Conheça os bowls! (E como eles podem transformar sua alimentação!) — Por Patrick Bragato

O novíssimo e delicioso Buddha Bowl!

Não conhecemos exatamente a origem do nome, mas sabemos que ela vem do modo de refeição dos monges budistas. As refeições são servidas em três tigelas originalmente feitas em madeira chamadas de oryoki, e possuem esse formato de bowl. Os monges acreditam que as refeições feitas no oryoki valorizam a gratidão, o comer com atenção plena, e estimulam um melhor entendimento sobre o alimento e sobre si mesmo.

Buddha Bowl?

Os Buddha Bowls se popularizaram recentemente no Ocidente como tigelas ou pratos extremamente coloridos, compostos por alimentos de quase todos os grupos, incluindo cereais integrais, leguminosas (feijões, grão de bico, lentilha, ervilhas, soja, tofu) ou alimentos proteicos de origem animal, legumes crus, salteados ou assados, folhas, diversos, frutas, sementes oleaginosas (gergelim torrado, castanhas, nozes, amendoim, chia, linhaça, etc.), temperos naturais e molhos caseiros (como molhos de mostarda, abacate, vinagretes, entre outros).

É importante que os vegetais e folhas ocupem cerca de 50% do prato, geralmente incluindo a fonte de gordura. Já os outros 50% devem ser divididos entre os carboidratos e proteínas, 25% de cada. Claro, isso é uma média, você pode variar conforme preferir, pois não existem regras escritas na pedra:

1- Carboidratos: Grãos como quinoa (que também tem proteína), trigo-sarraceno, arroz integral ou até batata doce em pedações ou em purê se quiser, o negócio aqui é trabalhar com o que você tem em casa;

2- Escolha seus legumes: Legumes devem ser a metade do bowl. Tente incluir uma mistura de legumes cozidos e salada. Cor também é importante, quanto mais cor, mais benefícios, couve, rúcula, cenoura, rabanete, brócolis e couve-flor são opções simples de se jogar no bowl.

3- Proteína, Proteína, Proteína: Para nos mantermos ativos o dia inteiro, não podemos poupar proteína. Se come carne, frango ou atum, cabe bem aqui. Para os Veggies, experimente com feijão e grão de bico e suas variadas formas como húmus e falafel.

4- Gorduras saudáveis: Minha opção preferida é abacate, mas castanhas e sementes, além de deliciosas, também dão um aspecto crocante e são fontes de proteína. Pense por exemplo em castanha de caju, chia, sementes de abóbora, linhaça, vale tudo!

5- Temperos: Para terminar, escolha um tempero fresco como hortelã, coentro, cebolinha, manjericão e um molho de mostarda, limão, tahine, pesto ou qualquer outro que tiver.

E o Burrito Bowl?

O saboroso Burrito Bowl.

Montamos um delicioso bowl de arroz cateto integral — sabe aquele pequeno e redondinho? — servido com finas fatias de porco, temperadas com um molho suculento tex-mex (levemente adocicado mas sobretudo um pouco picante).
 Finalizamos o prato com feijão vermelho e milho. Sem contar o frescor através folhas de mini romana e coentro.

Para quem não conhece, o burrito, é um prato mexicano, se trata de uma tortilha bem fina, recheada com carne e depois enrolada em formado cilíndrico: o famoso wrap. O burrito tem inúmeros tipos de recheio como arroz, feijões, alface, tomate, salsas, carnes diversas, guacamole, queijo, sour cream e vegetais.

Utilizamos a influência mexicana junto com um toque de frescor. O resultado é uma tigela única e que se transformou em um refeição equilibrada, saborosa e super prática. O protagonista desse bowl com certeza é a carne, que é extremamente saborosa e dá ao prato um sabor todo especial.

Os pratos citados neste artigo podem ser encontrados em www.vya.com.br.