UNBOUND: Resultados da Trilha

O que aconteceu com os jovens que passaram 33 dias morando juntos e aprendendo mais sobre empreendedorismo no Brasil?

Depois de viverem todo o tipo de experiência, adquirirem aprendizados pessoais e profissionais (se você não acompanhou essa história do início, é só clicar aqui para saber mais) e serem desafiados nas mais diversas vertentes do empreendedorismo, estava na hora dos piratas voltarem para as suas cidades.

Mas, antes de cada um deles irem pra casa, nós gravamos depoimentos carregados de emoção, para que eles pudessem compartilhar os sentimentos que estavam presentes ao final daqueles 33 dias. No vídeo abaixo você pode conferir o recado que o Victor nos deixou sobre a importância que a trilha teve pra ele.


A transformação não acaba aqui

Como citamos no nosso último texto, a UNBOUND não foi o final, mas sim, o começo de um processo de transformação muito maior na vida de cada um dos piratas. E nós acreditamos tanto nisso, que quando nos propomos a desenhar uma jornada ou uma trilha de aprendizado, valorizamos muito o pós experiência, momento de entender a aplicação prática de tudo que foi vivido e momento de entender o impacto gerado em cada indivíduo. No caso na UNBOUND, não poderia ter sido diferente. Muita coisa foi trabalhada nos meses seguintes e muitas histórias foram ouvidas, não só por parte dos piratas, mas também por parte de outros atores fundamentais nesse processo. E depois de ouvir todas essas histórias, nós identificamos alguns padrões muito legais, que valem o compartilhamento.

7 meses após o término das experiências:

- 50% dos piratas receberam uma nova proposta de emprego e foram contratados para trabalhar nas áreas que queriam;
- 20% deles iniciaram um novo estágio profissional na área de interesse;
- E os outros 30% se destacaram com resultados expressivos nas suas EJs, na liderança de equipes de estágio e no desenvolvimento de Projetos Sociais.

Isso foi o que os números são capazes de nos mostrar, mas por trás deles, existem histórias que também precisam ser compartilhadas. Por isso, nós separamos alguns trechos super legais que foram ditos por cada um dos piratas e inclusive pelo João, o fotógrafo que participou de toda a trilha. Dá uma olhada.

O QUE OS PIRATAS DISSERAM?

  • CAMILA: “(…)Desisti de fazer faculdade de design e passei a focar em outras formas de aprendizado.”
  • DOUGLAS: “(…)Vi a importância de incorporar habilidades interpessoais na minha formação acadêmica, mudei a minha forma de liderar e passei a exercitar a liderança compartilhada nas equipes que faço parte.”
  • ISABELA: “(…)Antes eu era assessora e tinha a postura de fazer só o que era pedido. Hoje, aprendi a liderar de uma forma completamente diferente e vou me candidatar à presidência da minha EJ pra deixar um legado ainda maior.”
  • JOÃO: “(…) Fui contratado pela OBB para trabalhar como film-maker de 5 programas e dali surgiu a oportunidade de trabalhar em uma agência de conteúdo em vídeo.”
  • LEANDRO: “(…)Estou super conectado com a minha atuação profissional e sinto que estou fazendo algo que chega às pessoas. Assumi o protagonismo dentro do meu trabalho, abraçando riscos e liderando equipes.”
  • MARCELLA: “(…)Me conectei com o meu propósito na arquitetura e também com o setor social dentro dessa área.”
  • MARIANA: “(…)Otimizei o processo de produção e trouxe novos sabores para o cardápio da marca de brigadeiros da minha família. Do início do ano até agora a receita da empresa triplicou.”
  • MATHEUS: “(…)Me questionei e entendi mais sobre quem eu era. Larguei meu antigo estágio, juntei dinheiro e fui para São Paulo.”
  • PABLO: “(…)Recusei uma proposta de emprego em uma multinacional e hoje trabalho na SKEP e na DZN. Entendi que as decisões que tomei me fazem sentir dono do caminho que estou seguindo.”
  • VINÍCIUS: “(…)Antes da UNBOUND eu sofria muito por ansiedade e expectativa. Durante a UNBOUND, eu aprendi a viver o dia, o momento, sem me preocupar com o que viria depois.”
  • VICTOR: “(…)Corri atrás, cavei o estágio que queria e descobri a área que quero me especializar, a ornitologia. Pretendo ser pesquisador e professor de ensino fundamental e médio.”

Não foram só os piratas que observaram uma mudança significativa em relação aos seus comportamento e nos rumos que a vida deles tomou, os pais também observaram pontos muito interessantes.

O QUE OS PAIS DISSERAM?

  • DENISE - mãe da Camila: “(…)Toda a intensa experiência que ela teve, serviu para presenteá-la com uma chave muito preciosa, a da independência. Camila se tornou mais independente e livre. Adquiriu coragem de mudar rotas e caminhos para atingir objetivos mais condizentes com seus sonhos e com aquilo que a realiza e faz feliz. Quebrou paradigmas muito difíceis, como interromper a faculdade ao invés de formar.”
  • CRISTINA - mãe da Marcella: “(…)Ela conseguiu colocar uma nova direção na vida dela, no sentido de objetivos, porque ela percebe que há muitas mudanças a serem feitas e ela pode contribuir e muito com essa mudança que se faz necessária no mundo em que nos encontramos.”
  • NAZARETH - mãe do Matheus: “(…)Acho que vocês tem todo o mérito por terem traçado uma metodologia diferente. Quem dera se todos os nossos jovens pudessem ter essa experiência para enxergarem que caminho querem para as suas vidas.”
  • HIDALGO - pai do Vinícius: “(…)Falar do meu filho e da evolução que ele teve nesse último ano me emociona e é de arrepiar. O que ele viveu no projeto de vocês vai ser fundamental para a carreira e vida dele. Vocês foram um divisor de águas para o Vinícius e para nós, a família.”

E por fim, quem também teve o que falar sobre a UNBOUND foram os parceiros que apoiaram e participaram das programações, compartilhando muito conhecimento relevante e tendo momentos profundos de trocas com os participantes.

O QUE OS PARCEIROS DISSERAM?

  • Participar dessa experiência valeu a pena? Você participaria de outras trilhas da SKEP?

Marco Rodrigues - SOUL: Valeu muito a pena. Saímos com a missão cumprida e é um grande desejo nosso participar de outras trilhas da SKEP. Eles são os mais impactados com a trilha. Estar imerso durante 1 mês tendo todas essas experiências totalmente desenhadas para o máximo desenvolvimento possível deles, permite um imenso desenvolvimento pessoal, autoconhecimento e transformação em tudo o que eles desejarem.”

Ivan Boscariol - GOV.LAB: “Sim! Com certeza! Vocês mandaram bem na escolha dos participantes, na organização das atividades antes e depois, e no suporte ao facilitador (tudo bem respondido num prazo legal).”

  • Você acredita que a trilha UNBOUND terá impacto na vida dos piratas? Por que e de que forma?

Eduardo Lopes - OLABI:Vocês mandaram muito bem em tudo! Eu queria ter tido essa chance há 20 anos…:) Os piratas tiveram a oportunidade de passar por experiências que eu mesmo demorei mais de 15 anos no mercado para aprender sozinho.”


E foi isso que aconteceu com os piratas 7 meses após o termino da trilha. Nós esperamos que essa história tenha te ajudado e te inspirado de alguma forma, assim como nos inspirou e nos inspira até hoje.

Porque no fim das contas, empreendedorismo é muito mais do que montar uma Startup ou abrir uma empresa. É assumir as rédeas da própria vida, mudar o que precisa ser mudado e valorizar o que faz parte de nós, em essência. Empreendedorismo é autenticidade. É seguir o caminho que parece o menos provável, ou seguir o caminho mais provável, se ele estiver alinhado com o que mais faz sentido pra cada um.

Empreendedorismo é atitude, e atitude se adquire vivendo, experimentando e explorando o que existe além da nossa visão.

E aí? Quer saber quando acontecerá uma próxima Trilha UNBOUND ou quer uma UNBOUND personalizada só pra você?

E-mail: experience@skep.education
Telefones:
(48) 3024–3084 ou (11) 2737–5706
Whatsapp:
(48) 9 9183-8640