Santos Cervejeiros: Santo Arnaldo de Soissons

Vitral de Santo Arnaldo na cervejaria Huyghe (Bélgica)

Arnaldo de Soissons (1040–1087), também chamado Arnold ou Arnulf de Oudenburg, foi um santo católico de origem belga, conhecido como padroeiro dos coletores de lúpulo e dos cervejeiros da Bélgica. Sua história é frequentemente confundida com a do Santo Arnulfo de Metz, pois as lendas e milagres atribuídos são parecidos e estão misturados, dependendo da fonte bibliográfica. A festa litúrgica é comemorada no dia 14 de agosto.

Nascido na vila de Tiegem, na região de Flanders, Santo Arnaldo foi inicialmente um soldado de carreira antes de se estabelecer na abadia de São Medardo, em Soissons, na França. Em seus três primeiros anos de vida consagrada, o religioso viveu como eremita e depois foi chamado a retornar à comunidade, para assumir o posto de abade no monastério. Segundo a sua hagiografia, o santo recusou o título e tentou fugir, mas um lobo impediu a sua passagem, forçando-o a voltar. Por volta de 1080, foi nomeado bispo de Soissons, outra função inicialmente negada, mas depois assumida.

Anos depois, um padre tentou assumir seu lugar como bispo, mas ao invés de resistir, o santo interpretou a situação como um sinal e renunciou o episcopado, retirando-se da vida pública para fundar o mosteiro de São Pedro, em Oudenburg, onde começou a fabricar cerveja — naquele tempo uma bebida vital, já que a Europa sofria com a epidemia da Peste Negra e nem sempre a água era própria para consumo. A partir de então, Santo Arnoldo começou a promover o consumo de cerveja entre os camponeses da região, devido ao “dom da saúde” que tal bebida evocava. Seus esforços salvaram muitas vidas e sua fama em relação à cerveja começou a crescer.

Em um de seus milagres mais conhecidos, o teto da cervejaria da abadia desabou, comprometendo boa parte do abastecimento. Santo Arnoldo, então, pediu a Deus para multiplicar o que sobrou da bebida e suas preces foram prontamente atendidas, fazendo a alegria dos monges e da comunidade.

Além de ser conhecido pela provisão milagrosa, Arnoldo também é lembrado por introduzir novas técnicas no processo de fabricação. Enquanto montava um cesto para formação de colmeias, ele percebeu que os cones de palha poderiam servir como filtros. Por isso, em memória à sua contribuição na arte de fabricar cerveja, o santo é muitas vezes retratado segurando um desses cestos na companhia de abelhas. Em outras representações (como esta que ilustra o artigo), ele aparece segurando uma espécie de pá utilizada para macerar o malte.

Santo Arnaldo morreu jovem, com 47 anos, e foi canonizado no ano de 1121 depois de uma série de milagres atribuídos a ele serem reconhecidos pela Santa Sé. Em 1131, suas relíquias foram transportadas para a Igreja de São Pedro, em Oudenburg.