9 coisas que você precisa saber para ser um designer na ContaAzul

Ser designer aqui na ContaAzul é estar intimamente ligado às estratégias do nosso negócio. Muito além da técnica, reunimos neste artigo nove coisas fundamentais que valorizamos em um bom designer — independente do tipo de designer (UX, web, UI…).

Depois de ler, conta pra gente se você considera esses pontos importantes. Queremos saber como é ser um designer na empresa onde você trabalha.

Vamos lá!

1) Ter o cliente no centro de tudo

Aqui na ContaAzul o cliente está no centro de toda e qualquer estratégia. É a partir dele que tudo acontece, tudo mesmo. Por isso, os designers precisam mapear todos os cenários antes de iniciar algo, pensando sempre em como impactar positivamente o dia a dia do nosso usuário final. Esse exercício nos ajuda a identificar oportunidades para surpreender nosso cliente e entregar o que mais gostamos: uma experiência UAU.

2) A experiência é a melhor entrega

Complementando o tópico anterior, aqui na ContaAzul nossos designers não entregam tarefas, nem sprints: entregam experiências de valor. Sabemos que o diabo mora nos detalhes, por isso vamos muito, muito além em cada pequena e grande entrega. Somos naturalmente exigentes e críticos e isso requer de nós trabalharmos de forma organizada, levando em consideração execução de nível mundial. Um designer na ContaAzul está sempre de olho nas melhores práticas de mercado, por dentro das tendências e transformações dos serviços e negócios.

3) Saber dar e receber feedbacks

Cultivamos uma cultura de colaboração e participação. Todos têm voz e todos podem opinar. Isso cria um ambiente de criticidade alta sobre as demandas. Um designer precisa ser crítico e questionador. Incentivamos a troca de feedbacks sobre os trabalhos realizados tanto em revisões constantes de mockups, quanto trocas informais sobre as entregas. Uma prática bem legal que acontece é um encontro semanal chamado Design Talk, em que os designers apresentam seus projetos entre si para discutir soluções sobre o que cada um está trabalhando. Assim criamos um laboratório onde podemos aprender uns com os outros.

4) Estar preparado para sair da zona de conforto

Uma das características fortes do nosso ambiente são as mudanças rápidas. Erramos rápido e aprendemos mais rápido ainda. Temos um ritmo frenético e procuramos encontrar oportunidades em todo e qualquer ambiente. O designer é uma peça chave para as mudanças acontecerem: eles rodam as áreas e encaram os mais diferentes projetos.

5) Gostar de Harry Potter

Nossa guilda de design se chama Lumos e temos um designer que se chama Harry Porto. Esse tópico ficou auto explicativo: seja um PotterHead.

6) Nunca parar de aprender

Pode parecer clichê, mas se tem uma área que se desenvolve todos os dias é a de design. Aqui na ContaAzul valorizamos muito a troca de conhecimento entre os próprios funcionários, mas acima de tudo que estes sejam obstinados por aprender coisas novas, seguirem práticas mundiais e estarem sempre por dentro de tudo que acontece de novo e significativo para a área. Inclusive, estamos patrocinando o Interaction South America — Floripa — maior evento de Design de Interação da América Latina.

Alguns livros que você encontra na nossa biblioteca.

7) Ser seletivo e baseado em dados

Às vezes, no preciosismo da profissão queremos entregar a melhor experiência, mas vai demorar mais tempo que o necessário e o resultado não virá de forma rápida (muitas vezes temos entregas de curto prazo que são tão importantes quanto as maiores) e aí que entra o ser seletivo. Isso impacta em dividir as entregas em versões. Essa é a melhor forma de fazer, medir, fazer, medir— essa é uma receita importante para o que fazemos aqui.

8) Amar facilitar e participar de dinâmicas

Nós acreditamos no poder das dinâmicas. São elas que nos ajudam a deixar mais claro quais são as dores que precisamos resolver sem nos distanciarmos das necessidades do nosso negócio. Algumas das que mais gostamos são: Certezas, Suposições e Dúvidas; Value Proposition Design, além de Card Sording e dinâmicas para criação de mapas, como a jornada do usuário, por exemplo. Acreditamos que essa é uma ótima forma de colaborativamente entendermos melhor os nossos desafios e desenharmos juntos as soluções.

Dinâmica envolvendo outros times, além dos designers.

9) Não se chamar Paulo nem João

Veja bem, já temos no time: João, João Paulo, Paulo e Paulo Victor, como faz? Esgotaram nossas possibilidades de criação de e-mail. Claro que esse tópico é brincadeira. Joãos e Paulos são muito bem-vindos no time, assim como Joanas, Paulas e todas as pessoas doidas por surpreender nossos clientes e nosso time todos os dias.


Siga o nosso time de designers no Instagram e fique por dentro das novidades.

E ah, eles têm um perfil aqui no Medium também, dá uma olhada.

Se você se identificou com os tópicos desse texto e gostaria de fazer parte do nosso time, dê uma olhada nas nossas vagas (inclusive temos vagas para UX Designer!)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.