incompletos: espelho, espelho meu

me encarar de frente nunca foi uma tarefa fácil. olhar no meu olho, me apontar o dedo, dizer o que precisava ser dito... o medo fazia deixar pra lá. encobrir as imperfeições parecia, até quando eu aguentei e o tempo permitiu, a maneira mais lógica de continuar a viver sem questionar um lado que eu não queria ter que lidar. o que estou prestes a dizer ninguém poderia ter me dito. apenas eu conheço minhas chagas da carne e da alma. essa carta, ainda por completar sempre que a vida me impor diálogos conflituosos e já selada, eu endereço ao meu melhor amigo, eu mesmo.

  1. você não pode permitir que as pessoas sequem a tua energia. coisas negativas atraem outras coisas negativas. cerque-se de pessoas boas, que cultivam sentimentos bons, de coração alegre, que te ensinem e que estejam dispostas a aprender com você.
  2. filtre mais, absorva menos. não se sinta culpado quando alguém que não te faz bem partir, pela tua escolha ou pela dela. lembre-se do recado 1 quando bater melancolia.
  3. se coloque em primeiro lugar. não há nada de errado nisso.
  4. pare de gastar com coisas estupidamente estúpidas, comece a pensar no futuro. trabalhe duro e conquiste as tuas próprias coisas. você odeia incomodar e ser dependente. as imagens dos monstros que já enfrentou demoram a desaparecer. essa é sua prioridade.
  5. seja mais atento à sua família e amigos. não esqueça de devolver em forma de cuidado e boas palavras amigas todo o amor que você já recebeu de pessoas que te querem bem.
  6. você é a único responsável pelas consequências, boas ou ruins, das suas próprias atitudes. jamais permita que as pessoas interfiram nas suas escolhas, você é quem as deve fazer. como você mesmo disse, elas são suas escolhas.
  7. o seu corpo é um templo. equilibrar a mente e o corpo poderá ser um desafio por muito tempo, não desanime.
  8. canalize sentimentos ruins em coisas que irão te distrair. aprenda com esses sentimentos, eles têm algo a dizer. ficar triste por ficar triste só vai te fazer ficar mais triste.

com verdade, victor

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.