O mundo é de um jeito, ou pode ser de outro

Lama Padma Samten fala sobre a visão budista de Terras Puras e sua relação com a Revista Bodisatva

A busca por uma forma de vida em maior harmonia com a natureza, mais favorável para a saúde, para a economia doméstica, e que, principalmente, possibilitasse o aprofundamento e a prática do Darma, fez surgir há 20 anos a primeira Aldeia CEBB (Centro de Estudos Budistas Bodisatva) Caminho do Meio, em Viamão, no Rio Grande do Sul. Atualmente, lá residem várias famílias e é onde está instalada, desde 2010, a Escola do Caminho do Meio, que atende crianças de dentro e de fora da comunidade a partir de um ano de idade.

“Estamos dentro de um mundo que se organiza de um jeito, mas, de repente, inventamos outra forma de nos movimentarmos. Nós sonhamos, desenvolvemos essa coragem e nos colocamos em marcha”, contou o Lama Padma Samten ao relembrar o início deste movimento das Aldeias, durante o Retiro de Verão deste ano, que teve como um dos temas abordados o Projeto Terras Puras.

De 1997 para cá, as Aldeias foram se expandindo e amadurecendo, gerando benefícios e oportunidades para quem ali vive ou busca um local mais apropriado para a realização de retiros curtos ou longos.

Imagens do CEBB Darmata em Timabúba/PE e CEBB Recôncavo em Santo Amaro/BA. Fotos: arquivo CEBB.

Hoje, contando com a Aldeia CEBB Caminho do Meio, são oito Aldeias espalhadas pelo Brasil: Alto Paraíso, em Goiás, que comporta a Escola Vila Verde; a CEBB Mendjila, que fica na região de Canelinha, em Santa Catarina; CEBB Recôncavo, em Santo Amaro, na Bahia; CEBB Sukhavati, na região metropolitana de Curitiba; CEBB Darmata, em Timbaúba, Pernambuco; CEBB Bacopari, que fica em Palmares, e CEBB Jetavana, ambas no Rio Grande do Sul.

“Nós pegamos essa substância que é a energia que constrói as coisas, esse fio dourado, e tecemos uma teia na direção que achamos mais favorável. É isso que estamos fazendo. Cada uma dessas iniciativas tem suas dificuldades, mas seguimos com paciência, mantendo os propósitos, e as coisas vão se resolvendo”, explica o Lama.

Na opinião dele, uma das questões cruciais deste movimento é a constatação e que é possível ir na contramão do processo econômico operando através dos méritos.

Região do entorno do CEBB Bacopari e CEBB Jetavana, ambos no Rio Grande do Sul. Fotos: arquivo CEBB.
“Não temos nenhuma fonte de recursos a não ser a própria Sanga, utilizamos o mesmo método do Buda: o da tigela. A prática no mundo é gerar méritos, trazer benefícios.
O mérito é o engajamento verdadeiramente positivo que permite que as pessoas sejam beneficiadas e, à medida que elas são beneficiadas, surge essa energia e tudo anda”, acrescenta.

Na visão do Lama, o desenvolvimento de uma interface com a comunidade ao redor das Aldeias tem sido um aprendizado importante nesta caminhada e a ideia é ampliar e fortalecer ainda mais essa conexão. “Nós temos com a comunidade do Castelinho, próxima ao CEBB de Viamão, por exemplo, uma relação de amizade de mais de 15 anos. Ali vivem cerca de 500 famílias, aproximadamente 1.500 pessoas, e estabelecemos com eles uma relação de troca. Espero que a gente consiga ampliar ainda mais esse trabalho”, vislumbra.

CEBB Caminho do Meio em Viamão/RS e CEBB Mendijla em Canelinha/SC. Fotos: arquivo CEBB.

“O movimento geral das Aldeias trabalha com o conceito de Terras Puras, onde as melhores qualidades das pessoas de todas as idades podem se desenvolver em harmonia com visões orgânicas de educação, arquitetura, geração e uso de energia, sustentabilidade, e presença equilibrada no ambiente natural, tratamento biológico dos efluentes, saúde e alimentação equilibradas, bons relacionamentos e convívio. Gerando tais méritos, teremos a base adequada para aprofundar nossa ação na forma dos estudos do Darma do Buda, buscando a superação das nossas limitações e o pleno desenvolvimento do nosso potencial búdico”, descreve o Lama. Ele explica:

CEBB Alto Paraíso em Goías. Foto: arquivo CEBB.
“Usamos o sistema das mandalas como forma de organização, que acontece graças à energia vinda dos corações conectados ao brilho autônomo e incessante dos Budas e suas bênçãos ilimitadas”.

Revista Bodisatva e a visão das Terras Puras

Nesse mesmo encontro, o Lama falou sobre a importância da Revista Bodisatva nesse trajeto de construção e fortalecimento da visão budista de Terras Puras. Em pleno movimento de expansão, ela passa a ter novo formato, transformando-se em uma plataforma.

Na opinião do Lama, essa nova etapa da Bodisatva será muito útil para fortalecer essa visão e as experiências e iniciativas que diferentes aldeias e diferentes praticantes têm desenvolvido a partir dela. Além disso, a Bodisatva segue como uma espaço não sectário de divulgação da visão de mestres e mestras do budismo e de outras tradições.

Lama Padma Samten em visita ao CEBB Sukhavati. Foto: arquivo CEBB.

A Bodisatva passará a comportar, além da revista em versão impressa (com tiragem semestral), publicações especiais e um novo site, que está em construção e deve ficar pronto em breve.

“A equipe de jornalistas é pequena, mas nossa ideia é reunir muitos colaboradores para que tudo isso funcione de fato. Cada vez mais as pessoas estão procurando outras formas de viver, que sejam mais lúcidas, portanto há uma demanda por esse tipo de conteúdo”, declarou Lia Beltrão, uma das editoras da Revista Bodisatva.

“A Revista Bodisatva é uma referência importante para o budismo no Brasil. Registrou momentos históricos como a vinda, nos anos 80, de Jamgon Kongtrul Rinpoche III, o primeiro mestre em que tomei refúgio. Nesta época o Budismo no Brasil todo não tinha tantas pessoas quanto temos hoje nesta sala”, contou o Lama durante o retiro.

“A revista noticiou a vinda da S.S. Dalai Lama, em 1992; a chegada do mestre Zen, Moriyama Roshi; a vinda do Chagdud Rinpoche, e, claro, os ensinamentos destes e de outros mestres que cruzaram por aqui”, continuou. “Quando ela surgiu não havia mídia eletrônica, mas sobreviveu a essa passagem. Todavia, acho interessante que ela siga também como um documento impresso a fim de registrar um tempo e a visão que temos deste tempo”, conclui.

Veja na íntegra a apresentação do sonho da Bodisatva, expandindo o Darma na web e sobre as Terras Puras, durante o Retiro de Verão de 2017, em Viamão.

Projetos Bodisatva e Terras Puras | Retiro de Verão 2017.

*Por Glaucia Andrea Domingos | Revisão João Yuri


Saiba Mais

  • Para participar da Campanha de Doação para expansão da Revista Bodisatva, acesse aqui.

Aldeias do CEBB

Veja a localização das Aldeias do CEBB no mapa abaixo e saiba mais sobre cada uma delas, nos links listados na sequência.