Marina Avila | Sorce: Blog Sem-Spoiler (Divulgação)

Entrevista | Marina Avila (Editora Wish)

Produtora editorial e capista de livros, Marina é um dos destaques da nova geração de designers brasileiros.

Francisco Oliveira
Jan 12, 2018 · 5 min read

Se eu for explicar como ouvi o nome de Marina Avila pela primeira vez precisaria voltar até a minha disciplina de Projeto de Livro na especialização em Design Editorial que ocupa todos os meus sábados a quase dois anos. O trabalho final da disciplina era pensar o redesign de um livro e nesse caso escolhi Doctor Who: 12 doutores, 12 histórias do Selo Fantástica da Editora Rocco. Desesperado por dicas do que poderia fazer pra agradar o público, o fandom de Doctor Who, enviei um e-mail a equipe da Doctor Who Brasil e a simpaticíssima Thais Aux me respondeu, dias depois, dizendo que pouco podia me ajudar, mas me recomendava o trabalho de uma capista de livros maravilhosa chamada Marina Avila. E foi paixão a primeira vista.

Marina é hoje sem dúvidas um dos principais nomes do design brasileiro já trabalhando para editoras como Novo Conceito, Leya, Guttemberg e Rocco. Agradeço demais a atenção e o carinho que ela teve na nossa troca de emails. Você sempre será bem-vinda ao blog Marina.

“Coisas inatingíveis” de Danilo Leonardi e “Lobo de rua” de Jana P. Bianchi | Fonte: Editora Wish (Divulgação)

Quem é Marina Avila?

Obrigada pela oportunidade de apresentar o trabalho :)
Meu nome é Marina Avila, sou formada em Produção Editorial e trabalho na área há 8 anos. Em 2014, fundei a Editora Wish, que atualmente faz bastante sucesso com os leitores adultos de contos de fadas!

Qual foi a sua porta de entrada no universo do Design Editorial?

Com a graduação, cada vez mais percebi o quanto o universo do Design me fascinava. Mas se for considerar, quando era criança, criava livretos, grampeava e tentava vender para os familiares, então são 28 anos de alma de designer rs. Comecei a criar um portfólio mais consistente dentro destes 8 anos no mercado, começando como um hobby, e com o constante estudo e feedback de editores, se tornou meu trabalho principal.

“O mais profundo dos oceanos” de Joyce Santalme e “O anjo e a fera” de Elissande Tenebrarh | Fonte: Editora Wish (Divulgação)

Quando você decidiu seguir na carreira como freelancer?

Já havia iniciado como freelancer, trabalhei em uma editora por alguns meses, e acabei voltando para o trabalho solo. Parte da fascinação é poder criar diversos projetos diferentes, conhecer o direcionamento de cada editora.

Como os projetos chegam na sua mão?

Acredito que a maior parte seja indicação! Acontece também de editores encontrarem o portfólio online e entrarem em contato :D

“Uma janela para o céu” de Marina Machado e “2000 anos de cristianismo carismático” de Eddie L. Hyatt | Fonte: Editora Wish (Divulgação)

Você fica superlotada de trabalhos?

Na verdade, quase sempre! A maior parte dos projetos são de longo prazo, no sentido de envolverem capa, diagramação e fechamento, então é comum passar do horário para manter a agenda em dia. Períodos antes do Natal, por exemplo, em que todas as editoras lançam ao menos um livro, tem ritmos bem agitados! rs

Um fato que te marcou e influencia a sua carreira de alguma forma.

É incrível como tudo fica marcante, quando a gente trabalha com pessoas. O design, se formos pensar, não é trabalhar com as cores, formas… E sim com a forma como as pessoas vão perceber aquilo. Diversas dicas, direcionamentos e ideias que recebi ao longo da carreira influenciam todos os dias os projetos, oferecendo um foco cada vez mais atual. Um dos principais, acredito, foi há pouco tempo. A direção da Companhia das Letras verificou o portfólio junto comigo, e ofereceram dicas muito valiosas sobre o mercado em alguns dos projetos. Tenho adaptado todos para algo mais atual desde então :D

“Segredos” de Tatiana Amaral e “Por que sonhei com isso?” de Lauri Quinn Lowenberg | Fonte: Editora Wish (Divulgação)

Conta umas dicas para quem deseja esse ramo do Design Editorial?

O ramo editorial é pouco sobre livros, e muito sobre humanos. Como qualquer trabalho, nosso olhar precisa estar nos gostos pessoais dos nossos consumidores — os leitores. Uma diagramação pode ser feita de mil formas, mas provavelmente só duas ou três são as ideais. Nosso trabalho é entender porque fazemos o que fazemos. Por isso, quanto mais estudo na área, melhor preparação terá o profissional de editoração!

De malas quase prontas” de Vários Autores | Fonte: Editora Wish (Divulgação)

Entrevista é uma nova seção aqui do blog que estou iniciando a ideia e entrevistas profissionais da área de Design Editoral, Ilustração e Quadrinhos. Se quiser acompanhar nossas postagens basta assinar nosso Newsteller e receba tudo por email.

Você pode encontrar o trabalho de Marina Avila



Gostou? Então me motive a fazer mais. Comente aqui em baixo o que você achou. Clique umas 50 vezes nas ” 👏” Isso ajuda muito na vizualização.

Compartilhe esse texto com os seus amigos e me siga nas redes socais como: Twitter e Instagram. Eu vou ficando por aqui. Nos vemos no próximo texto. Falou!

Se você não tiver uma conta no Medium, faça uma! É super rapidinho. Você pode usar o seu Facebook, Gmail ou Twitter. Seguir o meu blog e sempre que tiver texto novo você vai ser o primeiro a saber e quem sabe receber as estrelinhas do Chico.

ZINEXT | Editora & Studio

Uma Mini Editora que publica #livros, #quadrinhos e #jogos da sua base em Fortaleza/BR.

Francisco Oliveira

Written by

@apenasumchico | Designer + Illustrator + Freelancer

ZINEXT | Editora & Studio

Uma Mini Editora que publica #livros, #quadrinhos e #jogos da sua base em Fortaleza/BR.