Os mandamentos da cozinha italiana

Na Itália, a culinária é um tipo de religião. Até mesmo os menos puritanos se sentem escandalizados quando alguém comete uma dessas gafes.

Quando te perguntam sobre a culinária italiana o que vem logo na sua cabeça? Pizza, lasanha, spaghetti, molho a bolonhesa, toalha de mesa quadriculada, queijo parmesão ralado, um bom café expresso, etc. É a culinária mais famosa do mundo e faz jus a esse título. Mas tem muitas coisas que você achava que era típico italiano e no fim não passa de um mito. E se você está pensando em visitar a Itália é bom dar uma olhada nesse post que fizemos para que você não cometa nenhum desses pecados.


1. Capuccino apenas no café da manhã

Café e cappuccino são os relógios italiano no mundo, mas o primeiro deve ser consumido ao final da refeição e o segundo no café da manhã acompanhado de um doce (brioche ao chocolate ou com geleia de fruta). Eles falam que bebida com leite após uma refeição faz mal a digestão. Se você acha o café muito forte peça um macchiato, que é um expresso ‘manchado’ de leite. Você pode até pedir um cappuccino após uma refeição, mas saiba que um italiano nunca faria, ou seja, todos vão te olhar e saberão que é um turista.


2. Risotto e massa não são um acompanhamento e nem o prato principal

Apesar de associarmos italianos com macarrão, a iguaria, na verdade, não é o prato principal e muito menos um acompanhamento (com exceção de algumas especialidades, como o risotto alla milanese con l’ossobuco). A refeição completa começa pelo antipasto, que pode incluir torradas, embutidos, queijos; continua com primo piatto, que é um risotto, ou uma massa ou até mesmo uma sopa; o secondo piatto (prato principal), na Itália, normalmente, é uma carne ou peixe e de contorno (acompanhamento) verduras e legumes. Servir uma massa com uma outra comida é um erro que se cometem em vários outros países, mas na Itália isso é considerado um sacrilégio. E como vocês perceberam a salada é no fim junto com a carne e não no começo da refeição como no Brasil.


3. Não colocar óleo na água da massa

Sabe aquele fio de óleo que sua avó te ensinou a colocar na água de cozimento da massa para não grudar? Pois então, isso aqui é considerando um crime com a culinária italiana rs. A verdadeira pasta italiana é cozida apenas com água e sal, o molho e condimentos devem ser feitos à parte e misturados somente no final do processo. Outra dica para não deixar a mamma de cabelo em pé é não passar a massa depois de cozida em água fria corrente. Acontece que a água leva embora boa parte do amido e, com isso, o molho não adere direito à massa. Como evitar que o macarrão continue cozinhando depois de pronto? Ora, se a massa está pronta, não perca tempo. Coma!


4. Ketchup sobre a massa: por favor…NÃO!

Esse é uma combinação que choca todos os italianos: embora o ketchup tem afinidades com o molho de tomate, colocar no macarrão é considerado uma falta de respeito com os chefs de cozinha. Mantenha-o para as batatas fritas ou cachorro-quente, por favor.


5. Spaghetti a bolonhesa? Nem pensar, é tagliatelle!

É provavelmente o prato mais famoso da cozinha italiana, mas não há um restaurante em Bolonha que o cozinhe. Isso porque a receita original, prevê que, o molho a bolonhesa, que é molho de carne, combina mais com tagliatelle e não com spaghetti. Parece um detalhe pequeno? Mas na cozinha italiana acertar a combinação da pasta com o molho é uma obrigação. Então, se quiser comer o prato típico de Bolonha, peça um tagliatelle al ragù.


6. Massa com frango: não na Itália!

Principalmente os americanos quando chegam na Itália ficam inconformados que não tenha nos cardápios dos restaurantes a opção de massa com frango. Na Itália inteira não existe um lugar que sirva essa combinação.


7. Caesar Salad made in America

Essa salada leva o nome de seu criador, o chef italiano Caesar Cardini, mas que foi criado nos Estados Unidos e jamais chegou na Itália.


8. Aquela clássica toalha de mesa xadrez branca e vermelha não existe

Por alguma estranha razão esta toalha de mesa está associada com a comida italiana e o estereótipo de “comer spaghetti”. No exterior todos os restaurantes italianos utilizam. Provavelmente os turistas que visitam a Itália ficam decepcionados quando descobrem que isso não passa de um mito. Exceto, pelos restaurantes “pega turista”.


9. O fettuccine Alfredo é famoso apenas do outro lado do oceano

Fettucine Alfredo é outro que você pode achar em qualquer restaurante de São Paulo ou Nova York, mas não na Itália. Foi sim inventada por um italiano, Alfredo Di Lelio, proprietário de um restaurante em Roma, mas nunca fez sucesso aqui e muito menos transformou-se em prato tradicional.


10. Spaghetti com almôndegas

Almôndegas existem na Itália, mas elas não acompanham o macarrão. Elas são geralmente pedidas como secondo, ou seja, o prato de carne após o prato de massa, e acompanhadas de batata ou salada, nunca de massa.


11. Não vá colocando queijo ralado em tudo

A dica é: se o garçom não trouxe o queijo ralado, provavelmente não é para colocar, então nem peça. O queijo ralado não se coloca em pratos com frutos do mar ou com cogumelos, por exemplo, porque disfarça o sabor (é o que eles justificam).


12. Ou água ou vinho

Os únicos acompanhamentos para jantar são água e vinho. A não ser que você tenha doze anos, não peça refrigerante. Cerveja é considerado apropriado com pizza, aperitivo e algumas comidas estrangeiras. Na Itália beber suco no almoço ou jantar é impensável; é como um americano bebendo um copo de leite aqui no Brasil enquanto come uma feijoada.

Sobre o vinho: o vermelho é servido a temperatura ambiente, então a dica extra é de não pedir gelo para colocar no vinho. Com exceção para o vinho branco que é servido mais gelado.


13. A tradicional Parmigiana

Os italianos adoram uma boa parmigiana, mas nem sonhariam em colocar frango ou outro tipo de carne nela. A parmigiana tradicional é feita com berinjela frita, coberta por queijo e molho de tomate e depois assada.


14. Pedir sal pode ser uma ofensa ao chef

Se na comida falta sal não devemos perguntar quando não está na mesa. Daremos um sinal que a comida não é gostosa. Na antiguidade o sal era como moeda, então pedi-lo podia dar desconforto no dono da casa, caso ele não tinha mais a oferecer.


15. O pão é essencial, mas sem condimentos

Em muitos restaurantes no Brasil o pão é servido antes da refeição, como aperitivo, para comer com azeite ou manteiga. Na Itália quando você vai a um restaurante a cestinha de pão já está na mesa antes mesmo que você peça algo, mas a função é outra. Pode ser comido durante o antepasto, com presunto, queijo ou salame, ou com o primeiro prato, para limpar o prato com o molho do macarrão (per fare la scarpetta).


16. A arte de combinar a massa com o molho

Ninguém aqui é contra a inovação e a criatividade dos cozinheiros, mas certas combinações entre o formato da massa e o molho são simplesmente perfeitas. Para que mexer? Por exemplo: spaghetti alla carbonara, um penne ai 4 formaggi, ou ainda um tagliatelle alla bolognese. Isso faz sentido!


17. Massa e faca não combinam

Com exceção da lasagna e cannelloni, NUNCA corte uma massa! Fábricas de massas artesanais monitoram a qualidade do trigo desde a semente, investem em moldes de bronze para fazer a trefilagem da pasta e analisam por dias a secagem em baixa temperatura. Tudo para que a massa não se parta em pedaços na embalagem e tenha a textura perfeita após cozida. Há quem diga que passar a faca nesses fios é caso para deportação! Italianos enrolam magistralmente seu spaghetti no garfo e só.


18. A religião e o pão

O pão não se corta com a faca na mesa, mas se divide apenas com as mãos. Nesse sentido, a religião tem a sua influência na Itália.


19. A pizza

As pizzas, principalmente nas grandes cidades da Itália, podem ser compradas em pedaços e comidas com as mãos, enquanto se caminha pelas ruas. Mas, nos restaurantes, as pizzas são individuais. Sim, você aguenta! A massa da pizza italiana é bem fina e o recheio não é abundante, o que fica fácil comer uma inteira sozinho. E por favor, não vai pedir para fazer sabor meio a meio porque isso não existe aqui.


20. O respeito pela tradição

Ela aprendeu a cozinhar com sua mãe. Que também aprendeu com sua mãe, que por sua vez aprendeu com a dela e assim por diante. É um sistema testado. Mas sabe o que mais se ensina na cozinha? Que o amor é o centro de tudo. A comida italiana é sempre compartilhada com aqueles que você ama. L’amore e la famiglia sono tutto.

Por isso respeite a tradição! Quando você está de passeio a um outro país esteja aberto a experimentar a culinária local sem ficar pedindo alterações, você pode estar comendo algo que vem passando de geração a geração por muitos e muitos anos. Experimente, aprecie, descubra novos sabores, pois comer também é cultura.


E você, já aprontou alguma dessas? Quem não tiver pecado, que atire a primeira pedra! Não deixe de curtir ❤ e compartilhar com os amigos. Arrivederci!