“Forest with Fog” por Jakub Kriz em Unsplash

Você está cego

Se você perdesse a visão hoje, você se arrependeria de ter usado pouco seus olhos? Quantas paisagens viriam à sua mente em meros vislumbres sem detalhes, memórias pintadas a pinceladas impressionistas? Quanto tempo demoraria para você se esquecer da cor do mar, da cor do céu, da cor dos seus próprios olhos?

É difícil sorrir sem poder ver o sorriso dos outros. Milhões de pessoas são cegas, surdas, mudas, não sentem gosto, não podem andar, não podem sair da cama e você faz tudo isso sem ao menos parar para pensar como tem sorte. Sem ter feito nada para merecer isso, mas também sem tomar um segundo para agradecer.

Se você parasse de enxergar hoje, se arrependeria por não ter usado esse dom ao máximo. Se frustraria por não ter perdido mais cinco minutos examinando aquele quadro, aquela vista, aquele rosto.

Lendo esse texto, com seus olhos, você não pensa no quão difícil seria aprender Braille e tentar reconstruir o rosto de quem você ama só usando as pontas dos seus dedos. Você não consegue nem imaginar o quão desesperador seria abrir os olhos ao acordar e não notar diferença nenhuma.

E se você morresse hoje? Você não poderia nem se arrepender daquilo tudo que não fez.