Uma vida alternativa

A fuga da rotina que trouxe muita felicidade

Cada cidade é uma nova história para esta dupla.

Não é todo mundo que se encaixa na rotina agitada que vem dominando o mundo. Estudar, trabalhar, trabalhar mais para subir de cargo, trabalhar mais para ser dono do próprio negócio, e assim vai.

Lucas Sosorry e Guilherme Vinícius até tentaram, mas há dois anos largaram suas rotinas comuns, como eles mesmos dizem, para viajar e levar uma vida mais tranquila. Lucas trabalhava em uma empresa de sistemas, cheia de metas e que deixava a cabeça dele muito perturbada. Já Guilherme fazia alguns bicos como pintor.

Em 2014, os dois saíram de suas cidades em busca de uma vida nova. Até então eles não se conheciam, cada um saiu com a namorada. Comprando matérias-primas para fazer os artesanatos, trocando com outras pessoas que conheciam no caminho e migrando sempre de uma cidade para outra.

As peças são feitas com matérias-primas de várias cidades diferentes.

Logo depois de começar essa nova jornada, o universo tratou de colocar os dois no mesmo caminho. Eles estavam em Santa Catarina quando os relacionamentos terminaram, ao mesmo tempo. A partir dali, a caminhada prometia ser a sós para cada um, mas eles se cruzaram nas ruas da cidade e decidiram continuar as viagens juntos. O começo de uma nova amizade que tem uma história diferente para contar a cada dia.

A parceria deu certo e hoje além de viajarem eles também vendem suas peças juntos.

Talvez este modo de vida seja o sonho de muita gente, mas é claro que nem todos têm coragem para se jogar nessa aventura. Já Salomão — apelido que Guilherme ganhou na estrada — não tem coragem de outra coisa. “Eu não tenho coragem é de voltar para a vida normal. Ser mandado por chefe. Eu não sei o que fazer a não ser viajar”.

Quando perguntamos sobre as dificuldades, os dois mostraram tranquilidade ao dizer que praticamente não existem. Lucas ressaltou apenas um detalhe. “Não gostamos muito de entrar em lanchonetes, restaurantes, as pessoas ficam muito desconfiadas, não sabem disfarçar, então, se não é verdadeiro, a gente prefere nem entrar, a não ser que seja um caso diferente, um lugar com uma energia boa”.

Apesar de as viagens não terem limite, eles pretendem conhecer todo o Brasil primeiro, para depois viajarem para o exterior. A missão agora é, até o fim deste ano, estar na Amazônia, onde eles vão participar do Jacundá Trance Festival. Sobre o lugar mais bonito e marcante pelos quais eles já passaram, Salomão não pensa duas vezes antes de falar do Vale da Utopia.

E assim Lucas e Salomão vão levando a vida do jeito que eles gostam, viajando e conhecendo novas culturas. “Em cada lugar é uma coisa que a gente aprende, uma história que tem para contar, pessoas diferentes”, finaliza Lucas.

A viagem continua e a vida dos sonhos, também.

Fotos por: Natalia Onetta

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.