10 coisas que eu gostaria que tivessem me dito quando comecei a trabalhar

Vejo jovens desenvolvedoras e me vejo nos seus medos, inseguranças, seguranças, certezas… Conversar com elas é de certa forma voltar ao meu passado.

Juro que não me arrependo das minhas escolhas, mas se eu pudesse voltar no tempo e me dar alguns conselhos… Seria bom!!! 
Os anos e o contato com os mais jovens me ajudaram a elaborar 10 conselhos, alguns eu gostaria de ter recebido e outros eu sempre acabo falando…

Conselho 1 — Aprenda inglês

Lindas do meu coração, é complicado demais trabalhar com TI sem entender nada de inglês. Eu não tinha condições financeiras de fazer um curso e com a internet discada não sei nem se existiam cursos on-line (não tentem deduzir minha idade, ok?). Onde eu errei? Eu poderia ter me empenhado mais, assistido filmes sem legenda, comprado livros, estudado sozinha, escutado música… Quando consegui um estágio, podia ter investido mais tempo e mais dinheiro estudando inglês.

Conselho 2 — Não veja outras mulheres como inimigas

Sozinha a caminhada é dura! É possível ter amigas no trabalho. Acolha e seja acolhida sem medo. Crie empatia e afinidade com as mulheres que trabalham com você. 
Por muito tempo, eu adorei ser a única mulher da equipe. E acho que este comportamento me afastou de alguns conselhos que eu gostaria de ter recebido.

Conselho 3 — Escolha uma área que você realmente goste

Não é porque você conseguiu um estágio na área de suporte técnico que você está “condenada” a fazer isso pelo resto da vida! 
Se você não gosta do seu trabalho, batalhe por outro! 
Não estou dizendo que você deve ser irresponsável e trocar de estágio toda semana, mas busque aprender e encontrar aquela área que te faz feliz.

Conselho 4 — Seja responsável

A área de TI é pequena e o universo é justo! Não queira marcar sua carreira com comportamentos inadequados.

Isso vale também para amores no trabalho. Não estou dizendo “nunca se apaixone no trabalho!”, mas antes de se envolver com algum ou alguma colega de trabalho, pense mil vezes e procure saber um pouco sobre o caráter da pessoa.

Conselho 5 — Não menospreze as teorias

Parece conselho de tia velha… Mas te juro, entender estrutura de dados (por exemplo), vai te ajudar a programar melhor. Saber o que é um índice, um modelo entidade-relacionamento (não estou sendo parcial, eu realmente acho que o MER ajuda!) te darão a base para entender conceitos mais avançados.

Conselho 6 — Não durma com dúvidas

Pergunte… Pergunte e pergunte! Você não tem a obrigação de saber tudo e perguntar não te faz a pior das profissionais. Só vale dizer que você não deve ser a chata que faz uma pergunta por segundo… Que tal juntar um conjuntinho de dúvidas e perguntar de uma vez?

Conselho 7 — Use o “seu impostor” a seu favor

Sim, ele existe! Ele vai te humilhar, vai tentar te dizer que você é a pior profissional, a pior mãe, a pior amiga… Esse é o seu impostor! Todas temos um! O problema é que as vezes damos muita voz para ele. 
Ahhhh meninas durante a TPM o meu Impostor grita comigo! Aponta defeitos que eu nem sei que tenho. 
Tenho batalhado muito para conviver pacificamente com ele, agora decidi que eu o levo para tomar cerveja… Escuto tudo o que ele diz, não choro (fico irada é verdade…) e traço estratégias para melhorar. 
Recentemente meu Impostor disse que meu blog era um fiasco… Que eu perdia tempo com ele, que os posts eram ruins… Fiquei mal! Mas decidi procurar um designer e deixar o blog mais bonito, passei a promover os posts e a perguntar as opiniões de outras pessoas… E pasmem, em um evento onde fui palestrar ouvi vários elogios! Inclusive uma moça me contou que está aprendendo MongoDB com os meus posts.

Conselho 8 — Faça cursos, participe de meetups, hackatons e afins

Sim… Você precisará se atualizar, precisará conhecer tecnologias que você nem sabe se irá usar. Mas tenha certeza que nenhum conhecimento é perdido, então se estiver na dúvida entre um curso e um sapato. Opte pelo curso.
Os meetups são fantásticos! Quando eu estava na faculdade não lembro se eles existiam, mas enfim participe! Procure na plataforma meetup.com, ou curta minha página no Facebook (Facebook.com/DB4Beginners), ou veja no meu blog (http://db4beginners.com/eventos/)... Enfim mantenha-se atualizada sobre os meetups e participe! Você vai conhecer muita gente legal e aprender muita coisa.
Os hackatons… acho fantástica a ideia! Mas tenha cuidado! Só participe daqueles feitos por empresas sérias com uma boa infraestrutura, mentores e prêmios. Não gaste energia dando seu conhecimento e energia para empresas aventureiras e que procuram mão de obra gratuita.

Conselho 9 — Não seja radical!

Oracle ou SQL Server? Windows ou Linux? Android ou IOS? 
Ahhhh como estas discussões são chatas! Não seja radical dizendo que só trabalha com um ou outra tecnologia! Você tem direito de gostar mais de uma ou mais de outra, mas o mundo corporativo nem sempre te dará escolhas e você terá que trabalhar com uma tecnologia que talvez não seja a sua preferida. Lembra do conselho 5, se você conhece a teoria a tecnologia será um detalhe!

Conselho 10 — Seja feliz, grata e gentil

Imagino a sua cara, achando que eu surtei… Mas o conselho é este mesmo!
Seja uma pessoa com a qual você iria gostar de conviver! Pensamentos positivos, gratidão pelas oportunidades, pelos erros e pelos acertos vão fazer de você uma pessoa diferenciada e que atrai boas oportunidades. 
Gentileza parece básico, mas não é! Você já recebeu um modelo de dados desnormalizado, com 2 mil tabelas, todas sem definição? Você acha possível ser gentil com uma pessoa que te manda isso? Que prejudica o seu trabalho desta forma? Não é fácil! Mas é necessário. Quem sou eu para julgar as outras pessoas? Será que o analista que me mandou esse modelo tosco, está bem? Eu não sei pelo que ele está passando, portanto cabe a mim ser o mais gentil possível. 
Não estou dizendo para você ser falsa, melosa e afins. Estou dizendo que você deve se controlar mesmo quando a sua vontade for de explodir. Não perca a razão, se alguém te irritou a ponto de despertar um instinto não muito gentil, pare, pense, respire e só depois responda. Conselho de uma pessoa super explosiva e que já se arrependeu muitas vezes!

Quem sou eu?

Eu trabalho com TI mais de 15 anos, comecei a minha carreira como desenvolvedora na época do VB6… E eu adorava!

Mas gostava muito mais de trabalhar banco de dados, fui me especializando (principalmente no SQL Server com o qual eu trabalhei desde a versão 6.5 — mas já vou deixar claro que o cliente estava desatualizado e que não sou tão velha assim… rsrsr). Bancos de dados são a minha grande paixão! Tirei muitas certificações, dei muitas aulas, fui MCT (Microsoft Certified Trainer) até que eu decidi “mergulhar mais fundo” e de cabeça. Foi assim que decidi ir fazer mestrado em Engenharia da Computação. Gosto tanto de BD, governança e qualidade de dados que estes 3 temas foram os pilares da minha pesquisa.

Hoje trabalho com Arquitetura de Dados na B3 e sou autora do blog Db4Beginners.com.

Tenho como desfio e objetivo ajudar desenvolvedores iniciantes a criar ótimos aplicativos e a conquistar excelentes empregos, através do conhecimento em modelagem, pesquisa e administração de dados.

Convido você a conhecer e se cadastrar no meu blog (aproveita e receba um e-book que eu escrevi com um super carinho) http://db4beginners.com/e-book

Semanalmente tem post novo e se você estiver cadastrado eu sempre te aviso (nada de spam, porque eu nem tenho tempo para isso).

Enfim se quiser conversar, se precisar de ajuda com BD ou se achar que eu posso ajudar, esteja a vontade para entrar em contato comigo:

DaniMonteiroDBA@DB4Beginners.com

Danielle (@DanimonteiroDBA no Twitter)

facebook.com/DB4Beginners

linkedIn.com/in/DaniMonteiroDBA

Like what you read? Give Dani Monteiro DBA a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.