Guia para eventos acessíveis: como fazer apresentações (parte II)

Na segunda parte da série, saiba como deixar o seu material de apresentação acessível

Sobre um fundo azul há o ícone branco de desenho universal ao centro da imagem, representado por uma pessoa com braços abertos, contendo ao redor os seguintes ícones: língua de sinais, deficiência visual, deficiência auditiva, pessoa cadeirante, baixa visão, deficiência cognitiva, braille e audiodescrição. Fonte da imagem: autoria própria.

Faltam poucos dias para a UX Conf de 2017 e você certamente já está com todos os slides prontos, certo?

“Aham, Cláudia, senta lá!”. Descrição da imagem: gif do J. J. Jameson, do filme Homem-Aranha, rindo e batendo na mesa

Agora é a fase de ajustes finais do conteúdo, ensaiar, testar a apresentação e você não pode esquecer também de verificar se seus slides estão acessíveis!

No primeiro artigo da série sobre como fazer apresentações acessíveis, comentei sobre os aspectos comportamentais de palestrante. Neste artigo, as dicas serão para a preparação do conteúdo, considerando a apresentação no dia do evento e a formatação dos slides para disponibilizar depois ao público.

Uso de cores

Gif mostrando diferente pares de cores e como elas são vistas por pessoas com daltonismo. Por exemplo: verde claro e amarelo parecem quase a mesma cor caso a pessoa seja daltônica, enquanto o verde e o marrom podem ser bem diferenciados. Fonte da imagem: https://medium.com/@sidgtl/designing-for-colour-blindness-b74a9d012ef2

Não confie 100% nas cores para apresentar uma informação. Ao confiar muito nas cores para distinguir informações, você pode se deparar com os seguintes problemas:

  • A calibragem do seu monitor e do projetor do evento sempre serão diferentes. Uma combinação de cores que parece ter bom contraste no seu monitor, pode apresentar baixo contraste no projetor e também no monitor das pessoas que acessarem os slides;
  • Se o projetor estiver com má calibragem ou falha em alguma das cores, o baixo contraste ficará em maior evidência;
  • Pessoas com daltonismo não conseguirão ter a mesma percepção da informação se ela estiver vinculada somente à cor. Por exemplo, ao dizer que “o botão verde foi a solução que encontramos para chamar a atenção” e você apresentar um botão verde ao lado de um botão amarelo, provavelmente a pessoa com daltonismo não perceberá a diferença entre os botões.

Em uma aula que ministrei na pós-graduação, ironicamente sobre contraste de cores, o projetor estava com a luz vermelha queimada e grande parte dos meus slides usavam cores vermelhas (cores da universidade). Felizmente, era um vermelho com contraste suficiente entre os planos de fundo, então os slides ficaram com tons escuros. Porém, um dos meus exemplos comparativo de má prática de contraste não pode ser percebido pelos alunos justamente porque o projetor estava com problema (Lei de Murphy).

Como faço para não associar uma informação somente à cor? Você pode usar junto com as cores:

  • Formas diferente para informações que deseja diferenciar
  • Ícones ou imagens
  • Estilos de fonte diferentes
  • Proporções diferentes
  • Texto auxiliar

Não esqueça também de testar o contraste entre as cores que você utilizar, especialmente para os textos. Use ferramentas que auxiliam a verificar o contraste e encontrar combinações de cores acessíveis como ColorSafe e Color Tool do Google.

Língua a ser utilizada

Essa dúvida me ocorreu quando palestrei em um evento nacional que também tinha alguns participantes e palestrantes estrangeiros.

E agora, falo em português e coloco os slides em inglês? Coloco os slides de forma bilíngue? Coloco apenas em português?

Na UX Conf, geralmente tempos participantes e palestrantes de outros países também.

Porém, como é um evento majoritariamente brasileiro, o recomendável é produzir os slides em português e, se possível, prover versões alternativas em inglês ou espanhol.

Utilizar mais de um idioma para os slides pode tornar confuso às pessoas da plateia pelo excesso de informação e pode dificultar a leitura do documento por softwares leitores de tela quando o material for disponibilizado online.

Texto Alternativo nas imagens

Não basta descrever verbalmente as imagens da apresentação durante a palestra. Ao publicar os slides em plataformas online, outras pessoas irão acessar o material, incluindo pessoas com deficiência visual que fazem uso de softwares leitores de tela.

Todas as imagens devem apresentar textos alternativos (Texto alt) com títulos e descrições que permitam compreender o conteúdo da imagem.
As ferramentas mais populares de criação de slides como Power Point, Keynote e Google Slideshow possuem recursos para informar o texto alternativo, conforme apresentado nas imagens a seguir.

Screenshot do Power Point 2013. Ao selecionar uma imagem, a opção de texto alternativo encontra-se na aba “Formatar” > “Propriedades de Tamanho” > “Texto Alt”.
Screenshot do Keynote. O texto alternativo encontra-se na barra lateral direita em “Image” e depois no último campo com rótulo “Description”. Fonte da imagem: http://www.loveittobits.com/blog/how-to-add-alt-text-to-images-in-iwork-documents-mac-version
Screenshot do Google SlideShow. O texto alternativo está disponível no menu “Formatar” > “Texto Alternativo”, onde abrirá uma janela modal para inserir título e descrição da imagem.

Tamanhos de fonte

Lembre-se de fornecer texto que possa ser lido pelas pessoas que estão no fundo do auditório. A acessibilidade do texto não envolve apenas pessoas com deficiências, mas também barreiras ambientais. Um bom tamanho de texto para apresentações é, pelo menos, 32pt.

Quatro textos idênticos, dois do lado esquerdo e dois do lado direito, mostrando diferentes combinações de cores de fonte com o fundo preto. Os textos à esquerda, nas cores branco e azul claro, possuem bom contraste. Os textos à direita, nas cores marrom e cinza, são praticamente ilegíveis. Fonte da imagem: https://medium.com/@sidgtl/designing-for-colour-blindness-b74a9d012ef2

Frequentemente os textos de slides podem ser lidos somente pelas pessoas que estão nas primeiras fileiras, prejudicando a experiência dos demais participantes do evento.

Isso acontece especialmente com palestras que apresentam códigos. Caso você apresente códigos em sua palestra, recomendo conferir as dicas do Rafael Pontes em Como Apresentar Código em Slides.

Use fontes com espessura consistente, como as fontes sem serifa, para melhor legibilidade. Não é proibido usar fontes fantasia, mas tente evitar e usar com moderação. Evite também o uso de efeitos no texto, como sombras, pois eles podem reduzir a legibilidade no projetor. Lembre-se que nem tudo que fica bom na tela do computador fica bom no projetor. As recomendações sobre contraste de cores se aplicam da mesma forma aos textos.

Melhores formatos

É muito comum publicarmos os slides em formato PDF, porém, nem sempre ele é acessível o suficiente. HTML e RTF (Rich Text Format) geralmente são mais acessíveis a softwares leitores de tela. Se você conseguir prover o conteúdo de seus slides de forma alternativa neste formato, certamente será de grande ajuda. Caso não seja possível, teste seu PDF com leitores de tela para assegurar que ele está acessível.

Uso de mídia

Se sua apresentação possuir áudio ou vídeo incorporado, você deve fornecer transcrições de texto e/ou legendas de alguma forma.

Ajudando a equipe de intérpretes e tradutores do evento

É cada vez mais comum termos intérpretes de língua de sinais em eventos, felizmente! Além disso, há os intérpretes e, muitas vezes, audiodescritores também. Estes profissionais precisam estar cientes do material que está sendo apresentado para se prepararem, pois certamente haverá termos técnicos, siglas e acrônimos pouco conhecidos por eles.

Forneça os slides antecipadamente à equipe do evento, se possível, contendo também explicações de termos técnicos, siglas, acrônimos e pronúncia de algumas palavras. Se você tiver a transcrição ou legenda dos recursos de mídia, forneça-os também. Ao ajudar os intérpretes, você ajuda também o público.


Leia a parte I do guia para apresentações acessíveis:

Faltou alguma dica? Ainda tem dúvidas? Deixe seu comentário no artigo ou me pergunte diretamente no Twitter.


Curioso para saber mais dicas como essas? Fique atento, seguindo a UXConf BR no Medium ou acompanhando a UXConf BR via Facebook e Twitter.

Referências

W3C. How to Make Presentations Accessible to All. 2012. https://www.w3.org/WAI/training/accessible

Queen’s University. Accessible PowerPoint Presentations Checklist. http://www.queensu.ca/accessibility/how-info/accessible-documents/accessible-powerpoint-presentations-checklist

Si Digital. Designing for Colour Blindness. https://medium.com/@sidgtl/designing-for-colour-blindness-b74a9d012ef2

World Blind Union. How to make visual presentations accessible to audience members with print impairments (PDF). https://www.ifla.org/files/assets/hq/officers/documents/wbu-visual-presentations-guidelines-summary.pdf