delas é lançar mão de ferramentas automatizadas que validem regras e identifiquem falhas de acessibilidade. As mais conhecidas são: AChecker, DaSilva, Hera, Examinator, entre outras. Todas checam recomendações internacionais (WCAG 1.0 e WCAG 2.0). Por conta de todas as possibilidades (são muitas!), elas serão assunto para um próximo texto. Mesmo com essas ferramentas, vale lembrar que a execução de testes colabora com os desenvolvedores na identificação dos problemas, mas somente um estudo aprofundado sobre o assunto pode garantir a eficácia e ajudar a encontrar defeitos e propor soluções.