Minha experiência de estagiar nas férias de inverno na VTEX

Em poucas palavras: foi demais

Meu nome é Guilherme Freitas, mas podem chamar de Guigs. O projeto Academy da VTEX surpreendeu meu inverno de 2015.

Conheci a VTEX pelo Facebook, quando vi um anúncio do Academy compartilhado por um amigo meu que me chamou a atenção, mas a VTEX só me conquistou mesmo no momento que abri o site do Lab (o núcleo de inovação da VTEX) e li sobre a Cultura da empresa.

Nessa época eu não tinha nem ideia do que era a VTEX e do que a VTEX fazia, mas sempre fui muito empolgado com esse mundo de lean startups e me agarrava com unhas e dentes à qualquer oportunidade para empreender. Quando descobri que poderia fazer isso dentro da VTEX, sabia que era o lugar certo para mim.

A Seleção

Fui entrevistado por dois integrantes da equipe que me receberam de forma bem descontraída, me ajudando a lutar contra meu nervosismo. A entrevista foi bem eficiente — objetiva e direta ao ponto — e o contato com o pessoal me deixou tão empolgado quanto o ambiente do escritório. Fiquei muito feliz de ter recebido uma resposta tão rápido!

Mergulho de cabeça

O primeiro dia chegou e conheci a incrível equipe com a qual tive a honra de trabalhar, todos estudantes como eu. Fomos apresentados ao produto da VTEX, seus módulos, o modelo de negócios e como funcionava o ecossistema e a cultura da empresa. Foi um dia de ouvir e perguntar bastante.

O Desafio

A proposta do programa sugere a criação de um produto próprio, elaborado pela equipe que está chegando, com o intuito de resolver algum dos problemas relacionados a tudo que havíamos acabado de conhecer.

Começamos com um brainstorm bem longo e com muitas boas ideias. Tivemos contato com mais pessoas da equipe VTEX que deram mais ideias e direcionaram nosso boom criativo para um caminho produtivo. Aprendemos muito sobre processos de geração de ideias e gerenciamento de tempo desse tipo de reunião.

Depois de muito discutir calorosamente🔥 chegamos a um consenso de construir um módulo de Wishlist (lista de desejos). Fizemos bastante pesquisa, juntamos exemplos e fizemos alguns fluxos de uso para o nosso produto com a ajuda de designers feras.

Depois veio o desafio técnico de aprender um framework novo (React) e implementar tudo que havíamos planejado. Durante esse processo, queria destacar que recebi mentoria do melhor jeito que poderia imaginar—nunca aprendi tanto e tão rápido. Fui capaz de usar as APIs da VTEX e modelar as funcionalidades da solução usando conceitos e técnicas que aprendi na faculdade e na vida.

A designer da nossa equipe fez protótipos de usabilidade das telas e alguns mocks em HTML para o projeto andar mais rápido. Durante todo processo fomos iterando e mudando pontos aprendidos com feedbacks. Errar, aprender, mudar, adaptar e repetir começou a fazer parte do nosso jeito de ser.

Errar, aprender, mudar, adaptar e repetir começou a fazer parte do nosso jeito de ser.

Nem tudo é um mar de rosas

O que poderia ter sido melhor foi a escolha do projeto, que dependia de entregas de outros sistemas que não eram certas para um prazo tão curto.

Fizemos uma aposta arriscada e no final o produto não foi para produção. O que não foi ruim, já que saindo do meio acadêmico falta essa experiência de coisas que acontecem em um projeto real, onde as coisas nem sempre saem exatamente como o esperado.

No Academy que ocorreu antes do nosso, também surgiram muitos problemas que já não aconteceram no nosso. A equipe foi aprendendo e melhorando o processo, então espero que o próximo seja cada vez melhor, com esse nosso jeitinho VTEX ✨

Reta final

Como em todo projeto, nós estávamos na reta final com pouco tempo sobrando e muita coisa para terminar.

Por decisão nossa, escolhemos ficar madrugada adentro uma das noites durante a última semana, o que só foi possível pelo programa acontecer nas férias. Esse foi um dia de trabalho árduo, porém muito divertido, acompanhado pelas melhores pessoas conseguimos terminar todos os items da nossa to-do list.

O que mais me impressionou foi a enorme curva de aprendizado que eu e minha equipe tivemos em tão pouco tempo: cada etapa nos ensinava novas habilidades que poderiam ser aplicadas em diversas situações para resolver problemas simples ou complexos. A experiência foi muito rica tanto pelo lado do aprendizado quanto pela realização.

Infelizmente nosso projeto não foi ao ar, pois ele tinha algumas pendências que não havíamos antecipado, mas a realização de ter um produto com a funcionalidade pronta foi muito boa. Foi um mês marcado por muito amor, amizade e realização profissional.

A experiência foi muito rica tanto pelo lado do aprendizado quanto pela realização.

Hoje eu continuo trabalhando na VTEX como estagiário e cada vez mais acho incrível tudo que aprendo todos os dias. Tive a oportunidade de crescer tanto tecnicamente quanto como pessoa. Os desafios continuam cada vez maiores e superá-los ao lado dessa equipe não traz nada menos que satisfação e alegria.