Escritórios de Transferência Tecnológica: Facilitadores da Transformação da Produção Acadêmica em Inovações Mercadológicas

Seguindo a linha do que já foi discutido nos nossos textos anteriores sobre Joint Labs, foi possível perceber a importância da colaboração da empresa com as universidades e sua fundamental contribuição para a inovação. Neste sentido, outro ponto de destaque são os Escritórios de Transferência de Tecnologia — ETT (Technology Transfer Office — TTO).

O papel dos ETT é de assegurar que a propriedade intelectual da universidade seja preservada e contribuir para que outros atores do ecossistema de empreendedorismo e de inovação tenham acesso às descobertas das universidades. Desta forma, esses escritórios possuem um importante papel de conectar o ecossistema de conhecimento (universidades), com o ecossistema de empreendedorismo e inovação (empreendedores, startups, desenvolvedores de inovação). Neste texto, discutiremos melhor sobre o propósito desses escritórios, suas principais características e qual o seu papel na promoção e no suporte da inovação.

A função dos escritórios de transferência de tecnologia é de regular o processo de transferência do que é produzido na universidade. Por exemplo, na Universidade de São Paulo existe o setor de transferência tecnológica e sua função é de “atividades de divulgação, negociação e formalização de contratos de licenciamento, convênios, exploração e cessão de tecnologia”. Para organizações interessadas em inovar e em buscar soluções para seus negócios, esses escritórios são um dos principais atores que possibilitam e facilitam esse processo. Além disso, as organizações terão a oportunidade de buscar conhecimento de centros de referência em pesquisa.

Para alcançar esse objetivo específico de fazer a conexão a universidade com as organizações, esses escritórios precisam ter o conhecimento e habilidades que os permitam auxiliar as empresas e os investidores a acessarem novos conhecimentos e informações, identificar e acessar novas tecnologias que podem ser úteis para esses negócios e fornecer equipamentos e conhecimento recentes e relevantes. Portanto, os ETT podem contribuir para o desenvolvimento da inovação ao auxiliar que empresas externas consigam colaborar, obtendo o conhecimento gerado nas universidades.

Na figura 1, está ilustrado como funciona a atuação dos ETT. Os ETT atuam como pontos de conexão nos ecossistemas. Desta forma, torna-se a chave para o desenvolvimento de inovação e um dos principais provedores de conhecimento e de soluções para que novas empresas consigam se sustentar no mercado e criar mais valor para os stakeholders.

Figura 1: O Papel dos Escritórios de Transferência Tecnológica (ETT)

No Brasil, algumas universidades já atuam com os escritórios de transferência de tecnologia, como a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de Caxias do Sul (UCS). Recentemente, o ETT da Universidade Estadual de Londrina (UEL) desenvolveu uma metodologia de portfólio de patentes, com o intuito de atrair mais visibilidade para as tecnologias, melhorando a comunicação/negociação com outras empresas/investidores.

É importante reconhecer o papel desses escritórios como facilitadores e promotores de inovação e procurar conhecer melhor as opções oferecidas e as possibilidades de colaboração disponíveis. As alternativas para o desenvolvimento de inovação se ampliaram, permitindo maiores possibilidades de colaboração e do desenvolvimento de soluções compartilhadas. Além disso, as universidades são centros de excelência com pesquisadores que estão diariamente buscando soluções para problemas da sociedade. Assim, com a parceria com organizações e startups, existe a possibilidade de trazer essas soluções para o mercado, gerando valor para as empresas, e promovendo um maior desenvolvimento.

De forma geral, a existência desses escritórios nos fornece um insight muito importante sobre a possibilidade das empresas engajarem com diferentes tipos de ecossistemas e de conseguir criar mais valor no desenvolvimento das inovações. Ademais, é possível perceber que esses ETT possuem um papel crítico no processo de trazer para o mercado o que foi produzido nas universidades. As pesquisas realizadas nas universidades são majoritariamente financiadas por instituições públicas e é fundamental que esse investimento retorne para a sociedade em conhecimento e também nessa contribuição de auxiliar novas empresas no desenvolvimento de inovação.

Referências

Escritório de Transferência de Tecnologia da UEL Cria Portfólio de Patentes. 2021. https://www.vilage.com.br/blog/escritorio-de-transferencia-de-tecnologia-da-uel-cria-portfolio-de-patentes/. Acesso em 12/10/2021

O’Kane, C., Cunningham, J. A., Menter, M., & Walton, S. (2020). The brokering role of technology transfer offices within entrepreneurial ecosystems: an investigation of macro–meso–micro factors. The Journal of Technology Transfer, 1–31.

Technology Transfer Offices. Research in Ireland. https://www.knowledgetransferireland.com/Research_in_Ireland/Technology-Transfer-Offices/. Acesso em 12/10/2021

Transferência Tecnológica. Agência USP de Inovação. http://www.inovacao.usp.br/transferenciatecnologia/. Acesso em 12/10/2021

Bridge Ecosystem

Gestão de Ecossistemas de Inovação

Bridge Ecosystem

Uma iniciativa da USP, ISA CTEEP, 100 Open Startups sobre melhores práticas em Gestão de Ecossistemas de Inovação.

Lucas Emmanuel Nascimento Silva

Written by

Estudante de Mestrado em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

Bridge Ecosystem

Uma iniciativa da USP, ISA CTEEP, 100 Open Startups sobre melhores práticas em Gestão de Ecossistemas de Inovação.