Spotlight: Segredos Revelados

É possível um filme que retrata uma história passada nos anos 2001 e 2002 já ser considerada um filme de época?

Durante muitos momentos me peguei com a sensação de estar vendo um filme mais antigo do que a história parecia estar me mostrando. Desde as roupas, carros e o finado AOL tudo parece antigo de mais, mas tudo aconteceu ‘’apenas’’ a 15 anos atrás. Num mundo de internet onipresente e seus 140 caracteres, Facebook e YouTubers chega a ser belo acompanhar a incrível (curiosa e hercúlea) forma de jornalismo usada pelos jornalistas daquela época. Um esforço praticamente manual que é retratado de uma forma magnífica e simples, indo da investigação dos fatos às entrevistas com as vítimas durante um percurso em que os jornalistas vão pintando um quadro para revelar escândalo atrás de escândalo e por fim chocar o mundo. O filme é dinâmico, não força as lágrimas, mas não é incomum sentir os olhos marejados em alguns momentos, principalmente durante as narrativas dos eventos de abuso (pra quem viu a matéria original os relatos no filme são bem fiéis aos relatos das vítimas, palavra por palavra).

O destaque do filme com certeza vai para Mark Ruffalo que interpreta um personagem cheio de trejeitos e manias de forma normal e sensível, ficaria muito satisfeito em vê-lo levar o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Filme essencial para quem gosta de jornalismo, não tão essencial pra quem é sensível à escândalos envolvendo a Igreja.

NOTA 10

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Nicolas Santos’s story.