Precisamos de profissionais focados em acessibilidade dentro das empresas

Por que o mercado de trabalho brasileiro ainda não está preparado pra dar foco (ou ter profissionais focados) em Acessibilidade?

Marcelo Sales
Mergo

--

Uma mesa  vista do alto com alguns notebooks e uma pessoa segurando um celular, representando testes de acessibilidade.
O maior foco atual em empresas no Brasil são de profissionais executando testes de acessibilidade, mas essa é apenas uma das pontas necessárias. É preciso uma atenção maior para esse tema em outras áreas mais voltadas a estratégia e planejamento.

Primeiro, vamos deixar claro que todos são responsáveis por implementar acessibilidade em produtos e serviços digitais. Não dá pra colocar na conta de apenas uma pessoa ou área, quando um projeto não sai como esperado. Neste artigo que escrevi em 2017, "Quem são os responsáveis por aplicar a acessibilidade em projetos digitais?", menciono as responsabilidades de cada área envolvida na aplicação da acessibilidade:

  • Negócios
  • Marketing
  • Design/UX
  • Tecnologia
  • Qualidade/Testes

Neste mesmo artigo, há também a menção de 4 principais membros que toda empresa deveria ter e que foram mencionados em uma apresentação do John Foliot (uma das principais referências no mundo), mas aqui vamos focar em apenas um desses membros que é o Accessibility Champion.

Importante: Esse tema está diretamente relacionado com o desenvolvimento de uma cultura de acessibilidade dentro da empresa. Porém, este texto não falará diretamente sobre a cultura, isso será papo para outro artigo. Hoje focaremos exclusivamente nos cargos e formas de contratação.

Campeão de Acessibilidade? É sério isso?

Sim, é sério. E apesar de no Brasil não termos o costume de chamar pessoas que ocupam cargos chave de uma empresa de "campeões", essa terminologia é bem comum em outros países.

Segundo uma das definições no Cambridge Dictionary, "champion" significa "a person who enthusiastically supports, defends, or fights for a belief or principle", ou seja, trata-se de "uma pessoa que apóia, defende ou luta com entusiasmo por uma crença ou princípio", o que vendo dessa forma, faz todo sentido ter essa terminologia para alguns cargos e funções.

Mas afinal, o que faz um "Accessibility Champion"?

Segundo o livro "Digital Accessibility as a Business Practice", as características do "Accessibility Champion" são:

  • Tem a capacidade de liderar;
  • Pode influenciar pessoas em todos os níveis hierárquicos e em todas as funções;
  • Possui fortes habilidades de comunicação (verbal e escrita) e capacidade de motivar as pessoas;
  • É criativo quando se depara com situações desafiadoras;
  • Pode falar sobre questões de deficiência de maneira bem informada;
  • Está familiarizado com uma variedade de tecnologias assistivas;
  • Compreende os efeitos sociais da inclusão;
  • É apaixonado por design inclusivo;
  • Possui uma sólida formação técnica.

Além de algumas características "desejáveis":

  • É capaz de ensinar;
  • É capaz de se apresentar de forma convincente para qualquer tipo de público;
  • Tem uma deficiência ou está intimamente relacionado a alguém com deficiência;
  • É um engenheiro de software, programador ou desenvolvedor web;
  • É um designer de interface ou designer de interação.

Na prática, se você imaginar times ágeis e a sua estrutura padrão, fica fácil imaginar o “Accessibility Champion” como um “Chapter Leader de Acessibilidade” desempenhando as funções de capacitação dos diferentes times enquanto produz materiais, relatórios e faz a ponte de comunicação entre todos os membros, para que se mantenha a consistência no tema. Essa não é necessariamente uma verdade, mas talvez analisando dessa forma fique mais fácil identificar o papel real dessa função.

Quais os níveis de conhecimento para se tornar um especialista em acessibilidade?

Você já possui algumas das competências acima descritas, certo? Agora você quer se especializar cada vez mais e já decidiu que irá se tornar um especialista em acessibilidade digital. A primeira coisa a se fazer a partir desse momento é descobrir o que de fato você precisa saber e conhecer para se especializar no tema.

Normalmente esse conhecimento acontece de forma natural conforme a execução da função. Por mais que você leia ou estude, a prática será fundamental para que você identifique necessidades, e é a partir das necessidades que surgem os desafios (isso serve para qualquer campo de atuação, e com acessibilidade não é diferente).

Uma vez identificado os desafios, será natural você buscar formas de resolve-los, e é a partir deste momento que você perceberá o seu nível de conhecimento referente ao tema.

Glenda Sims (líder da equipe de acessibilidade da DEQUE) em seu artigo sobre "ter ou não uma certificação de acessibilidade" mostra a seguinte escala de proficiência:

Tabela comparativa entre diferentes níveis de conhecimento, sendo de 0 a 5. De nenhum conhecimento até especialista no tema.

Dando continuidade ao artigo da Glenda, a escala acima representa uma visão macro do seu estágio de conhecimento sobre o tema Acessibilidade. Uma vez que você decide se tornar um especialista no tema, percebe naturalmente que o seu campo de atuação começa a se ampliar gradativamente.

Provavelmente hoje você atua em um determinado campo de atuação, como designer, desenvolvedor, testador, etc, mas se chegou até esse texto é porque também está ampliando seu conhecimento para a acessibilidade. A grande questão é que você precisa decidir se irá continuar tocando o seu campo de atuação específico e também acessibilidade ou se irá se especializar profundamente em todos os pontos da acessibilidade para se tornar um especialista neste tema.

O "Especialista em Acessibilidade" (por área de atuação) normalmente está em todas as equipes e áreas, cada um sendo focado em seu respectivo campo de atuação, está mais preocupado em disseminar o que é necessário fazer sobre acessibilidade dentro do seu escopo de envolvimento. Já o "Accessibility Champion" atuará em praticamente todos os campos (em alguns casos também em uma respectiva área, mas no geral atendendo a todos e em todos os momentos), dando direcionamentos e coordenando estratégias, além de capacitar mais pessoas para que disseminem conteúdos e desenvolvam uma cultura de acessibilidade dentro das empresas.

Neste texto falando de acessibilidade em produtos, a BBC explica como é a atuação dos times de Acessibilidade por lá:

"A acessibilidade não é um recurso adicionado em um determinado ponto durante a produção. São muitas as conversas e decisões intencionais que ocorrem ao longo do processo de design e desenvolvimento. (…)

A BBC tem uma rede de mais de 150 [hoje 200, na verdade] campeões entusiastas da acessibilidade, que trabalham em diferentes cargos em todos os produtos digitais oferecidos ao nosso público. (…)

A equipe de acessibilidade da BBC apóia nossos campeões, mas é o compromisso de nossos campeões que impulsiona a implementação da acessibilidade em todo o nosso portfólio digital."

Seja qual for o seu campo de atuação, o conhecimento básico de acessibilidade é imprescindível a todos que queiram se especializar no tema. Mas o que engloba esse conhecimento?

Uma das certificações mais reconhecidas nesse campo é a CPACC (Certified Accessibility Professional Core Competencies) e neste caso ela divide o conhecimento principalmente em 3 campos de atuação:

Resumo da certificação CPACC: 40% deficiências e TA, 40% Acessibilidade e Design Universal e 20% legislação e estratégia.

Para consultar a lista detalhada com o conhecimento necessário, acesse a página da certificação CPACC, mas não se assuste com a lista, esse conhecimento acontece de forma natural conforme você vai aplicando, lendo, estudando, pesquisando…

Esse conhecimento (que reitero, é básico para profissionais que atuam com o tema), deve se complementar ao do seu respectivo campo atuação, por exemplo:

São apenas alguns exemplos… Cada campo de atuação terá os seus respectivos conhecimentos para implementar adequadamente a acessibilidade em seus produtos ou serviços, mas lembre-se sempre que o conhecimento não é apenas específico aos seus respectivos campos (no fim, todo conhecimento se junta).

Não há uma ordem específica para que o conhecimento seja adquirido, mas é preciso conhecer bem sobre aquilo em que irá atuar. Enfim, cada campo de atuação precisará compreender o "COMO deve ser feito", enquanto o conhecimento básico representa o "POR QUÊ está sendo feito".

E como anda o mercado com relação a esses cargos e funções?

De cara posso dizer que no Brasil o mercado está infinitamente longe de chegar ao patamar de como as empresas lá fora estão atuando. Estamos vivendo por aqui um momento de transição, onde as empresas no geral ainda estão se conscientizando sobre o tema, mas tanto os gestores, como os profissionais envolvidos, ainda possuem muitas dúvidas sobre como trabalhar bem com esse tema.

Raramente vemos profissionais alocados 100% do tempo com atividades relacionadas a acessibilidade e quando vemos é comum ele não ter tanta autonomia ou mesmo uma equipe de suporte. Ele acaba sendo responsável por pesquisar necessidades e requisitos, organizar testes com usuários (quando consegue fazer), disseminar conhecimento e não é raro ter dificuldade para atingir gestores em posições estratégicas, o que fatalmente compromete a aplicação e desenvolvimento do tema dentro da empresa. Minar um profissional que ainda está aprendendo sobre um determinado tema pode ser um tiro no pé, pois o profissional não se sentirá a vontade para trabalhar devido as cobranças exageradas e os gestores não saberão gerenciar adequadamente as expectativas dos projetos, o que só fará com que todos "patinem" sem necessariamente sair do lugar com um planejamento verdadeiramente efetivo.

Caso você tenha uma experiência bacana atuando como profissional focado em acessibilidade, comente este artigo e vamos trocar ideias. Precisamos apoiar e movimentar o mercado para que os gestores percebam a importância de se tratar a acessibilidade como fator competitivo e essencial para o desenvolvimento de produtos melhores.

Ainda vemos muitas empresas tratando o tema com a visão de compliance, o que é altamente equivocado, pois a empresa está perdendo oportunidades de realmente trazer uma qualidade muito maior para seus produtos e serviços. Essa abordagem de compliance ocorre há muitos anos por aqui e uma das pessoas que mais elucida essa questão é o Clécio Bachini em sua palestra no TDC de 2017 na Trilha de Acessibilidade.

Fora do Brasil a história é outra. A maioria das empresas enxerga a acessibilidade como um processo fundamental em todo o ciclo de desenvolvimento e vida de produtos e em alguns casos, há centenas de profissionais envolvidos no processo.

Os exemplos abaixo são referentes a grandes empresas reconhecidas no mundo em seus respectivos campos de atuação. Abrindo as imagens você tem acesso a toda a descrição da vaga, mas sempre há um resumo ao seu lado.

Perceba o quanto habilidades de comunicação e facilidade de promover a capacitação (soft skills) são importantes em quase todas as vagas, justamente por que isso envolve uma mudança de cultura dentro da empresa (e fora dela). Todas as vagas exigem um excelente conhecimento de acessibilidade em todos os seus aspectos e o foco sempre é em pessoas (todas as pessoas). Algumas descrições chegam a emocionar ❤ . Gostaria muito de começar a ver esse tipo de descrição nas vagas por aqui no Brasil… ainda veremos e algo indica que não deve demorar muito… ;)

Descrição de vaga para Lead Accessibility no Spotify
  • Lead Accessibility
    Spotify
    New York, USA
    US$125.000 a 140.000/ano

OBS: a única com salário divulgado, mas vendo a média salarial para cargos semelhantes no GlassDoor, os demais abaixo ficam na mesma média.

Principais atividades: saber definir boas práticas, priorizar e disseminar conteúdo entre todos os profissionais. Estabelecer e governar padrões técnicos e de design em todas as plataformas de serviços e para pessoas de todos os níveis da empresa (do C-level aos Estagiários). A experiência necessária gira em torno de soluções de tecnologia e design com foco em acessibilidade digital, políticas, legislação.

Descrição de vaga para Accessibility Director no Google
  • Accessibility Director
    Google
    California, USA

Principais atividades: Visão ampla dos produtos e serviços do Google para garantir que todos estejam em seu máximo impacto positivo sobre os usuários e funcionários com algum tipo de deficiência. Seu escopo vai além do Google, ajudando a melhorar as práticas de desenvolvimento em todo o setor. Experiência e ótimo domínio sobre acessibilidade e vínculos com comunidades de pessoas com deficiências e capacidade de entender o complexo relacionamento entre organização e seu ambiente.

Descrição de vaga para Manager Accessibility Experience no Google
  • Manager Accessibility Experience
    Google
    California, USA

Principais atividades: Criar experiências eficientes, agradáveis e produtivas para todos. Testes manuais com software e hardware de tecnologia assistiva e aconselhar as equipes de produto sobre design e usabilidade acessíveis. Exige certificação IAAP, conhecimento profundo de WCAG, ARIA, Section 508 e experiência em identificar problemas e aplicar soluções de acessibilidade.

Descrição de vaga para Chief Accessibility na Atlassian
  • Chief Accessibility
    Atlassian
    California, USA

Principais atividades: Desenvolvimento da estratégia de acessibilidade corporativa da Atlassian. Capacitar os “atlassianos” sobre como garantir que produtos que eles estejam construindo sejam acessíveis. Agir como “o cara da acessibilidade”, impulsionando relacionamentos e comunicação sobre o tema globalmente. Exige profundo conhecimento e experiência na aplicação de normas e regulamentos internacionais. Forte visão e experiência de design, engenharia, pesquisa, atendimento ao cliente, compliance e gerenciamento de produtos.

Descrição de vaga para Chief Accessibility na Facebook
  • Chief Accessibility
    Facebook
    California, USA

Principais atividades: Responsável pela visão, estratégia, execução da abordagem na criação de produtos inclusivos e acessíveis. Estabelecer visão compartilhada de acessibilidade em toda a empresa. Definir métricas que informem o sucesso da acessibilidade na empresa. Exige 5 anos atuando com acessibilidade digital.

Descrição de vaga para Product Manager Accessibility na Alteryx
  • Product Manager Accessibility
    Alteryx
    Colorado, USA

Principais atividades: Conduzir a execução estratégica da iniciativa "cultura de acessibilidade". Responsável por criar roteiro estratégico e direcionar as partes interessadas que implementarão os elementos táticos. Criar e manter o VPAT. Criar conteúdo de suporte (blogs, vídeos, papers, sobre acessibilidade).Ponto focal para todos na empresa. Exige experiência com todos os processos relacionados a acessibilidade e a gerenciamento de produtos.

Descrição de vaga para Accessibility Program Director na Salesforce
  • Accessibility Programs Director
    Salesforce
    California, USA

Principais atividades: Gerenciar o recém inaugurado "Escritório de acessibilidade". Alguém estratégico e apaixonado por lançar programas globais de acessibilidade. Desenvolver e manter fortes relações com as partes interessadas e o comitê executivo de acessibilidade. Exige alguém que tenha desenvolvido programas de alto impacto do zero.

Descrição de vaga para Change Coordinator Accessibility na BBC
  • Change Coordinator Accessibility
    BBC
    Manchester, UK

Principais atividades: Coordenar uma rede com mais de 200 (DUZENTOS!!!!!) Accessibility Champions focados no ciclo de vida do produto, cada um especializado e treinado em seu respectivo campo de atuação. Organizar e executar eventos de acessibilidade internos e externos, incluindo o GAAD. Experiência com projetos que envolvam mudanças nos negócios e profundo conhecimento nas terminologias, ferramentas e técnicas de acessibilidade.

Descrição de vaga para UX Research Accessibility na Bluejeans
  • UX Research Accessibility
    Bluejeans
    California, USA

Principais atividades: Criar e manter um VPAT. Desenvolver testes com usuários, analisar descobertas e fornecer feedback. Necessário sólida experiência em pesquisas. Conhecimento em ferramentas de acessibilidade e tecnologia assistiva. Excelente comunicação com equipes de design e de produto.

Descrição de vaga para Digital Accessibility Manager no Barclays
  • Digital Accessibility Manager
    Barclays
    Manchester, UK

Percebam como eles começam a descrição dessa vaga: "Nossa ambição é nos tornarmos a empresa FTSE mais acessível e inclusiva. Sua ambição deve ser mais do que apenas palavras, deve ser sobre como procuramos oferecer produtos e serviços de maneira inclusiva para todos os nossos clientes."

Principais atividades: Atuar como especialista do tema acessibilidade para as equipes que fazem parte da iniciativa de acessibilidade desde 2012. Governança, parceria, treinamento e fornecimento de ferramentas. Alinhamento entre equipes de design, negócios e tecnologia. Irá atuar como PM através de todo o ciclo de desenvolvimento dos produtos. Exige compreensão completa da acessibilidade e usabilidade para pessoas com uma ampla gama de interações. Compreender profundamente como as pessoas utilizam as mais diferentes tecnologias assistivas.

Descrição de vaga para Process Manager Digital Accessibility no Capital One
  • Process Manager Digital Accessibility
    Capital One
    Virginia, USA

Claramente eles querem concorrer sobre quem descreve melhor uma vaga:
"A medida que o cenário digital continua evoluindo e se reinventando, nunca foi tão importante garantir que qualquer pessoa interessada em fazer negócios conosco possa ter sucesso."

Principais atividades: Colaborar com as equipes ágeis de produtos sobre requisitos específicos de acessibilidade e o uso de ferramentas para obter acessibilidade no início do ciclo de vida dos produtos. Exige alguém que vai além da simples conformidade com as diretrizes de acessibilidade. Conhecimento profundo e paixão por garantir a acessibilidade, além de conhecimento em design inclusivo para proporcionar capacitação, inclusive de fornecedores.

Enfim, deu pra sacar o quanto precisamos evoluir na contratação de pessoas com foco em acessibilidade para que possamos garantir a excelência cada vez maior em produtos e serviços lançados aqui no Brasil, certo? A diferença de visão sobre o tema é gritante e perceptível.

Estou indo em diversas empresas para palestrar sobre o tema e consigo perceber uma evolução no cenário, mas ainda é algo muito restrito aos analistas. Gestores de negócios e produtos ainda passam longe de priorizar as atividades em suas sprints. C-levels ainda precisam de um apoio muito grande para que o assunto chegue da forma correta até eles. É tudo um processo. Literalmente, um trabalho de formiguinha. Quem enxergar essa necessidade primeiro, sai na frente dos demais…

Aqui vale uma observação… Gestores, PM's e PO's queridos, deem mais atenção para a acessibilidade e garantam a excelência do seu produto ou serviço para todos. Acreditem, isso não será em vão. Vocês serão muito bem recompensados por isso. Essa é a oportunidade que você esperava pra se diferenciar do "amiguinho", mostre pra ele que você não é apenas "mais um"… Chame o designer ou o dev que está mais focado com o tema acessibilidade na sua equipe pra entender melhor o que fazer (e se não tiver, incentive isso na equipe)… não conhecer nada sobre o tema não é nenhum demérito, saber que o assunto é importante, mas mesmo assim não tomar nenhuma ação a respeito, sim.

Onde buscar vagas com foco em acessibilidade?

Hoje (na data de publicação deste artigo), não adianta buscar vagas específicas nos principais sites de vagas no Brasil, ainda não há vagas com esse foco (e nem filtros para isso). Você terá que garimpar atividades relacionadas a acessibilidade entre as demais existentes nas descrições.

As pessoas que atuam nas empresas aqui no Brasil foram contratadas inicialmente com outra função e a partir daí algumas empresas alocaram a pessoa em uma função voltada para a acessibilidade (quando isso acontece). Espero que este artigo ajude a mudar esse panorama no Brasil. :)

Lá fora, você consegue encontrar facilmente as vagas que listei aqui no artigo nesses sites aqui:

Acredito que diante disso tudo, diversas dúvidas ou alguns esclarecimentos aconteceram na cabeça de quem chegou até aqui. Fique a vontade para comentar e também me falar como é a realidade da sua empresa. Você atua exclusivamente com acessibilidade? Como foi o processo? Migrou de área e hoje você foca nisso ou foi contratado já pra desempenhar alguma função focada nisso? Conte-me mais…

Tudo isso tem a ver com o desenvolvimento de uma Cultura de Acessibilidade, mas isso será papo para um próximo texto. :)

Está procurando por algum curso de acessibilidade?

Quer aprender como efetuar o planejamento de acessibilidade na sua empresa? Como aplicar e envolver todos na equipe? Como especificar e gerar documentações? Então vem pro curso que realizo em conjunto com a Talita Pagani na Mergo. Verifique as turmas disponíveis e o programa completo no site e se tiver dúvidas, comente aqui.

Me chamo Marcelo Sales, sou designer focado 100% em acessibilidade. Estudo o tema desde 2012, desenvolvo ferramentas de apoio e além aqui do Medium, você me encontra também no Twitter, no Instagram e no LinkedIn! ;)

--

--

Marcelo Sales
Mergo
Writer for

Designer com foco em acessibilidade digital e design inclusivo. Apaixonado por psicologia e comportamento humano. Criador do Guia WCAG (http://guia-wcag.com).