1° WorkShop Virtual JUST RUN — 1° Tópico: Exames

Postado originalmente por Jeison Costa para comunidade Just RUN do Orkut, em 03/01/2007

- Qual a importância dos exames?

Antes de iniciar qualquer atividade física, o indivíduo deve procurar um médico e avaliar, por meio de exames clínicos, o seu estado de saúde. Feito isso, se possível, deve procurar a orientação de um profissional de educação física, que, baseado nos testes, montará uma série específica de exercícios para o futuro atleta. Tudo de forma gradual.

É essencial que se faça exames antes da prática da atividade física para identificar possíveis doenças ou limitações físicas que impeçam a prática da corrida, descobrir o estado nutricional do corredor, verificar se ele usa medicamentos e qual o seu nível de condicionamento físico. Em última instância, a soma desses resultados vai determinar como será a planilha de treinamentos. Todo exame se inicia pela consulta médica e, pensando em atividade física, ela deve ser feita com um médico do esporte para um exame clínico e do aparelho locomotor. Baseado nesta análise inicial, o médico pode solicitar exames complementares, como o teste ergométrico de esforço.

Os exames têm importância vital na construção de um treinamento eficaz, pois é através deles que encontramos valores importantes como Freqüência Cardíaca Máxima (FC Máx), VO2 Máx, Limiar de lactato entre outros valores importantes.

Tb é de extrema importância para se saber como anda o coração, pois será um dos órgãos mais exigidos nos treinamentos.

- Quais os exames recomendados?

• Teste Ergométrico — É um procedimento clínico, onde o paciente executa caminhada e/ou corrida em esteira rolante (pode ser executado em cicloergômetro, mas é menos freqüente) e o objetivo é avaliar o funcionamento do coração através do eletrocardiógrafo, um aparelho que registra as ondas elétricas emitidas durante o funcionamento do coração. É uma avaliação extremamente importante e somente um médico cardiologista pode supervisiona-la. Através do teste ergométrico é possível investigar se o paciente apresenta alguma anomalia cardíaca que poderá coloca-lo em risco durante a atividade física. Além do eletrocardiograma, monitora-se a pressão arterial em repouso e durante todo o teste, o que permite avaliar o funcionamento do sistema cardiovascular como um todo. Assim, é possível detectar respostas hipertensivas e outros tipos de problemas. Enfim, o teste ergométrico serve para avaliar a saúde e não o desempenho.

• Teste Ergoespirométrico — Permite avaliar o potencial aeróbio e identificar as zonas ideais para treinamento aeróbio leve, moderado e máximo. Geralmente é executado simultaneamente com o teste ergométrico, através da utilização de um analisador de gases, o qual é acoplado através de uma máscara no rosto do paciente e possui um sensor extremamente sensível, que detecta inúmeras variáveis ventilatórias, como o consumo máximo de oxigênio, mais conhecido por VO2max. Apesar de muitos acharem que o VO2max é o dado mais importante obtido através da ergoespirometria, as informações mais relevantes para o atleta são o Limiar Ventilatório I (também conhecido por Limiar Anaeróbio) e o Limiar Ventilatório II (também conhecido por Ponto de Compensação Respiratória), pois indicam as zonas ideais para treinamento aeróbio. Todavia, o VO2max serve para que o atleta obtenha uma informação acerca de seu potencial para provas de longa duração.

• Exames cardiovasculares com o perfil do metabolismo, níveis de colesterol, glicose e pressão arterial. O exame mede também a capacidade física e verifica possíveis problemas cardiovasculares ou fatores de risco, como hipertensão e diabetes, que podem desencadear doenças cardíacas mais graves.

• Avaliações de IMC (Índice de massa Corporal) — gordura corporal e muscularidade, é encima desses valores que treinadores e alunos irão traçar os objetivos com a corrida e como será a metodologia implantada.

- Quais os valores a serem encontrados?

•FREQÜÊNCIA BASAL: é a freqüência cardíaca ao acordar (em repouso). O aumento da freqüência basal é indicativo de cansaço ou resfriado. O importante é acompanhar a variação deste indicador. Para medi-la, verifique seus batimentos cardíacos em 30” e multiplique por 2. Não é necessário tirá-la na cama, o fundamental é estabelecer uma rotina para acompanhá-la.

• FC Máx (Freqüência Cardíaca Máxima) — Essa talvez seja a forma mais usada e mais útil de determinar a intensidade de um exercício. Esse método baseia-se no princípio de que existe uma relação direta entre o aumento de sua frequência cardíaca e a intensidade do exercício.

• VO2 Máx — VO2 máx mede o volume máximo que uma pessoa é capaz de absorver de oxigênio em um minuto. Ele é um dos referenciais da capacidade que o atleta tem de se manter em exercício aeróbio por mais tempo, ou seja, de correr provas de longa duração.Quem tem VO2 máximo alto tende a se dar melhor em provas de fundo. Os vencedores dessa modalidade têm VO2 máx acima de 70 ml/kg/min, o que é bem alto se comparado à média dos sedentários, que é de 40 ml/kg/min. Velocistas não precisam se preocupar tanto com essa medida, porque competem principalmente em exercício anaeróbio. O VO2 máx também obedece aos padrões genéticos. Ele pode ser melhorado com a prática de exercícios, mas tem um limite. Quando começa a treinar, a pessoa consegue aumentar seu VO2 máx em 5% a 15%. Depois, o valor praticamente estaciona em um patamar.

•Limiar de Lactato VO2 — Limiar de lactato Vo2 é a maior taxa na qual você pode usar oxigênio antes do ácido láctico acumular nos seus músculos e sangue.

•LIMIAR AERÓBIO OU LIMIAR ANAERÓBIO(L1): freqüência cardíaca em que o corredor passa a fazer o exercício aeróbio, ou seja, com energia predominantemente gerada com o uso de oxigênio do ambiente ao mesmo tempo em que remove o ácido lático que se armazena em alguns grupos musculares durante o exercício.

• LIMIAR ANAERÓBIO (L2): ponto em que a geração de energia em processo anaeróbio supera o aeróbio, a produção de lactado passa a ser maior do que a capacidade do corpo de removê-lo.

- Como utilizar esses valores!?

Através dos valores encontrados nos exames realizados teremos como controlar nosso limite máximo de treinamento, um dos valores mais fáceis de ser utilizados como base para treinamentos é a FC Máx, pois temos como controlá-la por monitores cardíacos ou manualmente.

Todo o treinamento deve seguir uma metodologia e para cada objetivo desejado existe uma metodologia de treino ideal para se seguir e essa metodologia normalmente é montada encima do valor da FC Máx do atleta, ou seja, se o objetivo é perda de peso, a metodologia de treinamento irá trabalhar dentro de uma faixa de FC Máx específica para isso, se o objetivo for performance, a metodologia de treinamento será montada trabalhando hora dentro do limiar AERÓBIO e hora no ANAERÓBIO, fazendo assim que exista uma ganho de performance.

O VO2 Máx serve com um ótimo parâmetro de evolução e tb para se traçar os objetivos do atleta, é interessante que se faça um exame periódico para verificar a evolução do VO2 Máx, porém com os valores em mãos o atleta tem como direcionar seu treinamento para competições de fundo ou competições de velocidade.

- Qual a importância de se respeitar esses valores

Todo o atleta tem um limite e é de extrema importância que esses limites sejam respeitados.
 Através dos exames realizados treinador e atleta terão como ter um limitador a fins de visar sempre a integridade física do atleta e a qualidade de vida, pois além de se buscar no esporte o prazer, a competitividade e a estética muitas vezes o que mais ele deve proporcionar é uma melhor qualidade de vida a todos.

Fontes Pesquisadas:

BIESEK, Simone et al. Estratégias de Nutrição e Suplementação no Esporte. São Paulo: Manole, 2005.

MCARDLE, William D. et al. Fisiologia do Exercício — Energia, Nutrição e Desempenho Humano. 5.ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2001.

MARINHO, M.J.: Prevenção de lesões Esportivas: um programa profilático de lesões da articulação do joelho. 1998. 107f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) Universidade de La Habana, Habana.

FOSS, M.L.; KETEYIAN, S.J. Bases Fisiológicas do Exercício e do Esporte. 6ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2000.

Site: http://www.webrun.com.br

Site: www.revistao2.com.br

Abraços e bons treinos a todos!!!!

Aviso: o conteúdo acima foi retirado da extinta rede social chamada Orkut, está sendo postada aqui no Medium seguindo minha ideia de preservar materiais de qualidade produzidos na internet. O autor original foi notificado e autorizou a postagem. Vale lembrar que o texto foi elaborado em 2007 (antes do novo acordo ortográfico) e, como se trata de um texto postado em um ambiente mais informal da internet, pode conter abreviações características deste meio.

1° WorkShop Virtual JUST RUN — 2° Tópico: Objetivos

1° WorkShop Virtual JUST RUN — 3° Tópico: Alimentação

1° WorkShop Virtual JUST RUN — 4° Tópico: Começando a Correr

Sobre o autor: Você pode encontrar mais informações sobre o ultramaratonista Jeison Costa nos links abaixo:

www.facebook.com/jeisondcosta

http://jeisoncosta.blogspot.com.br/