2017, retrospectiva da vida de uma engenheira de software inquieta

Esse ano foi uma loucura!

Louco, louco, louco

Na área das palestras, foram 16 palestras no total em 5 cidades diferentes. Meetups, eventos pequenos, eventos grandes, debates, tudo quanto é coisa. Sem falar nos eventos que eu fui para assistir e não palestrar. O que aprendi esse ano é que a comunidade é sensacional. Conheci gente de tudo quanto é canto do Brasil e do mundo, que me ensinaram muitas coisas e também fiz grandes amigos.

Outra coisa que aprendi foi sobre nunca desistir. Consegui palestrar pela segunda vez na BrazilJS Conf (nas duas edições, inclusive), apesar de pensar ser impossível. Pela primeira vez fui convidada a palestrar em um evento, e ainda mais para uma palestra de 50 minutos. Aliás, muito obrigada ao pessoal da organização do Front in Vale. Pessoas que eu considero muito boas elogiaram meu trabalho e me deram super dicas e isso traz uma satisfação enorme, meu muito obrigada ao Leo Balter, Jem Young, Pokemaobr, entre muitas outras pessoas. Teve até pedido de selfie 😱 (juro que esse eu desacreditei), de pessoas como a Mariko Kosaka, Maurício Samy Silva(Maujor). Pode parecer bobeira, mas foi sensacional e foi mais um pouquinho que contribuiu para o meu crescimento esse ano.

Aprendi também que eu gosto muito de tentar motivar pessoas. Entrei para o Training Center, uma comunidade para ajudar pessoas a entrarem para o mundo da programação, e nela eu sou mentora voltada para a parte de front end. Hoje estou com 12 mentorados ❤ mais as pessoas que acabo ajudando sem o "título" de mentora. Além disso, estou participando da organização do meetup TC Talks SP, que chegamos a nossa quarta edição nesse mês de dezembro.

Outra parte de motivar pessoas foi no meu trabalho, no Elo7, que comecei a reestruturar o blog de tecnologia, o nosso tech blog, deixar de cara nova, e tentar motivar os programadores a escrever (tarefa bem complicada diga-se de passagem). Virei o tipo de pessoa que falava e ainda fala: "Oi, tudo bem? O que acha de escrever um post pro blog?". Perturbei a empresa inteira, mas hoje conseguimos colocar um post por semana no blog \o/ e ainda temos um time que toma conta do blog (não só eu).

Inclusive escrevi alguns posts para lá, sobre javascript isomórfico, parte 1 e parte 2, e também sobre a propriedade display do CSS

Finalmente consegui colocar no ar meu site pessoal, com tudo que eu já palestrei, já escrevi e todos os meus contatos. E consegui também dar uma atenção maior ao meu blog de diabetes, o Diabetes Mais Doce, talvez não postando tanto, mas com um foco maior na página do Facebook, que consegui chegar ao número de 2,1k seguidores 😱. Falando em redes sociais, consegui chegar a 1k seguidores no meu twitter pessoal, algo inacreditável para mim, até porque eu nem usava tanto o Twitter assim, que comecei a usar mais esse ano.

Redes sociais mega ativas

Recebi um convite de um blog estrangeiro, o superyesmore para escrever um post sobre produtividade. Eu nunca tinha escrito nada em inglês, e foi minha primeira experiência. Escrevi a versão em inglês e a versão em português. Falei um pouco sobre metodologias de produtividade e que não existe ser 100% produtivo em 100% do seu tempo.

E assim entendi também que na vida não adianta só querer trabalhar e ser produtivo 24 horas por dia. Comecei a fazer taekwondo no início desse ano e continuo firme e forte, já estou na minha terceira faixa (amarela) e não penso em parar. Foi algo que me fez muito bem, para minha saúde, disposição, mente, algo inexplicável. Também me permiti sair um pouquinho mais, sair, dançar (dançar forró é legal), assistir séries. Tudo isso, acaba ajudando e muito em todas as partes da vida. Ajuda a manter o equilíbrio.

E no meio de toda essa vida agitada, com palestras, trabalho, mentoria, eventos, taekwondo, e muitas outras coisas, aprendi sobre parar. Ter calma e paciência para tudo na vida. Em outubro eu trinquei o dedão do pé, coloquei uma tala e fiquei um mês sem colocar o pé no chão, confinada em casa. E mesmo depois de tirar a tala, fiquei mais um mês quase para me recuperar, reaprender a andar, conseguir ter firmeza, equilíbrio e força para andar. Ou seja, fiquei quase 2 meses afastada de tudo, fazendo home office, cancelei todas as minhas palestras (isso foi horrível), parei taekwondo. Praticamente minha vida toda parou. Foi muito difícil, ainda mais para mim que sou super agitada e ligada no 220, mas foi um ótimo tempo para reflexão e ter um milhão de novas ideias.

O que fica de 2017 é muito aprendizado.

E o que temos para 2018:

Aguarde que terá muita novidade!
  • Muitas palestras (podem chamar ;D)
  • Novos projetos (fiquem ligados ;) )
  • E mais muita coisa legal por aí