Uma forma de fazer revisão usando o OmegaT

Revisão no OmegaT

Esses dias uma colega me perguntou como fazer revisão usando o OmegaT. Até agora eu só havia feito revisão no próprio programa e depois entregava o documento final já revisado, sem marcas. Mas ela precisava gerar, além do documento já com as revisões e edições incorporadas, outro com algum tipo de marcas de revisão. Então sugeri o seguinte processo, que conto aqui pois pode ajudar quem precise fazer isso também.

Ela tinha dois documentos em formato .docx (documentos do Word). O primeiro era o original em francês (vamos chamar de doc1.docx), e o outro, a tradução para o português (vamos chamar de doc2.docx).

O primeiro passo é criar um projeto novo com os idiomas de partida e de destino iguais. Como neste caso a revisão era do texto em português, é assim que ficou:

Clique no botão OK. Na próxima janela, Arquivos de projeto, clique no botão Copiar arquivos para a pasta de origem, encontre o arquivo que deve ser revisado (ou seja, o traduzido, que neste caso é o doc2.docx) e clique no botão Ok.

O próximo passo é acessar Opções > Editor > Editor e marcar “Inserir o texto de origem” e “Permitir que a tradução seja igual ao texto de origem”, como mostra a imagem abaixo (caso essas opções ainda não estejam marcadas) e depois clicar no botão OK, no canto inferior direito:

Em seguida, acesse o menu Projeto > Acessar conteúdos do projeto > TMs. Você deverá ver uma pasta chamada auto. Crie outra pasta, chamada tmx2source. Sua pasta tm ficará assim:

Pode fechar essa pasta e voltar ao OmegaT. O projeto estará aberto e você verá os segmentos traduzidos e a cada segmento ativo, uma cópia do segmento para fazer a revisão e edição, quando necessário. Mas não seria melhor ainda poder fazer o cotejo com o segmento do idioma original também? Então vamos fazer isso.

Vá no menu Ferramentas > Alinhar arquivos, para criar uma memória de tradução com os arquivos doc1.docx e doc2.docx (caso você não saiba fazer alinhamento, eu explico neste artigo). No fim do processo de alinhamento, salve o arquivo .tmx na pasta tm > tmx2source que você criou antes. O arquivo deverá ser salvo com o nome “XX_YY.tmx”, onde XX_YY corresponde à sigla do idioma do texto original. Por exemplo, se o texto do arquivo doc1.docx estiver em inglês dos EUA, o arquivo será chamado “EN_US.tmx”. Como esse estava em francês, seria chamado “FR.tmx”.

Feche a janela de alinhamento e veja a mágica acontecer: agora você tem o segmento do texto traduzido (doc2.docx), o segmento correspondente do original (doc1.docx) e uma cópia do segmento traduzido que você vai editar, caso precise revisá-lo, ou deixar como está, caso esteja tudo certo. Veja o exemplo abaixo:

Um exemplo de um projeto em inglês: tradução em cima, original no meio, revisão embaixo.

Faça a revisão até o fim e então Crie o documento traduzido, apertando Ctrl+D ou acessando a opção em Projeto > Criar documentos traduzidos. Assim você terá o arquivo traduzido já com as revisões incorporadas, que poderá ser encontrado em Projeto > Acessar conteúdos do projeto > Arquivos de destino.

Para produzir um documento com as marcas de revisão destacadas por segmento, faça o seguinte: baixe este arquivo e descompacte. Acesse Ferramentas > Scripts > Arquivo > Acessar pasta de scripts e copie nesta pasta o arquivo write_table_review.groovy que você descompactou. Ele deverá aparecer na lista de scripts à esquerda. Se não aparecer, feche a janela de scripts e recarregue o programa, apertando F5 (ou feche e reinicie o OmegaT). Então basta entrar em Ferramentas > Scripts de novo, selecionar o script write_table_review. groovy e apertar no botão Executar, que fica no canto inferior esquerdo da janela.

Uma janela abrirá no seu navegador, com uma tabela contendo os segmentos lado a lado, os originais na primeira coluna e os revisados na segunda (e os editados aparecerão com um fundo amarelo). O arquivo com esta tabela pode ser encontrado na pasta script_output, que pode ser acessada em Projeto > Acessar conteúdos do projeto > Raiz. O arquivo é salvo em formato .html, mas pode ser aberto no Microsoft Word também.

Pronto! Quando precisar fazer revisão de novo, você não terá que fazer todos estes passos outra vez. A criação da pasta tmx2source e do script só precisam ser feitos na primeira vez, por exemplo.

Outra forma de produzir um documento com as marcas de revisão é baixar o programa Change Tracker, que cria uma tabela similar, mas na forma de um arquivo de Excel, e com a revisão exibida de forma mais específica. Mas para usá-lo é preciso ter o Windows e o Microsoft Excel instalados (o arquivo que o Change Tracker cria não funciona com o LibreOffice Calc, por exemplo). Para criar a tabela com as marcas de revisão, você usará as duas memórias de tradução criadas durante o processo explicado acima: (1) aquela criada pelo alinhamento e (2) a do próprio projeto, que aparece depois que você cria os documentos traduzidos. Ela está na pasta Raiz, chamada “[nome-do-projeto]omega.tmx”. O programa Change Tracker criará a tabela a partir das duas memórias. Dica: depois de carregar os dois arquivos .tmx, você precisa clicar nos símbolos de “+” que aparecem ao lado de cada arquivo, para “conectar” um ao outro. É preciso clicar em um, segurar o botão do mouse e arrastar a linha até o outro. Aí basta clicar em “Next”.

Assim que você clicar e arrastar o +, deve aparecer uma linha onde a flecha vermelha aponta

É assim que fica a tabela no Excel depois deste processo no Change Tracker:

(Imagem feita por Fábio Caldas)

Espero que as informações aqui sejam úteis, e caso você use outro processo para revisar, peço que deixe a descrição nos comentários. Se ficou alguma dúvida sobre o que foi descrito, fique à vontade para perguntar nos comentários também, ou na página do Facebook. Boa revisão!