Devfest Nordeste 2017 — Mais do que um evento, uma grande história

Neste último final de semana (21/10) aconteceu em Salvador mais uma edição do Devfest Nordeste. Neste post irei contar como foi a minha experiência em ter participado e palestrado neste incrível evento.

Meus amigos Bruno Pulis e Thiago Almeida também fizeram ótimos posts sobre as suas experiências, então me senti inspirado para também compartilhar com vocês tudo o que aconteceu :D

Linda Caneca do Devfest NE

O Devfest

O Devfest é um evento organizado pela comunidade GDG (Google Developer Group), que acontece mundialmente entre os meses de Setembro a Dezembro. A edição do evento Devfest Nordeste deste ano aconteceu em Salvador e eu me lembro de conversas com meus amigos Marcus Silva e Jader Gomes (alguns dos organizadores do evento), de como eles queriam trazer e fazer o Devfest NE em SSA.

A Viagem Para Salvador

Como todos sabem, o aeroporto de BH(que fica em Confins) é bem longe com relação ao centro da cidade, então saí bem cedo de casa, por volta das 15:40… precisei voltar no meio do caminho, para pegar meu power bank e ai fui para a conexão. Cheguei ao aeroporto próximo ao horário do embarque.

Antes de embarcar, algo dentro de mim falava fortemente que seria um final de semana épico, repleto de grandes histórias e de grandes momentos.

Nesta viagem acabei voando num modelo de avião que nunca tinha ido antes. É um avião menor, que mais parece um jatinho. Ele voa bem mais baixo, então a viagem nele é bem tranquila.

Contudo, acabei experimentando o meu primeiro grande susto em um voo durante o pouso na escala em Vitória da Conquista, felizmente tudo correu bem. O voo seguiu normalmente para SSA e ai começou um incrível final de semana!

Saí do aeroporto e fui direto para o Hotel Ônix (um hotel bem bacana, recomendo :D), que a organização do evento havia feito a reserva, foi um percurso bem tranquilo até a chegada. Durante o percurso, passamos pela rua dos bambívis (que no português do nosso Brasil, significa bambu). Fiz meu check-in e entrei em contato com os organizadores, informado que eu havia chegado.

Eles foram super cordiais e atentos com todos nós. Eles já haviam enviado um e-mail com orientações sobre a culinária local, locais turísticos para irmos e muito mais. Também criaram um grupo somente com os palestrantes para facilitar a comunicação, e foram super solícitos. Me juntei aos demais palestrantes que já haviam chegado e com toda a organização e fomos para o Bar do Preto, um lugar bem tranquilo, numa região que me lembrou muito a Savassi.

Nesta encontro, já começamos a aprender e a utilizar o tão famoso dialeto baianês: aprendemos a falar barril, usar corretamente o emprego do lá ele, pedir um suco de cajívis e falar que a resenha estava barril dobrado pae.

Resenha no Bar do Preto

Foi um momento que já tinha valido a viagem: conheci pessoas novas, conheci pessoas que eu só havia conhecido online (twitter, github, slack) e claro, pude rever muitos amigos :D. Uma coisa que também me marcou muito foi a receptividade de todas as pessoas da organização e do povo baiano. Foi surreal, nunca havia sido tratado tão bem, com tanta atenção e carinho.

Saímos de lá mais de meia noite, e como a resenha não pode parar, fomos para o Chupito. É um bar localizado na região do rio vermelho, num estilo bem diferente do bar do preto. É um bar voltado mais para drinques.

Se você for a Salvador, precisa conhecer o Chupito :D

Ficamos conversando bastante sobre como seria o evento, sobre carreira, nossas experiências, trabalho, programação, estudos …. foram vários assuntos. Tanto que chegamos no hotel mais de 4 da manhã \o/

Eu já achava que a noite já tinha sido espetacular, e que já teria valido a pena ter percorrido mais de 1400KM. Mal sabia eu que ela seria apenas o início de algo muito maior.

Sexta-Feira e o Pré Evento

Acordei, tomei café por volta das 10 manhã e sou surpreendido com a notícia do meu amigo Marcus Silva, de que ele havia feito uma reserva no restaurante Ki-Mukeka.

De fato, o nome do restaurante faz jus ao sabor da comida. Que sabor espetacular. Foi a melhor muqueca (de camarão e de peixe) que já comi em toda a minha vida.

Só pelo vapor vocês já imaginam o quão gostoso estava :D

Como se já não estivesse tudo fantástico, Marcus fez questão de nos apresentar o tão famoso Acarajé, com camarão, vatapá, e claro, o dendê :D

Foto tirada pelo meu amigo Bruno Pulis

Conhecem aquele frase, tudo o que está bom pode ser melhorado? Pois então, o Restaurante Ki-Mukeka possui saída para a praia do Farol de Itapoã, com uma vista que dispensa qualquer tipo de comentário:

Acho que a foto abaixo ilustra bem o quão feliz eu estava naquele momento, e com tudo o que nos havia sido proporcionado.

Voltamos ao hotel para descansar, e a noite nos encontramos novamente para o pré-evento :D

O pré evento aconteceu na JusBrasil. O Rafael Nunes fez questão de nos apresentar toda a empresa e toda a galera da Jus, que nos recebeu muito bem. Toda sexta-feira eles tem um happy hour dentro da empresa, com cerveja e muita música.

Foi um momento bem legal, pois pude conhecer outras pessoas que estavam ajudando na organização, pessoas que iriam participar do evento, outros palestrantes também haviam chegado, o networking foi incrível. Neste tweet vocês podem ter uma ideia do quão animado a resenha estava :D

Não fiquei muito tempo, voltei ao hotel por volta das 21h para descansar , fazer alguns ajustes nos slides e me preparar para o evento :D.

Chegou o Grande Dia

Acordei bem cedo e nos deslocamos para o local do evento. O SENAI Cimatec estava pertinho do hotel, então o deslocamento foi super tranquilo. Chegando lá, os organizadores logo nos interceptaram, reunindo todos os palestrantes e nos levando para uma “sala vip”. Foi uma sala com espaço muito legal, e foi uma incrível oportunidade para conversar com todos os palestrantes, e claro, poder reler minhas notas e me preparar para a talk.

A cada minuto, cada pessoa da organização do evento aparecia na sala, perguntando se estávamos precisando de alguma coisa … a preocupação e cuidado deles conosco foi incrível. Nesta sala ainda tínhamos um coffe-break com sucos, frutas, café e outras coisas mais ❤

O clima entre os palestrantes era o melhor possível. Todos estavam felizes em estar ali, em conversar, compartilhar suas experiências e conhecimentos … e com todo o carinho e zelo que a organização do evento estava conosco, não tinha como não estar feliz. Ficamos mais felizes ainda quando a organização do evento nos informou que o evento estava lotado, e que havia sido o recorde de público em uma edição de um evento pago sobre tecnologia em Salvador. Eram 400 pessoas \o/

Reparem na foto abaixo: não tem 1 pessoa que não esta rindo … e rindo muito :D

Nunca ri tanto igual o momento desta foto

Palestras

O evento pela manhã foi divido em 2 trilhas, e na parte da tarde todos iriam para o palco principal. O evento teve palestras voltadas para tecnologia, como também aspectos sociais. Foi uma grande combinação :D

A minha palestra foi logo pela manhã, então procurei me concentrar o máximo possível e já fui para o Palco 2, onde seria a minha palestra.

Pois bem, tinha chegado o grande momento. Além de toda a preocupação que a organização teve com todos os palestrantes, eles ainda se encarregaram de fazer uma apresentação super personalizada para cada um de nós. No meu caso, eis que sou surpreendido com a seguinte frase:

Eu fiquei completamente sem reação e abri os braços, como se estivesse falando: mentira que vocês espalharam meu apelido. Todo o público começou a rir e lá fui eu explicar o fato da existência do NarigaJs. A sala estava completamente lotada, não tinha 1 cadeira sobrando, pessoas em pé nos corredores, com certeza eram mais de 200 pessoas. Toda a palestra correu super bem (link dos slides aqui).

Assim que a Talk terminou, várias pessoas vieram conversar comigo, reportarem seus feedbacks e isso me deixou muito feliz. Pessoas falando que eu as tinha motivado, diversos elogios para a Talk que tinha feito … Marcus também veio falar comigo e confesso que durante a fala dele eu quase chorei. Meu twitter havia estourado de tantas notificações e menções.

Aproveitei o restante da manhã para fazer networking e conhecer novas pessoas. O engraçado era que as pessoas só me chamavam de Nariga :D Também encontrei e conheci alguns organizadores de GDGs.

Eu e Thiago (GDG BH), Felipe (GDG Fortaleza) e Ítalo (GDG Aracajú)

Durante o evento também fiz diversas entrevistas com os participantes e com os palestrantes na minha trilha do Sparkle, e foi surreal ver o feedback das pessoas: o evento esta super bem organizado e todos estavam felizes com as atividades. Na hora do almoço, existiam alguns food trucks e alguns restaurantes próximos, todas as opções bem acessíveis.

Na parte da tarde, assisti algumas palestras e também aproveitei para fazer networking e conhecer novas pessoas. Havia um hall com alguns stands então foi um espaço bem tranquilo para conversar com as pessoas. Os slides das palestras estão sendo divulgados no twitter dos palestrantes. E por falar em twitter, rolaram muitos sorteios pelo twitter então a galera twittou muito muito mesmo :D

O mais legal foi ver que mesmo depois das 18 horas, todas as pessoas ainda estavam acompanhando todas as atividades do evento até a última palestra, super animadas e motivadas com tudo o que havia acontecido durante o dia.

Pós Evento

Aaaah, o pós evento …. não poderia faltar. Nós falaram que deveríamos conhecer o famoso Acarajé Da Dinha, então fomos em busca desde acarajé. Logo depois fomos para um barzinho, o Boteco Meia Oito. O mais incrível disso tudo é que eu nunca tinha visto tanta gente num happy hour pós evento, eram mais de 50 pessoas. E mesmo após um longo dia, lá estavam todos os organizadores do evento nos acolhendo e recepcionando, mesmo após 24, 48 horas sem dormir.

Devido a proximidade, acabei retornando ao Chupito e me espantei em ver tanta gente na rua, em plena 2 da madrugada, mesmo sem ter nenhum show ou coisa do tipo. Me despedi de todos pois precisaria acordar bem cedo e voltar para casa.

Conclusão e Volta para Casa

Ao ir para o aeroporto e passando novamente pela rua dos bambívis, comecei a relembrar de todas as coisas que vivi. Foi uma sensação muito boa, e estranha ao mesmo tempo, parece que eu não queria voltar para casa. Queria ficar dando replay e revivendo todas as coisas que aconteceram. Cheguei em casa mais revigorado do que nunca, e com a certeza de que realmente vivi um grande final de semana, repleto de grandes histórias e transformações.

Uma das coisas que mais me marca nos eventos e nas comunidades são as pessoas, suas experiências e os momentos que estes encontros com elas geram. Tudo pode mudar em uma simples conversa: você se transforma, se motiva, ajuda outras pessoas … é surreal. Nunca vou me esquecer de nada do que vivi neste incrível final de semana.

A famosa rua dos bambívis

Gostaria de encerrar deixando um mega agradecimento a todas as pessoas que organizaram, ajudaram e fizeram o Devfest Nordeste 2017. Fiquei muito honrado pelo convite e muito obrigado por tudo o que vocês fizeram, o evento foi espetacular …. quer dizer … o evento foi barril dobrado pae, vocês brocaram.

Espero voltar em breve a esta incrível cidade do nosso Brasil.