10 animes de drama e romance que fazem você chorar

Para celebrar os 10+ seguidores da Nerd Articles, resolvi escrever esse artigo “top 10” de animes classificados como drama e romance. Já explico o porque das aspas no “top 10”.

Quando falamos de drama, o oriente sempre me impressiona. Não é apenas pelas histórias, que muitas vezes seguem um padrão, mas como elas são contadas, a trama que se desenvolve e os personagens que sempre cativam. Algumas delas te marcam por toda a vida e ainda fazem você chorar com momentos de tristeza, alegria, beleza e melancolia.

A coisa mais difícil para escolher entre essa pequena lista de 10 títulos, foi separar entre as dezenas de animes que assisti que se enquadram no gênero de romance e drama. Existem centenas, senão milhares, dos quais eu nunca ouvi falar. Eis o motivo das aspas no “Top 10”. Essa lista é minha opinião até então dos 10 animes que eu mais gostei dessas categorias.

É óbvio que minha lista pode ser — e com certeza será — diferente para outras pessoas que assistiram a diversos outros títulos, ou procuram algo diferente no quesito dramas de romances, por isso deixo livre o espaço de comentários para sugestões e liberdade para expressarem suas próprias listas.

Foi ainda mais difícil selecionar a colocação desses animes. Além dos muitos títulos que gostaria de inserir aqui, há também a questão do quão impactante são os animes, ou pelo menos que me agradaram de alguma forma. Escolher apenas 10 me tomou algum tempo.

Como vocês verão, alguns títulos são recentes, inclusive que escrevi já algumas reviews aqui na Nerd Articles, outros são bem antigos, que, apesar de não me recordar em detalhes a história, a essência dos sentimentos que esses animes me transmitiram perduram por anos.

Para cada anime irei colocar uma breve sinopse e do porque selecionei para essa lista.

Talvez nem todos façam com que vocês chorem, mas com certeza estão na lista por trazerem alguma beleza para os gêneros de drama e romance.

10 — Nana

Nana Osaki, a vocalista da banda de punk rock Black Stones encontra-se por um acaso com Nana Komatsu, uma garota insegura com o sonho de se casar com o homem ideal. A partir desse encontro ambas dividem mais do que o nome, mas uma casa. Cada uma em busca de seus sonhos.

O que mais me surpreendeu em Nana foi a temática adulta em termos de relações e ambições. Nana Komatsu é sonhadora e ingênua, quando encontra-se com a forte personalidade de Nana Osaki passa a descobrir o universo da carreira musical. Não são apenas os conflitos em realizar nossos sonhos, mas as consequências deles que são tratados em Nana.

Regado a música e conflitos, o anime ainda discuti os sacrifícios que fazemos para atingir nossos objetivos. Além das amizades e amores que deixamos para trás.

Nana tem um toque especial em discutir tais conflitos utilizando o cenário de uma banda de música que está ainda engatinhando, outra que faz um grande sucesso e na terceira extremidade, uma pessoa sonhadora e bastante comum que acaba envolvida nesse mundo artístico.

Além do mais, as músicas de Olivia Lufkin, na época, me atraíram para o anime.

9 — ~ef~ A Tale of Memories e ~ef~ A Tale of Melodies

Ef — A Tale of Memories narra duas histórias de amor. De um lado temos um triângulo amoroso entre Hiro, Miyako e Kei. Do outro temos Renji e Chihiro que se conhecem em uma estação de trem abandonada.

Admito que não me lembro tão bem dos detalhes do anime, mas consigo me recordar do relacionamento entre Renji e Chihiro. Renji descobre que Chihiro sofre de uma amnésia que a faz esquecer tudo o que aconteceu nas 13 horas passadas. Apesar disso, Chihiro conta a Renji sobre seu sonho de escrever um romance, mas que isso não seria possível por causa de sua condição. É então que ele resolve ajudá-la.

Parece uma história bastante batida e o é. Contudo, a forma como foi trabalhada é que me chamou a atenção, especialmente em Ef — A Tale of Melodies que é a sequência do A Tale of Memories.

Em Ef — A Tale of Melodies há novamente duas histórias de amor. De um lado, parte no passado e parte no presente, temos Himura e Amamiya. Amamiya o reencontra e confessa que ele foi seu primeiro amor. Contudo, após se separarem ela esconde um passado sombrio.

Do outro lado temos Kuze e Mizuki. Mizuki acaba se apaixonando por Kuze que quer eliminar todas as relações, pois contraiu uma doença terminal.

Além de todos esses conflitos, a série Ef conta com uma sacada que achei extraordinária. Ambas as séries se passam em uma cidade, contudo essas cidades são gêmeas. Idênticas em todas as construções, uma reside no Japão e a outra na China se não me engano. A trama se desenrola nessas cidades, mas sem que saibamos em qual elas se passam.

Ef é repleto de temáticas já bastante utilizadas, mas que formulam uma trama que gera uma identidade própria. É bonito e também triste, mas apresentam uma forte sintonia de superações através do amor incondicional. Tanto Ef — A Tale of Memories e a continuação Ef — A Tale of Melodies acabam se complementando de uma forma ou de outra, já que as histórias se cruzam.

Por esse motivo o anime entra na lista, ainda que já tenha esquecido muito dos detalhes da história, os sentimentos transmitidos pelo anime persistem.

8 — Saishuu Heiki Kanojo (Saikano)

Shuji e Chise começam um relacionamento que, inicialmente, parece infantil e inocente. Porém, quando uma guerra explode no Japão e as forças inimigas são eliminadas, o universo do casal muda por completo. Shuji logo descobre que Chise foi escolhida para se transformar em uma cyborgue que irá por fim a essa guerra.

O que acontece quando misturamos um pouco de ação com muito drama e romance? Saikano. O que dizer de um anime cuja música de encerramento ainda me obriga a fingir uma dor no pâncreas para mascaras as lágrimas que não param de escorrer?

A misteriosa combinação de ficção exagerada (traduzindo literalmente o título “ela a arma final”) com romance, poucos conseguiriam fazer algo tão tocante, triste e que provoca profunda depressão quanto Saikano consegue.

Não é apenas o retrato do que a guerra rouba das pessoas, acaba com a vida e as esperanças, mas o anime também procura mostrar como nos apegamos desesperadamente àquilo que amamos incondicionalmente. Shuji e Chise aprendem a lidar com suas diferenças, Shuji, mais do que ninguém, quer realizar os sonhos perdidos de Chise que cada dia que passa deixa de ser humana para se tornar uma máquina.

Saikano é repleto de baixos, poucos altos e na maioria das vezes não conseguimos ver “a luz no fim do túnel”. Dos únicos momentos em que a trama nos traz uma calmaria, um momento em que possamos nos apaixonar pelos personagens, tudo isso é tirado e nos encontramos desolados, centrados em uma frustração incontrolável, na mesma forma que Shuji se sente.

Essa maestria em misturar uma ficção exagerada, um cenário extremamente improvável com uma história de amor linda e extremamente triste, faz com que Saishuu Heiki Kanojo, definitivamente, entre para essa lista. Além de tudo, Saikano recebeu ainda uma versão Live Action que resume muito bem a história da série. Gostei bastante dele e também recomendo para quem apreciar o anime.

7 — Kimi ga Nozomu Eien (KimiNozo — Rumbling Hearts)

Mitsuki fica amiga de Takayuki e Shinji como desculpa para se aproximar deles, já que sua melhor amiga Haruka, é apaixonada por Takayuki.

O triângulo amoroso começa como uma simples história de amor entre jovens estudantes, mas as coisas se complicam e o destino de cada um deles muda por completo quando um acidente acontece.

Haruka é inocente e meiga, sonha em ser uma escritora de livros infantis e, ao se declarar para Takayuki, este resolve sair com ela. Do outro lado, Mitsuki também passa a ter sentimentos por Takayuki, ainda que seja recíproca, Takayuki segue com Haruka, mas é quando um deles sofre um acidente que as coisas mudam, anos se passam e os personagens, já adultos, lidam com suas vidas.

O que faz com que Kimi Nozomu Eien entre para a lista é o desenvolvimento da história. Não há um final feliz para o anime, apenas escolhas que fazemos quando nossas vidas mudam bruscamente de uma hora para outra. Além disso, o fato de um pequeno e inocente triangulo de jovens estudantes, passar para um desastre que os influenciam anos após sua formação, faz com que a série seja um excelente drama com uma trama que perdura na construção dos personagens.

Baseado na Visual Novel, o anime teve um OVA que reconta com um final alternativo a história da série original. A verdade, que de longe de ser um final feliz como em um conto de fadas. KimiNozo não mede escrúpulos em apresentar um final bastante severo, mostrando que na vida, nada para e espera, e aqueles pequenos sonhos de infância, tão frágeis, podem ser destruídos com o tempo.

Por esse motivo eu gostei bastante do anime, ainda que seja repleto de romance piegas, sua trama me deixou em um estado de melancolia quando, diante escolhas impossíveis, não há um final todo feliz para os personagens, mas sim um final baseado nas escolhas tomadas diante o rumo que a vida deles tomou após um trágico acidente.

6 — Honey and Clover

Takemoto Yuuta, Mayama Takumi e Morita Shinobu, são estudantes universitários que dividem um pobre apartamento. Quando Hanamoto Hagumi, uma jovem e talentosa artista entra para a universidade, a vida de todos começa a mudar.

Outro anime de romance e drama que aborda um tema mais adulto. Honey and Clover é maravilhoso tanto na arte, que parece um quadro docemente pintado, quanto em sua trama, que envolve diversos relacionamentos amorosos.

Cada personagem conta com uma história de romance e suas aspirações no universo da arte, também um importante foco no desenvolvimento narrativo. Honey and Clover não apenas remete às descobertas de nossas ambições e aspirações, seja no amor, seja no mundo profissional. É através das expressões artísticas, da arquitetura, da cerâmica, da pintura ou da escultura, a história “brinca” entre a arte e o sentimento em um formato de novela.

Similar a muitos animes dessa lista, Honey and Clover não é um anime de ação, longe disso, ele possui um desenvolvimento suave que cresce junto ao espectador. Muito além dos conflitos amorosos, o anime retrata com perfeição, o desenvolvimento que cada um de nós passa na vida. Como crescemos a aceitar nossos sentimentos, nossas amizades e nossas aspirações, nessa busca constante e incerta do nosso “eu”.

Por entre essas discussões filosóficas e românticas tratadas por Honey and Clover, o anime merece estar nessa lista. Mais do que um simples drama, Honey and Clover, assim como a continuação Honey and Clover II, e o Live Action — também de excelente produção e elenco — apresenta uma jornada pelo qual todos nós passamos. É facilmente um dos animes que mais consegue mais aproximar a realidade da ficção para os espectadores.

Belo e primoroso em todos os sentidos. Diferente de um drama com roteiros convencionais, o anime segue uma estrutura novelística, repleto de conflitos cotidianos reais em um universo de arte, expressões e sentimentos (ainda que as duas últimas sejam sinônimos da primeira).

5 — Visual Art’s/Key (Air / Kanon / Angel Beats)

Por que a 5ª posição é uma produtora? Simples, para quem conhece e gosta de animes de drama é quase certo que conheça a Visual Art’s/Key. Suas obras, além das visual novels para PCs e consoles, estão em alguns dos animes mais marcantes da história do drama e romance.

Fiquei em dúvida em qual assumiria a posição de número 5 da top 10 de drama e romance. Não sabia qual dos 3 títulos foram os mais marcantes, então resolvi trapacear um pouco e colocar a produtora. Em especial esses 3 animes que são muito especiais, principalmente Air, meu primeiro contato com essa produtora maravilhosa.

No 1000° verão, Yukito desembarca em uma pequena cidade costeira. Procurando por uma lendária garota com asas que cruza o céu, legado de sua família, ele se depara com Misuzu, uma alegre e atrapalhada garota incapaz de fazer amizades.

Air não é apenas uma história repleta de arte e poesia, também traz uma forte ligação de passado, presente e futuro, promessas e desejos que ultrapassam o tempo.

Mais do que um anime de romance, Air é uma jornada carregada por diversas encarnações. Separado em 3 arcos: Dream, Summer e Air. Cada um complementando o mistério que envolve Yukito e seus dons mágicos com Misuzu, a garota solitária incapaz de fazer amigos.

Se não me engano, Air foi um dos primeiros contatos que tive com drama, e até hoje tem um peso muito grande. Todos os animes que assisti da Visual Art’s Key são assim, pequenas obras de arte que reverberam por toda a vida.

Se Air traz uma nostalgia de verão, Kanon (a versão de 2006, que é a recontagem da versão de 2002) é um mistério repleto de beleza do outono para inverno.

Em Kanon, Yuichi Aizawa volta a cidade natal após 7 anos. Sem memórias dos eventos passados por um forte trauma, as coisas começam a mudar quando ele se depara com Tsukimiya Ayu.

Kanon lida com um cliché um pouco mais explorado do protagonista perdendo a memória, mas o seu desenvolvimento inesperado remete às consequências de suas escolhas no passado do qual não se tem memória.

Não tanto quanto uma história de amor, o anime dá ênfase para promessas de infância e da importância de nossas ações para o futuro.

Como tradicional da VA/Key, há um grande mistério que ronda Yuichi, além de ser um anime com uma trama por horas bastante depressivas e tristes, por outras bem engraçadas e acalentadoras. Kanon é um título repleto de beleza e que, com toda certeza, merece dividir esse espaço com Air.

Mistério, drama e uma trama surpreendente? É com a Visual Art’s/Key. Angel Beats se passa em uma escola no pós vida. Nem mortos, nem vivos, Yuzuru Otonashi desperta em meio a uma guerra entre o grupo Shinda Sekai Sensen de Yuri e a anjo. O motivo é uma guerra é a revolta contra um Deus que fez com que todos ali vivessem vidas insensatas, incompletas.

Angel Beats mistura ação com uma trama extremamente profunda. É dificil falar em mais detalhes sem estragar as pequenas e maravilhosas revelações que ocorrem ao longo do anime.

Contudo, se fosse para falar mais do que já falei sobre os outros títulos da produtora, diria que o anime conta com uma forte lição de superação e escolhas que tomamos na vida, além da aceitação de quem somos. Não há mais para falar além de: vá assistir logo!

Todos da Visual Art’s/Key, pelo menos dos que eu mencionei, são maravilhosos.

Recomendação especial pela trilha também. O anime rendeu a criação do grupo Girls Dead Monster e o descobrimento da cantora LiSA, hoje bastante famosa nas OST de animes.

*Não me esqueci de você… Clannad… Logo… mas não ainda. Meu coração não está pronto*

4 — Byousoku 5 Centimeter (5 centímetros por segundo)

Makoto Shinkai foi considerado para alguns críticos o próximo Miyazaki. Talvez seja um exagero, ou não, mas sua obra mais incrível é Byousoku 5 Centimeter.

No anime (movie) são contadas 3 pequenas histórias sobre o casal Tono Takaki e Shinohara Akari, da infância até a fase adulta, discorrendo sobre a distância que se abre entre os dois.

5 centímetros por segundo é o tempo e espaço que uma pessoa leva para se distanciar uma da outra, também o é o tempo e o espaço que uma pétala de cerejeira leva para cair. Com isso, o tema central dessa obra prima é a separação de Takaki e Akari. Parece que saber disso ajuda, mas acreditem, não ajuda em nada.

A primeira coisa a se notar no anime é a arte. De longe Byousoku 5 Centimeter tem os cenários mais lindos que eu já vi em um anime. No making of é possível ver uma comparação com a fotografia e o resultado final, muito bem desenvolvidos.

Em relação a história, não há como expressar tamanha beleza. Dividido em 3 pequenas histórias, sendo a primeira Cherry Blossom que conta como Takaki e Akari se encontram na infância e começam seu relacionamento. Cosmonaut, já na adolescência, apresenta Takaki se distanciando aos poucos de Akari, pois estão em cidades opostas. O último conto é 5 Centimeters per Second, que já apresentam os dois adultos.

Byousoku 5 Centimeters é marcante por sua simplicidade em mostrar algo que praticamente todos nós já vivenciamos. O distanciamento de um amor ou de uma amizade, aquela perda de contato que aos poucos aumenta até que nenhuma palavra seja mais dita. No fim, tudo que nos resta é uma memória que vaga em um sentimento melancólico de nostalgia, alegria e vazio.

Os outros trabalhos de Makoto Shinkai são excelentes. Sua primeira obra Hoshi no Koe, merece menção especial, já que fiquei entre um e outro para qualificar na 4ª posição. She and Her Cat é um dos curtas produzido por Shinkai antes de se tornar um diretor consagrado, e Kumo no Mukou, Yakusoku no Basho, também é um importante título, sendo o maior longa já produzido por Shinkai.

Por fim, Byousoku 5 Centimeter é pura poesia e beleza. É um anime que tive sorte de comprar uma das edições limitadas de DVD quando foi localizado nos EUA, assim como a edição de coleção de Hoshi no Koe e Kumo no Mukou, Yakusoku no Basho.

3 — Shigatsu wa Kimi no Uso (Your Lie in April)

Chegamos aos top 3 dessa lista de animes de drama. Ainda que cada um dos títulos que coloquei aqui sejam especiais, os 3 do topo foram complicados de se escolher. Devo admitir que já fazem algumas semanas que queria montar uma lista assim e sabia que era o primeiro lugar, mas não conseguia encaixar os demais.

Ao invés de utilizar sistemas complexos de classificação ou coisas do gênero, como mencionei no início do artigo, queria colocar algo mais particular, uma lista que eu me sentisse confortável e, por mais que eu seja apaixonado por Makoto Shinkai e pelos animes da Visual Art’s/Key, escolher entre os 3 primeiros colocados foi árduo. Em partes porque praticamente todos os animes dessa lista poderiam estar aqui dividindo esse espaço.

No fim, acredito que não sejam os animes do topo os melhores, mas igualmente tocantes em seus sentidos particulares. Com isso, acredito que a classificação não seja o mais importante, mas a presença nessa lista que criei a partir dos animes que assisti.

Shigatsu wa Kimi no Uso conta a história de Arima, um incrível pianista que perde sua habilidade de ouvir suas músicas, encontrando-se que a divertida e extrovertida violinista Kaori.

O anime conta com um visual maravilhoso, cenários coloridos e belos, além de uma história repleta de música clássica. Escrevi um review detalhado dessa obra e porque com quase toda certeza fará você chorar. Mais do que recomendado.

Se você gosta de música clássica, drama e romance, Shigatsu wa Kimi no Uso é um título que não dá para deixar passar.

2 — Ano Hi Mita Hana no Namae o Boku-tachi wa Mada Shiranai (AnoHana)

Esperem um pouco que meu pâncreas explodiu… é só por isso que estou chorando como uma criancinha perdida.

Ano Hi Mita Hana no Namae o Bokutachi wa Mada Shiaranai ou AnoHana, o nome só não é mais longo do que a quantidade de horas que você passará chorando — ou fingindo cortar cebolas — após terminar de ver o anime.

AnoHana narra a história de 5 amigos de infância que se distanciaram após a morte de Meiko. Jinta, o antigo líder do grupo que vive preso dentro de casa (hikikomori) vê o fantasma de Meiko em um verão. Acreditando ser apenas uma alucinação do calor, Jinta tenta a ignorar, mas com a persistência de sua amiga ele descobre que ela retornou apenas para que seu desejo de infância seja atendido. Há, contudo, um problema, Jinta é o único que pode ver e interagir com Meiko.

Jinta, então, deve reunir seus velhos amigos, separados e cada um com um rumo completamente diferente tomado na vida, seus destinos se cruzam mais uma vez com o protagonista tentando convencê-los de ajudar Meiko, contudo, ninguém parece se lembrar de qual promessa ela esta falando, nem mesmo a própria Meiko.

Muito além de um romance, AnoHana consegue expressar com riqueza e beleza sentimentos que com certeza irá afetar qualquer espectador. As amizades de infância que, alheios ao mundo, acreditamos nunca acabar, mas que acabam se distanciando. As diferenças nas escolhas de cada um de nós após tantos anos separados como lidar com esses desconhecidos. O valor que devemos dar às memórias da infância e como é importante, apesar de crescermos em realidades distantes, manter a amizade e aceitar o que nós somos e o que seremos no amanhã.

Tudo isso preenche a maravilhosa trama de AnoHana, uma poesia abundante em sentimentos e graciosidade. Esse foi um dos animes que eu realmente me surpreendi quando assisti, não apenas por sua abordagem incomum (me lembrou um pouco Ima Ai ni Yukimasu), como também o desenvolvimento dos personagens, os traumas deixados pela morte da amiga e como cada um lidou com a nova realidade após o evento.

Caso esteja procurando por momentos de ternura com forte amizade e uma história nada menos do que deslumbrante, AnoHana é uma obra prima de sentimentos.

Não devo esquecer também da trilha. Kimi ga Kureta Mono (Secret Base) originalmente da banda Zone é fantástica. A letra se encaixa perfeitamente com a temática da série, não é para menos que seja a música tema.

1 — Clannad e Clannad ~After Story~

Clannad e a continuação Clannad ~After Story~, para quem já assistiu sabe o quão tocante é esse anime. Belo, perfeito e maravilhosamente lindo, mal começam a descrever esse anime simplesmente épico.

Antes de começar, não posso mais dar desculpas da choradeira, o que tenho a dizer é que meu pâncreas explodiu e com isso eu mergulhei meu rosto em um balde cheio de cebolas cortadas… Isso justifica essas lágrimas?

Tomoya Okazaki é um jovem sem rumo na vida que perdeu a mãe em um acidente de carro quando ainda era jovem. Por esse motivo seu pai se tornou alcoólatra e devido a uma discussão que feriu seu ombro, ele e seu pai se mantém distantes. Indo para a escola, Tomoya encontra Nagisa Furukawa que, apesar de um ano mais velha, ela estuda no mesmo ano que ele. Isso se deve por sua saúde frágil que fez com que ela repetisse enquanto seus amigos prosseguiam.

Não surpreende que o primeiro lugar — para quem leu tudo até aqui já devia esperar por isso — é para o anime da Visual Art’s Key. Clannad, de todos os animes que assisti de drama e romance, acredito que tenha sido um dos, senão o mais lindo de todos.

Sua história começa com uma certa trivialidade, mas desenvolve-se ao longo das duas temporadas (Clannad e o After Story) de uma forma única e incrivelmente adulta. Não apenas a série inicia-se com Tomoya e Nagisa se conhecendo, como as amizades que os rodeiam, todos possuem uma riquíssima personalidade e desenvolvimento próprio ao longo da narrativa.

É mais do que isso, os personagens crescem e amadurecem há uma velocidade perfeita. O drama vivido por Tomoya e Nagisa, sua maneira de pensar e encarar a vida, a forma como eles lidam com sua relação da adolescência a fase adulta, a importância de se constituir uma família.

Tudo isso é colocado em Clannad com tamanha poesia e simplicidade que me espantou do começo ao fim.

Muito mais do que isso. O anime discuti amplamente a relação entre aceitação, o amor puro e o amor familiar. Os sacrifícios que fazemos e as consequências que devemos aceitar em nossas vidas, da infância até a vida que deixamos para nos suceder nesse mundo.

Acredito que esse seja o ponto mais marcante de Clannad: o amor da família e dos amigos. Não apenas ele é retratado com uma calorosa doçura, mas também, em momentos, com uma austeridade que nos coloca novamente na realidade, pois é assim que se é a vida.

Isso faz com que Clannad, pelo menos dentro de toda minha experiência com animes de drama e romance, seja o primeiro do top 10. O anime consegue reverberar por anos, senão por uma eternidade, com sua história. O desenvolvimento segue um ritmo sobrenaturalmente perfeito, e seus personagens são tão carismáticos quanto ricos, cada um com uma história própria.

Com essa jornada de crescimento e aprendizagem, com uma abordagem ao amor puro e amor familiar, encerro esse Top 10.

Espero que tenham gostado. Como eu disse lá em cima, essa lista é uma opinião que eu tenho de acordo com os animes que eu assisti. Se você quiser deixar uma lista própria ou uma sugestão de anime desse estilo para que eu possa assistir e, quem sabe, na medida do possível, escrever uma review sobre ele, basta deixar nos comentários.

Menções honrosas de alguns outros animes como Steins;Gate, excelente trama e um ótimo drama, mas não achei que se encaixasse em um material que faria alguém chorar. Inclusive escrevi uma review sobre o anime aqui na Nerd Articles.

Quando montei essa lista também pensei em animes como Full Moon wo Sagashite, Uta~Kata, Skip Beat, Kimi ni Todoke, Sola, True Tears, Kimagure Orange Road, Summer Wars e muitos outros. Mas, como eu havia dito, foi difícil escolher, então acabei me atendo não apenas ao drama e ao romance, mas também aos animes que mais tocaram em meus sentimentos quando eu os assisti.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Felipe Massahiro’s story.